O coração católico da China sob perseguição: fidelidade dos primeiros séculos?

2

Não há coração católico, verdadeiramente unido ao Corpo Místico de Cristo, que se desinteresse pelos nossos irmãos chineses, perseguidos in odium fidei.

E o coração católico da China é a Província de Hebei: … “no norte do país, […], tem sido um dos principais alvos desta perseguição,” afirma BitterWinter.

Intensificando a perseguição: preparando a renovação do Acordo Provisório

Como se sabe, o Acordo Provisório entre o Vaticano e Pequim, firmado em 2018 — cujas cláusulas são secretas até para o Cardeal de Hong Kong — expiraria em 28 de outubro. O PCCh não achou nada melhor do que intensificar a perguição e o Vaticano, mais uma vez, cedeu.

Diz BitterWinter: “Ao longo deste ano, o governo do PCCh intensificou os ataques contra os católicos, que recusaram a se juntar à Associação Católica Patriótica Chinesa (CPCA), antes da renovação do Acordo Vaticano-China de 2018 no final de outubro.

“Em 31 de maio, o governo municipal de Jiehedian na cidade de Handan fechou uma igreja católica não registrada e jogou a maior parte de seus pertences no lixo.”

“Um mês antes, em 28 de abril, cruzes, imagens religiosas e o pódio foram removidos de uma igreja católica não registrada na vila de Xingdi, no condado de Jize, em Handan. Os aldeões disseram a Bitter Winter que a operação começou por volta da 1h da manhã depois que o fornecimento de eletricidade foi cortado pela metade da vila e as estradas que levavam a ela foram bloqueadas para impedir os fieis de aldeias vizinhas que estavam vindo para ajudar a proteger a igreja.

Um (hipotético) boletim da CNBB relatando as perseguições

Podemos imaginar um hipotético boletim da CNBB aos Srs Bispos e sacerdotes, ou, melhor ainda do próprio Vaticano aos bispos do mundo inteiro, relatando todas essas perseguições.

Mas tal não se deu.

Os agentes do PCCh “vigiavam as portas das residências ao redor da igreja, proibindo as pessoas de sair de casa. Os frequentadores da igreja colocaram uma nova cruz no dia seguinte, mas as autoridades a removeram novamente, ameaçando demolir a igreja se a cruz fosse reinstalada.”

“Um local católico não registrado na cidade de Shijiazhuang de Hebei foi condenado a interromper a realização de reuniões em agosto. A placa “Consolação dos Aflitos” no dintel acima da porta do local foi substituída por “Harmonia em uma família torna tudo bem-sucedido”. O slogan “Jesus Good Shepherd Picture” na parede estava escondido atrás de uma pintura de paisagem.”

“Em julho, depois de cortar o fornecimento de eletricidade a um local de encontro católico não registrado na cidade de Shijiazhuang, funcionários do governo municipal removeram a cruz do local e apagaram as imagens da demolição capitadas em celulares.

“O padre Zhang, um sacerdote de 77 anos da Diocese de Zhengding em Shijiazhuang, foi repetidamente condenado a retornar à sua cidade natal por se recusar a ingressar no PCCA. As autoridades ameaçaram demolir as casas dos fiéis que ousaram acolher o padre.”

“Em abril, o governo da cidade de Simencun em Botou, uma cidade de nível municipal sob jurisdição da cidade de Cangzhou, removeu as cruzes e o letreiro “Igreja Católica” de um templo católico.”

Perseguir a Igreja é o mais importante

“Sob o governo de Xi Jinping, as campanhas contra a religião são mais importantes do que lidar com enchentes e outros desastres naturais”, disse um padre católico não registrado (não pertencente à igreja patriótica) de Hebei a Bitter Winter.”

“Vários locais católicos não registrados também foram fechados no condado de Chongren, na cidade de Fuzhou, na província de Jiangxi, no sudeste. As autoridades locais ameaçaram cancelar o subsídio de bem-estar social dos frequentadores da igreja e implicar seus filhos se eles continuarem a se reunir em locais religiosos não aprovados.”

Lembrando a Revolução Cultural de Mao

“Um padre católico da província de Gansu, no noroeste, disse a Bitter Winter que as autoridades instalaram uma câmera de vigilância na entrada de sua igreja não registrada em fevereiro. Depois de desligá-lo, os funcionários do United Front Work Department o convocaram para interrogatório e exigiram que apresentasse uma lista de fiéis, mas ele recusou. “Isso me lembrou da Revolução Cultural, quando o PCC prendeu pessoas de fé de acordo com as listas que eles criaram”, disse o padre.

“Um padre não registrado da província de Shanxi, no norte do país, lembrou como recebeu um telefonema da polícia no mesmo dia em que reservou uma passagem de trem online no ano passado, perguntando para onde ele estava indo. “Este ano, a polícia especial me interceptou duas vezes enquanto eu dirigia”, acrescentou o padre. “Eles me questionaram e disseram que eu estava na lista negra. Todos os padres e fiéis na China estão sob a vigilância do PCC. ”

“Em 15 de agosto, festa da Assunção, a polícia de trânsito interceptou cerca de 140 católicos não registrados da cidade de Ningde, na província de Fujian, no sudeste. Eles estavam a caminho de uma missa no sub-estrito de Luojiang, na cidade de Fuan. Os oficiais disseram que sabiam de onde vinham os fiéis e quantos ônibus haviam alugado para a viagem. Eles multaram os motoristas de ônibus e retiraram suas carteiras de habilitação.”

O culto à Xi Jinping

“Católicos não registrados da cidade de Fengcheng, em Jiangxi, reclamaram que as autoridades frequentemente os assediavam e iam às suas casas para substituir símbolos religiosos e imagens por retratos do presidente Xi Jinping. Eles foram até forçados a serem fotografados com essas imagens penduradas na parede. Aos vizinhos dos fieis foram prometidos recompensas ​​financeiramente se relatassem qualquer reunião religiosa não autorizada.” Ou seja, prêmio de delação.

“As autoridades nos disseram que acreditamos em um Deus estrangeiro e que isso é uma traição ao nosso estado”, disse um dos católicos.

“Em 2018, o governo da cidade de Xinyang, na província central de Henan, ameaçou cancelar as verbas para redução da pobreza de um casal católico na casa dos 70 se eles continuassem a praticar sua fé. Depois que finalmente assinaram a declaração renunciando às suas crenças, as autoridades removeram imagens religiosas de suas casas e as substituíram por um retrato de Mao Tsé-tung.”

“Em 18 de agosto, o governo da cidade de Handan na província de Hebei demoliu uma igreja católica em um vilarejo do distrito de Yongnian por “não estar licenciada”, embora tivesse um certificado de registro de local de atividade religiosa válido. Um oficial local disse à congregação que “o certificado é apenas um pedaço de papel”. Ele também ameaçou os fiéis que guardavam a igreja que vinham das aldeias vizinhas de que suas igrejas também seriam demolidas porque vieram para cá.”

“No condado de Longnan, administrado pela cidade de Ganzhou, em Jiangxi, os funcionários do Departamento de Trabalho da Frente Unida inspecionaram uma Igreja Católica Patriótica em 1º de novembro e ordenaram a queima de todos os livros impressos por editoras não aprovadas pelo estado.

Em 22 de setembro, as cruzes foram removidas de uma igreja católica registrada no distrito de Huiyang, na cidade de Huizhou, na província de Guangdong.

“A Igreja Católica Yinyao, no condado de Puyang, em Henan, teve suas cruzes derrubadas em agosto. Um oficial local disse à congregação que ele seria despedido e que a igreja seria fechada se as cruzes não fossem removidas.”

***

Apesar de todos esses fatos, o Vaticano decidiu renovar o Acordo Provisório por mais dois anos. Que alento podem ter os católicos chineses que se vêem abandonados inclusive por Roma? No entanto, o recrudescimento dessa perseguição faz pensar que os católicos chineses — a igreja subterrânea na China — recebem graças especiais de perseverança.

Rezemos para que a Divina Providência derrame sobre eles as graças dos primeiros séculos da Igreja. E que frutifique em obras de apostolado o grande desejo de São Francisco Xavier de converter o império ao Deus verdadeiro.

Antecipamos aqui uma homenagem à sua Festa, em 3 de dezembro.

Nossa Senhora Imperatriz da China reconforte e abrevie esses dias de prova e conduza aquela Nação à sua plenitude no Reino de Maria. Tudo isso se efetivará com a derrota do comunismo que escraviza aquela Nação desde a Revolução de Mao, em 1949.

Fonte: https://bitterwinter.org/catholic-churches-suppressed-and-secularized-nationwide/

2 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta