PRC_Nossa-Senhora-do-Carmo-1024x680

A Ordem Carmelitana, a mais antiga comunidade religiosa consagrada de modo especial  a Nossa Senhora, teve como berço o Monte Carmelo (Palestina), e como pai espiritual o Profeta Elias (980 a.C.) 

No dia 16 deste mês transcorre o 763º aniversário da entrega, pelas mãos virginais de Maria, do Escapulário do Carmo a São Simão Stock, em 1251 [representação na pintura acima]. Mas a Ordem do Carmo é de origem muito mais remota, pois fundada pelo Profeta Elias, que quase nove séculos antes do nascimento da Virgem Santíssima já prestava culto Àquela que viria ser a Mãe do Messias esperado, simbolizada pela “nuvenzinha”.

Em comemoração desta grande festa carmelitana, transcrevemos abaixo uma apreciação sobre Elias, pater et dux carmelitarum (Pai e chefe dos carmelitas), extraída de uma exposição proferida em 27-10-90 por Plinio Corrêa de Oliveira — ele próprio, durante muitos anos, Prior do SodalícioVirgo Flos Carmeli, da Ordem Terceira do Carmo. (A Ordem Terceira congrega os leigos, enquanto a Primeira congrega os Sacerdotes e a Segunda, as Freiras).

Santo Elias extermina os falsos profetas de Baal
Santo Elias extermina os falsos profetas de Baal

O Prof. Plinio comenta o seguinte trecho do renomado exegeta e teólogo jesuíta Pe. Cornélio a Lápide:

“Após o reinado de Salomão, entre os heróis e ilustres varões de Israel tornou-se eminente Elias, que extinguiu com seu zelo e força de alma a idolatria e a impiedade introduzidas por Salomão […] Deus suscitou Elias que, como fogo, ardia em zelo por Deus e pela verdadeira religião […] Efetivamente o zelo de Elias matou mais idólatras do que converteu”. (Commentaria in Scripturam Sacram, in Ecclesiasticum, XVIII, 1)

Quem ama a Deus, odeia e combate seus adversários

“Está no espírito dos homens com mentalidade centrista dizer que é mais próprio ao católico construir do que destruir. Portanto, também é mais próprio a ele converter do que combater. E por causa disso, mais vale a pena ter um espírito de conciliação, de amabilidade, de afabilidade, um espírito de confusão, de entrega — porque dá nisso — e não combater o adversário como deve ser combatido.

“Esta foi uma objeção que se fez muito contra o antigo ‘Legionário’ [jornal católico dirigido por Plinio Corrêa de Oliveira nas décadas de 30/40] e contra a “Ação Católica” no tempo em que eu a presidia. Infelizmente, naquela época eu não conhecia o Cornélio a Lápide. Mas o Cornélio, cuja autoridade faz lei, trata disso perfeitamente bem e elogia Elias:Matou mais idólatras do que converteu.

“Alguém poderia dizer: ‘Mas não sei como justificar esse elogio a Elias, porque não é melhor converter do que combater?’

“Eu respondo: é evidente! Se se puder converter uma pessoa por um bom argumento, em vez de lhe rachar a cabeça com a espada, deve-se preferir converter. Isso é uma coisa que entra pelos olhos, é preciso ser um bárbaro para não pensar assim. Mas a questão é que há numerosos casos de pessoas que ficam espalhando o mal de todos os modos, e que, se não se converterem, é necessário combatê-las, porque do contrário farão mal a outros.

“Nas épocas de muita maldade, de muita decadência, os corações dos homens tornam-se duros, tornam-se refratários a qualquer argumento, a qualquer boa ação, e passam a espalhar o mal. Para impedir que eles continuem a disseminar o mal — portanto, por ódio ao mal que eles fazem e por amor aos bons que eles vão perdendo — é preciso combatê-los. Não há outro remédio.

“O culpado da repressão não foi Elias, foi Salomão, que favoreceu o pecado, que introduziu o pecado no seio de Israel. Então, se um centrista ficar indignado com a severidade de Elias, podemos refutá-lo dizendo: indigne-se com o prevaricação de Salomão. Elias foi o médico, foi o cirurgião que, por meio da amputação, cortou a gangrena que Salomão tinha instilado em Israel. Essa é a questão!”

COMPARTILHAR
Artigo anteriorMiséria e pesadelo nos hospitais venezuelanos
Próximo artigoCientistas refutam alarmismo com “derretimento” da Antártida
Plinio Corrêa de Oliveira
Homem de fé, de pensamento, de luta e de ação, Plinio Corrêa de Oliveira (1908-1995) foi o fundador da TFP brasileira. Nele se inspiraram diversas organizações em dezenas de países, nos cinco continentes, principalmente as Associações em Defesa da Tradição, Família e Propriedade (TFP), que formam hoje a mais vasta rede de associações de inspiração católica dedicadas a combater o processo revolucionário que investe contra a Civilização Cristã. Ao longo de quase todo o século XX, Plinio Corrêa de Oliveira defendeu o Papado, a Igreja e o Ocidente Cristão contra os totalitarismos nazista e comunista, contra a influência deletéria do "american way of life", contra o processo de "autodemolição" da Igreja e tantas outras tentativas de destruição da Civilização Cristã. Considerado um dos maiores pensadores católicos da atualidade, foi descrito pelo renomado professor italiano Roberto de Mattei como o "Cruzado do Século XX".

3 COMENTÁRIOS

  1. “Não há acordo entre CRISTO e Belial” – diz Nosso Senhor JESUS CRISTO no Evangelho.

    De fato, a primeira missão é tentar converter a pessoa que está no erro. Porém, se ela persiste no erro, ESTE deve ser, sim, combatido. Sem meias palavras.

    Glória a DEUS pelos santos membros da Santa Igreja que denunciaram e combateram o erro ao longo dos séculos!

  2. O médico quando está diante de um caso de gangrena que se espalha no organismo corta o membro gangrenado, para salvar a vida de seu paciente. Isso é assim, o mais elementar bom senso indica isso.
    Nosso Senhor Jesus Cristo, que morreu na Cruz para nos salvar, nos ensina : 1o. aviso; 2o. aviso com testemunhas; 3o. aviso: exclusão.
    A vida em sociedade exige isso: pesa sobre todos nós a pena de morte, devido ao Pecado Original cometido pelos nossos Primeiros Pais. Avisos não nos faltam.
    Tenho diante de mim a capa do DVD do filme “Titanic”.
    O comandante deste navio recebeu 5 avisos de que havia muitos blocos de gelo na rota para Nova York, era necessário diminuir a velocidade, para evitar um choque contra os mesmos. A noite estava muito escura, e o campo visual era de no máximo de 100 m.. Que fez esse comandante ? Colocou os avisos no bolso ( a câmera mostra bem esta cena, como a indicar o gesto fatal).
    Deu no que deu.

  3. Quem ama a Deus, odeia e combate seus adversários?
    Está escrito:

    I Jo 4:20,21;5:2
    Jo 7:16-18

    Veja a pegunta de Tiago e João, e a resposta de Jesus.
    Lc 9:54-56

    Medite nisto.
    Jo 16:2,3

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome