Condenei-te segundo as palavras de tua boca; as afirmações de Xi Jinping servem de condenação para a China de 2021: “Desprezar a história da União Soviética e do Partido Comunista Soviético, demitir Lenin e Stalin, e descartar tudo o mais é nos engajar em um niilismo histórico, e isso confunde nossos pensamentos e enfraquece as organizações do Partido em todos os níveis.” (*)

Precisávamos de prova mais clara, declaração mais contudente da adesão de Xi Jinping aos princípios marxistas leninistas? Por que ele nunca condenou a Revolução Maoísta de 1949? Deixou passar o aniversário do massacre de estudantes na Praça da Paz Celestial em 1989 sem um mea culpa?

Não resta lugar para ingenuidades: Xi Jinping é marxista leninista

Comenta BitterWinter: “O PCCh dedicou tempo e energia para estudar o fim da União Soviética […] A conclusão, freqüentemente apresentada pelo próprio presidente Xi Jinping, é que a União Soviética perdeu sua alma quando começou a criticar Stalin e até mesmo Lenin. “Por que a União Soviética se desintegrou? Por que o Partido Comunista Soviético caiu? Uma razão importante, disse Xi, é que seus ideais e crenças foram abalados. No final, ‘a bandeira do governante sobre a torre da cidade’ mudou durante a noite. É uma lição profunda para nós! Desprezar a história da União Soviética e do Partido Comunista Soviético, demitir Lenin e Stalin, e descartar tudo o mais é nos engajar em um niilismo histórico, e isso confunde nossos pensamentos e enfraquece as organizações do Partido em todos os níveis. ”

Em outras palavras afirma Xi Jinping que o fator de unidade na China é o marxismo leninismo. O presidente-ditador “esqueceu-se” de acrescentar que a chibata, a repressão, ausência de liberdade de expressão, de liberdade de internet são os meios de que o PCCh se serve para controlar a população. E, pior ainda, a perseguição à Igreja Católica.

Quantos membros tem o PCCh apesar de todas as vantagens em se inscrever nele? Quando se realizou a última eleição livre na China? Há mais de 50 anos …

Perguntas aos ingênuos e aos cúmplices do PCCh no Ocidente

Hong Kong

O que fez a China para sufocar os legítimos protestos por liberdade em Hong Kong? Respondeu com uma Lei de Segurança Nacional condenada por dezenas de países livres.

“Cerca de 50 membros da oposição em Hong Kong foram detidos hoje sob a lei de segurança nacional, revelaram duas fontes da polícia à AFP, na maior operação até agora contra os críticos de Pequim.

As prisões somam “quase 50”, duas fontes de alto escalão da polícia disseram à AFP, que pediram para permanecer anônimas.

“Opositores e membros do partido relataram em suas contas no Facebook e no Twitter pelo menos 21 detenções, a maioria por “subversão”.” (1)

Subversão é palavra coringa para designar descontentamento com o PCCh.

“A operação teve como alvo ex-parlamentares pró-democracia, como James To, Andrew Wan e Lam Cheuk Ting, bem como ativistas mais jovens.”

***

Enquanto isso o afoito governador pró China, João Doria, faz propaganda de eficácia da Coronavac, anuncia sua intenção de concretizar gigantescos investimentos chineses em São Paulo. “Eu confio em Xi Jinping”, afirmou o governador.

Otimismo messiânico, Doria anuncia uma nova era Brasil-China

O governador levou uma comitiva de empresários e políticos à China para que “São Paulo reúna condições para se tornar um ponto de vanguarda na Rota da Seda”.

PT e PSDB na China

A China de Xi Jinping é tão confiável assim?

Prossegue João Doria: “Vivemos num mundo compartilhado e em parceria com o povo chinês (ou PC chinês?) queremos ser empreendedores da nova era. Estreitar nossos laços, aumentar a confiança mútua e ampliar nosso mercado bilateral são prioridades de São Paulo em relação à China. São consequências inescapáveis de quem enxerga o presente com atitude transformadora. E o futuro como oportunidade.

Falar em parceria com o povo chinês num pais controlado pelo PC, sem eleições livres, sem liberdades fundamentais, parece uma ironia. O Acordo do Governador será com o PC chinês. (2)

***

A notícia de BitterWinter mostra uma absurda comparação que jornais chineses fazem da derrocada da URSS e com a situação atual dos EUA que estariam esboroando como a outrora Cortina de Ferro. Preferimos não perder tempo de nossos leitores com detalhes dessa forçada analogia.

***

“Os teóricos do PCC acreditam que a pandemia COVID-19 apenas acelerou o que, de acordo com a ideologia marxista, é o colapso inevitável de todas as sociedades capitalistas democráticas. Eles apontam para conflitos econômicos e étnicos que estão destruindo a sociedade americana. Na teoria marxista, o resultado final pode ser apenas o fim dos Estados Unidos democráticos como os conhecemos.”

Concluimos, é o plano do Great Reset, também confessado pelos teóricos do PCCh.

A Divina Providência nos ajude nessa batalha em defesa do Brasil, da soberania nacional, dos valores morais. Defender as raízes cristãs do povo brasileiro é preservar a sua “alma nacional” contra as esquerdas e as ganâncias do PCCh sobre nosso Território.

1 COMENTÁRIO

  1. […] “O PCCh dedicou tempo e energia para estudar o fim da União Soviética […] A conclusão, freqüentemente apresentada pelo próprio presidente Xi Jinping, é que a União Soviética perdeu sua alma quando começou a criticar Stalin e até mesmo Lenin. “Por que a União Soviética se desintegrou? Por que o Partido Comunista Soviético caiu? Uma razão importante, disse Xi, é que seus ideais e crenças foram abalados. No final, ‘a bandeira do governante sobre a torre da cidade’ mudou durante a noite. É uma lição profunda para nós! Desprezar a história da União Soviética e do Partido Comunista Soviético, demitir Lenin e Stalin, e descartar tudo o mais é nos engajar em um niilismo histórico, e isso confunde nossos pensamentos e enfraquece as organizações do Partido em todos os níveis. ” (*) […]

Deixe uma resposta