Enquanto a osquestração midiática em torno da pandemia vai perdendo calor no Brasil, por desgaste notório, renasce o bombardeio das esquerdas contra a ação do governo federal, na Amazônia.

O que seria da Amazônia sem as Forças Armadas?

Dir-se-ia que o Maestro, que dirige a orquestra contra o governo Bolsonaro, já deu ordens para mudar a canção: incêndios na Amazônia, queimadas. E até o STF é acionado.

“A ministra Carmen Lúcia, do STF, acolheu ação de um partido político (PV) e determinou que o presidente e o ministério expliquem o uso das Forças Armadas, na Amazônia. Perdão, cara Ministra, se a Sra conhecesse essa área, sabe qual seria sua pergunta: “O que seria da Amazônia sem as Forças Armadas?”, declarou o General Heleno. (1)

***

Incêndios na Califórnia queimam 2 milhões de acres

“Novos incêndios florestais devastaram a Califórnia até os ossos durante o escaldante fim de semana do Labor Day (Dia do Trabalho), que viu um dramático transporte aéreo de mais de 200 pessoas presas pelas chamas e terminou com a maior concessionária do estado desligando a energia de 172.000 clientes para tentar evitar que linhas de energia e outros equipamentos de provocar mais incêndios.”

A Califórnia está entrando no que tradicionalmente é a garra da temporada de incêndios florestais e já estabeleceu um recorde com 2 milhões de acres queimados este ano. O recorde anterior foi estabelecido há apenas dois anos e incluiu o incêndio florestal mais mortal da história do estado – a fogueira que varreu a comunidade de Paradise e matou 85 pessoas.

“A situação do incêndio florestal em toda a Califórnia é perigosa e deve ser levada a sério”. disse Randy Moore, engenheiro florestal regional da Região Sudoeste do Pacífico do Serviço Florestal que cobre a Califórnia. “Os incêndios existentes estão exibindo um comportamento de fogo extremo, novos começos de fogo são prováveis, as condições climáticas estão piorando e simplesmente não temos recursos suficientes para combater totalmente e conter todos os incêndios”.

Se fosse no Brasil a esquerda nacional e internacional …

Diante de qualquer catástrofe o espírito humano, sobretudo um católico, se move de compaixão, de benevolência, de caridade. É nossa atitude face aos incêndios na Califórnia.

O que não entendemos é a posição da esquerda nacional e internacional que só se serve das queimadas na Amazônia para denegrir o Brasil e tentar lançar descrédito sobre nossa Pátria a nível internacional.

A notícia de EpochTimes nos fornece detalhes sobre a evacuação de parte da população afetada, das privações, do corte de energia elétrica, da perda de tantas residências: “Os assistentes do xerife foram de porta em porta para se certificar de que os residentes estavam cumprindo as ordens de saída.”

“A fumaça dos incêndios florestais queimando a leste de Los Angeles escurece o nascer do sol visto de Pasadena, Califórnia, em 7 de setembro de 2020.” Segundo a Wikipedia os “incêndios queimam mais de 172 000 hectares anualmente” na Califórnia.

Lembramos que a área florestal da Califórnia é 31 milhões de hectares. A nossa Amazônia ultrapassa 4 milhões de km2.  Se é impossível evitar a queima anual de 172 mil hectares na Califórnia quão mais dificil é impedir queimadas numa área que ocupa 50% do território nacional.

***

“A ministra Carmen Lúcia, do STF, acolheu ação de um partido político (PV) e determinou que o presidente e o ministério expliquem o uso das Forças Armadas, na Amazônia. Perdão, cara Ministra, se a Sra conhecesse essa área, sabe qual seria sua pergunta: “O que seria da Amazônia sem as Forças Armadas?”

Mas a esquerda midiática tem “razões” que a razão não conhece.

Fonte: https://www.theepochtimes.com/record-2-million-acres-burned-in-california_3491486.html

(1) https://brasil.elpais.com/brasil/2020-09-05/acao-do-exercito-na-amazonia-e-questionada-no-stf-e-reabre-tensao-da-corte-com-militares-do-governo.html

Deixe uma resposta