Trecho de artigo publicado por ocasião da ocupação dos Paises Baixos pelos nazistas.

“A invasão da Bélgica, da Holanda e do Luxemburgo não poderia passar sem um protesto vigoroso da consciência católica.

“A ausência absoluta de qualquer circunstância que pudessem servir, ao menos, de pretexto para tal ato, deu à agressão um caráter despudorado e brutal que tem de encontrar, necessariamente, uma repercussão dolorosa em todas as consciências nas quais ainda brilhe algum vago lampejo de Fé.

(…)        O mal que o nazismo faz não se pode atribuir ao povo alemão

“Ao encerrar este artigo, não quero deixar de fazer mais uma vez a distinção imprescindível entre nazistas e alemães. Evidentemente, os nazistas não deixam de ser alemães.

“Entretanto, o que o nazismo faz de mau deve-se atribuí-lo à ideologia e não ao povo alemão, que é apto para o bem, como todos os povos, que são filhos de Deus.

“Todas as nossas censuras aos desmandos do nazismo devem reverter sempre em atos de cordial fraternidade em Nosso Senhor Jesus Cristo para que os alemães católicos saibam reprovar energicamente tais horrores”.

Fonte: https://www.pliniocorreadeoliveira.info/LEG_400512_Belgica_Holanda_Luxemburgo_invadidos.htm

Deixe uma resposta