Universidade católica capacita cultivar, colher e vender cannabis

0

Apelar para o uso medicinal da maconha é sempre o primeiro passo, também no Brasil.

“25 de junho de 2021 (LifeSiteNews) – Quando você pensa em uma Universidade Católica, provavelmente pensa em uma escola de alto nível com altos padrões morais, com foco na formação de futuros líderes e no fortalecimento de ideais cristãos de amor, perdão e caridade , e esperança em seu corpo discente.”

Universidade Católica Saint Joseph inclui cultivar, colher, comercializar maconha

No entanto, para a Saint Joseph’s University na Filadélfia, uma instituição jesuíta, as aspirações são muito maiores (para o mal). Eles querem ensinar seus alunos em idade universitária sobre a agricultura, legislação e políticas de cannabis, e os desafios e oportunidades de trabalhar nesta indústria em expansão. Por um curso de seis meses, com o preço baixo de $ 2.950 (planos de pagamento disponíveis), você pode receber um certificado provando que você está pronto para cultivar, colher e vender cannabis.

O site da universidade elogia o crescimento e o potencial da indústria. Um vídeo promocional destaca que o mercado de trabalho da maconha está desfrutando de um crescimento surpreendente de 135% – as indústrias de energia renovável, aconselhamento / psiquiatria e saúde doméstica estão crescendo a uma taxa muito menor de 100% ou menos.

Academia Americana de Pediatria manifesta preocupação

A cannabis é uma indústria em crescimento no país, especialmente à medida que as leis começam a diminuir e o estigma do uso de cannabis diminui. Mas isso não tira o fato de que ainda estamos falando sobre a maconha. Uma droga. Uma substância conhecida por ter efeitos nocivos.

Pediatrics, o Jornal oficial da Academia Americana de Pediatria, publicou um artigo em 2017 cobrindo preocupações com o aumento significativo no uso recreativo / medicinal da maconha em todo o país devido ao afrouxamento da legislação. O artigo explicou que os “efeitos adversos da maconha foram bem documentados.”

Numerosos estudos publicados mostraram as potenciais consequências negativas do uso recreativo de maconha em adolescentes a curto e longo prazo. Essas consequências incluem comprometimento da memória de curto prazo e diminuição da concentração, capacidade de atenção e habilidades de resolução de problemas, todos os quais interferem no aprendizado.

Alterações no controle motor, coordenação, julgamento, tempo de reação e capacidade de rastreamento também foram documentadas. Esses efeitos podem contribuir para mortes e lesões não intencionais entre adolescentes, especialmente aqueles que dirigem depois de usar maconha. Efeitos negativos à saúde sobre a função pulmonar associados ao fumo de maconha também foram documentados ”. O artigo explicou ainda que o “cérebro do adolescente, particularmente as áreas do córtex pré-frontal que controlam o julgamento e a tomada de decisão, não está totalmente desenvolvido até o início dos anos 20, levantando questões sobre como o uso de qualquer substância pode afetar o cérebro em desenvolvimento.”

A autoridade preeminente sobre o desenvolvimento da mente da criança adolescente ou do jovem adulto afirma claramente que a maconha – ou cannabis, como a sociedade gosta de se referir eufemisticamente a ela – não é boa para o cérebro. Uma das principais conclusões é que ele pode impactar negativamente o aprendizado e o desenvolvimento do cérebro.

Uma pergunta oportuna

Isso não diz respeito à liderança e ao corpo docente da Saint Joseph’s University? Eles não estão nem um pouco preocupados que, ao dar um curso sobre maconha, isso não influencie seus alunos a tomarem essa droga? E os alunos que eles ensinaram começando a vender a droga para outras pessoas?

Fiquei sabendo desse curso pela primeira vez por meio de um anúncio online, o que significa que o departamento de marketing da escola está investindo recursos significativos em um esforço de conscientização pública sobre o programa. Talvez seja visto como uma fonte potencial para a universidade, especialmente considerando o crescimento da indústria.

Quando pesquisei a escola – devo admitir que não estava familiarizado com a universidade antes de ver o anúncio – fiquei surpreso ao descobrir que esta escola ainda afirma seguir um ponto de vista teológico cristão. Sua própria declaração de missão afirma que eles estão tentando encontrar Deus em todas as coisas.

A missão de uma universidade católica

Continua LifeSiteNews: “Acho a declaração de missão e a oferta do curso totalmente inconsistentes. É uma perspectiva bíblica buscar drogas que alteram a mente, seja para usar ou vender? Categoricamente, não. 1 Pedro 5: 8 explica que devemos permanecer “sóbrios” e “vigilantes”. Isso requer pensamento claro e uma mente inalterada.”

“Em vez disso, devemos gastar nossa energia na busca de Cristo para nossa força e salvação. Filipenses 4:13 nos ensina que nos momentos mais difíceis de Paulo ele se voltou para Cristo em busca de força. Devemos fazer o mesmo. O Salmo 62: 1 explica que somente por meio do Senhor recebemos a salvação. Somente Ele fornece a solução definitiva para nossos problemas.”

A solução não é a maconha. A solução é Cristo, e a liderança da Saint Joseph’s University deve saber disso, conclui a notícia.

***

Progressismo, esquerdismo e mais recente curso sobre maconha. Esse é o sal que já não salga, como diz a Escritura. Onde está a vigilância dos Pastores? E a Congregação em Roma que cuida das Universidades?

Nossa Senhora Aparecida proteja o Brasil e Santo Inácio, fundador dos Jesuítas purifique a sua Ordem de tantos maus exemplos a serviço da Revolução universal.

Fonte: Catholic university run by Jesuits teaches course on marijuana | Opinion | LifeSite (lifesitenews.com)

Deixe uma resposta