Ucrânia: SIM! “Nova-URSS” de Putin: NÃO!

Patriotas ucranianos cantam o hino nacional na passagem do ano 2013-2014 na Praça da Independência em Kiev. Pelos menos 100.000 estavam ali cantando unidos em sinal de que não se deixarão engolir pelo urso russo. (AP Photo/Efrem Lukatsky)
Patriotas ucranianos cantam o hino nacional na passagem do ano 2013-2014 na Praça da Independência em Kiev. Pelos menos 100.000 estavam ali cantando unidos em sinal de que não se deixarão engolir pelo urso russo.
(AP Photo/Efrem Lukatsky)

A Ucrânia está dizendo o que pensa na Praça da Independência de Kiev e em toda parte onde há um filho fiel de nossa Pátria.

O ex-coronel da KGB, Vladimir Putin, já não esconde o sonho de restaurar a extinta URSS com um disfarce novo.

Sim, a ditadura soviética que provocou o holocausto de milhões de ucranianos está de volta. E tem cúmplices que o povo ucraniano não aceita.

Até observadores estrangeiros reconhecem:

“a agilidade do tigre e do cinismo [é a] do patrono de Yanukovich, Putin” (Giles Lapouge, OESP, 15-12-2013);

“com seu arsenal de subornos, chantagens e ameaças, Putin promoveu o atual estado de agitação social na Ucrânia, que ele descreveu como ‘não sendo realmente um Estado’ na Cúpula de Bucareste da Otan, em 2008” (Michael Weiss, Foreign Policy, apud OESP 16-12-2013).

Na hora de assinar o acordo com a Rússia em 17 de dezembro, o presidente Viktor Yanukovich piscou o olho ao ditador da “nova URSS”.

Enquanto Putin, astutamente, se aprazia pensando no momento em que possa restabelecer seu férreo domínio sobre nossa gloriosa pátria.

Veja e ouça o povo ucraniano cantando o hino nacional em patriótico desafio

Mas a Ucrânia se insurge contra essa intenção anti-nacional e anticristã. Ela tem consciência dos defeitos da UE, mas percebe que a “nova-URSS” envolve um perigo muito maior: o da escravidão total.

Nossa consciência de cristãos e de ucranianos se opõe e há semanas vem manifestando seu descontentamento. E Descontentamento com D maiúsculo!

Aos pés de Nossa Senhora, Mãe de Deus, julgamos indispensável que os ucranianos do mundo todo proclamem com inabalável determinação esse Descontentamento em face de tão grande perigo.

A Ucrânia não esta sozinha. Por toda parte onde há homens livres e corações sinceramente cristãos ouve-se manifestações de solidariedade e apoio.

Nesse sentido encarecemos a todos a leitura e difusão do manifesto sempre atual “Comunismo e anticomunismo na orla da última década deste milênio”, do Prof. brasileiro Plínio Corrêa de Oliveira, grande amigo da Ucrânia nos momentos mais difíceis da opressão russo-comunista de ontem e que preanunciou o futuro retorno do mesmo comunismo, embora ladinamente metamorfoseado.

São Paulo, 24 de dezembro de 2013.
Sociedade Pró Ucrânia Livre e Independente
E-mail: [email protected]