313-2013: dezessete séculos do Edito de Milão, através do qual o Imperador Constantino concedeu liberdade à Igreja, após séculos de perseguição sangrenta que obrigou os cristãos a se refugiarem nas catacumbas.

 

Imperador Constantino

A propósito da evocativa comemoração do Edito de Milão, transcrevemos alguns comentários de São Pio X, o grande Pontífice que há um século celebrou os 1.600 anos da libertação da Igreja. Com efeito, no dia 8 de março de 1913, para evocar o aniversario desse magno evento, ele pronunciou memorável discurso aos fiéis reunidos em Roma, do qual extraímos os trechos abaixo.(*)

*        *        *

Em meio aos graves problemas do início do século XX, o santo Pontífice exprime seu ardente desejo “[…] de que retorne aquele tempo no qual se concedia à Igreja poder gozar aquela liberdade que lhe é necessária para exercer frutuosamente o seu ministério para o bem das almas e da sociedade.

“Pois é bem doloroso ver que, enquanto agradecemos à Divina Providência ter chamado Constantino das trevas da gentilidade para aquela Religião que os seus antecessores, por três séculos, tentaram exterminar, a restituir aos cristãos os bens usurpados, e conceder ao cristianismo plena liberdade religiosa; nós, entretanto, em meio a tão apregoado progresso da civilização e tantas luzes de ciência, temos de reclamar em vão para a Igreja, mesmo de governos cristãos, aquela liberdade que eles mesmos reconhecem, ou deveriam reconhecer, necessária ao desenvolvimento de sua ação sobrenatural nesta Terra.

“A Igreja recebeu de Deus a missão de ensinar, e sua palavra deve chegar ao conhecimento de todos sem obstáculos que a detenham e sem imposições que a freiem. Pois Cristo não disse: a vossa palavra seja apenas para os pobres, os ignorantes, as massas; mas sim para todos sem distinção, porque vós, na ordem espiritual, sois superiores a todo poder soberano na Terra.

“E estes direitos [da Igreja] são tão sagrados que a Igreja sempre se achou no dever de sustentá-los e defendê-los, sabendo bem que, se cedesse só um pouco às pretensões de seus inimigos, não cumpriria o mandato recebido do Céu e cairia na apostasia.

São Pio X

“E disto estão de tal maneira persuadidos nossos próprios adversários, que dizem abrigar à sombra de sua bandeira toda espécie de liberdade; mas de fato a liberdade, ou melhor, a licenciosidade, é para todos, mas não a liberdade para a Igreja. Liberdade para qualquer um de professar o próprio culto, de manifestar o próprio sistema; mas não para o católico.

“Liberdade de ensino, mas sujeito ao monopólio dos governos, que permitem nas escolas a propagação e a defesa de todos os sistemas e de todos os erros; e que proíbem até para as crianças o estudo do Catecismo. Liberdade de imprensa e portanto liberdade ao jornalismo de vituperar as coisas mais sagradas e as pessoas mais veneráveis; mas não ao jornalismo católico que, por defender os direitos da Igreja e propugnar os princípios da verdade e da justiça, deve ser vigiado, chamado ao dever e apontado a todos como contrário às instituições livres e inimigo da pátria.

“Esta, como vós bem sabeis, é a liberdade de que goza a Igreja, mesmo em países católicos! E portanto temos bem razão de encontrar um consolo em vós, que reclamais essa liberdade, lutando por ela no campo de ação que até agora vos é concedido.

“Nesta luta certamente não faltarão dificuldades, aborrecimentos e fadigas: cuidado para não perderdes o ânimo, porque vos sustentará na luta o Senhor, com ajuda abundante e favores celestes”.

 

(*) http://www.vatican.va/holy_father/pius_x/speeches/documents/hf_p-x_spe_19130223_pace-costantino_it.html

Não corrompam nossas crianças através da “Ideologia de Gênero”

A Ação Jovem do IPCO está promovendo uma campanha nacional de abaixo-assinados que serão enviados para o Presidente Michel Temer pedindo a exclusão da satânica "Ideologia de Gênero" da Base Nacional Comum Curricular - BNCC.

Clique aqui e assine já!

 
COMPARTILHAR
Artigo anteriorParada Homossexual: “Ninguém aguenta mais”
Próximo artigoRedução da maioridade penal
Gregorio Vivanco Lopes

Advogado, formado na Faculdade de Direito do Largo São Francisco. Autor dos livros “Pastoral da Terra e MST incendeiam o Brasil” e, em colaboração, “A Pretexto do Combate Á Globalização Renasce a Luta de Classes”.

1 COMENTÁRIO

  1. O Santo Papa Pio X examinou o mundo que o circundava no início do século XX. Estamos em situação até pior, em todos os sentidos. Inclusive no religioso que não contamos um um papa que denuncia todos estes males.

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome