Ainda quero voltar ao assunto sobre a peste chinesa.
Uma leitora, ao apoiar o meu ultimo artigo (em que falo da situação em que estamos por causa do Coronavírus), confirma que passa por uma pressão com alguém da família. Essa pessoa fica na porta de sua casa o dia inteiro vigiando para que ninguém saia para a rua. Um verdadeiro terrorismo psicológico.

É verdade, pois haviam quatro pessoas reunidas num templo protestante na região, reunidos para uma conversa, e o templo foi multado pelos agentes fiscais.

Já o governo da Prefeitura do RJ publicou, numa edição especial do Diário Oficial Municipal, o decreto Nº 47301, de 26 de março de 2020, que disponibiliza um meio de denuncia para aglomerações.

O que se nota é que o Estado está cada vez mais forte e repressor. Adotam-se medidas prepotentes e abusivas de intimidação.

A consequência de tudo isso será desastrosa na vida dos brasileiros.

Quem poderia imaginar que aparecesse um vírus intimidador da China que levaria o Estado repressor a passar de todos os limites e a implantar o caos e a ditadura? O que podemos esperar de tudo isso a não ser o aparecimento de neuroses e psicoses?

Hoje, o que se dá valor é apenas a saúde física. Esquecem-se da alma. E, por causa disso, milhões de brasileiros viverão no medo e na apreensão.

Que fatores e agentes estão por trás de tudo isso para arruinar a nossa economia e a vida religiosa dos brasileiros? O pior de tudo é que o clero se conforma com essa ditadura despótica e desastrosa em nome da saúde pública, sem nenhuma análise e observação sobre a dimensão real do problema da peste Chinesa.

Ando por toda parte na minha região, não constatei nenhum caso real e sério a respeito dos infectados. Há suspeitas de duas pessoas. Não é normal querer colocar brasileiros encarcerados em casa, em um regime fechado, proibindo de ir e vir, por causa de duas suspeitas!

Isso está em todo o Brasil de uma maneira indiscriminada e despótica por parte de governadores e prefeitos que não aceitam as orientações do Governo Federal. Proíbem até mesmo o trabalho daqueles que precisam conseguir o seu sustento.

O que é ainda pior e inexplicável é a restrição que fazem aos padres de não poderem ter os seus fiéis na celebração do culto católico. Tem padres contentes e felizes por essa situação, afirmando que é bom esse novo sistema de comunicação. A Igreja ganharia, segundo eles, um espaço de confiança e o padre animaria, reconfortaria e consolaria os seus paroquianos pela internet.

“O que eu fico mais feliz – diz um padre – é ver os bancos da igreja repletos de fotografias. Não é uma corrente sombria, mas são laços de fé que nos unem. Todo mundo quer fazer parte disso”.

É estarrecedor ver esse contentamento com essa situação em um padre! Algo assim faz arrepiar o católico que deseja se aproximar dos sacramentos.

Nossa Senhora em Fátima disse que a Rússia espalharia os seus erros pelo mundo, perseguindo a Igreja e os bons que não conseguem se aproximar dos seus templos para rezar. Agora, um vírus da China, país comunista, se espalha pelo mundo. Com esse vírus, a Igreja é perseguida, os bons são perseguidos.

Como fica a fé sem as obras? São Thiago Apóstolo afirma que a Fé precisa das obras, senão ela é morta. Bem que Nossa Senhora em Fátima disse que a Rússia espalharia os seus erros pelo mundo, perseguindo a Igreja e os bons que não conseguem se aproximar dos seus templos para rezar.

E Ela pediu a conversão, mudança de vida, para que a Rússia não espalhasse esses erros pelo mundo. Mas os homens não se converteram!

Agora, um vírus da China, país comunista, se espalha pelo mundo. Com esse vírus, a Igreja é perseguida, os bons são perseguidos.

Que lição podemos tirar de tudo isso? O que Deus quer de nós com isso?

De um lado, há a malícia dos que espalham os erros e fecham as portas de nossas Igrejas. Mas, de outro, Deus tira proveito de tudo.

Deus não quer o mal e castiga os malfeitores com a punição na outra vida, mas Ele tira o bem dessa situação fazendo resplandecer sua justiça e nos purificando com a perseguição que sofremos.

Para ficar mais claro, daremos um exemplo. Se a testemunha de um crime acusa o criminoso porque era inimigo pessoal dele e não pelo desejo de justiça, o crime não deixará de ser crime.

Se esse crime for punível com a morte e essa testemunha ainda pedir para ser o carrasco que matará seu inimigo, a sentença que condenar o criminoso não deixará de ser justa.

O juiz terá feito uma obra boa por castigar o criminoso segundo a lei. O executor terá feito uma obra má em matar o seu inimigo pessoal.

Assim é Deus, que se serve dos maus para nos fazer o bem.

E assim, mesmo esse vírus espalhado a partir da China, poderá ser ocasião de resplandecer a Justiça de Deus e de chamar os homens à Conversão.

Os malfeitores são os políticos que temos em nossa Nação. Eles favorecem a China e prejudicam o Brasil e os Conservadores.Poderíamos até perguntar quem é mais bandido, os que são colaboradores do regime marxista chinês ou o próprio Xi Jinping, Presidente daquele país?

Quem é mais criminoso, quem espalhou o vírus ou quem quer destruir o Brasil para se aliar a China? Claro que são os colaboradores que estão aparelhados contra a nossa nação. São pelo menos agentes úteis do comunismo para implantar o caos.

Poderíamos também perguntar se, mesmo dentro da Santa Igreja Católica, não haveria alguém (ou alguns) envolvido nessa manobra para quebrar o Brasil, emudecer a Igreja e, assim, implantar o caos em nosso país. Os adeptos da chamada “esquerda católica” são os piores inimigos contra os quais temos que lutar.

O que vejo, até o momento, é que esse vírus está sendo usado para implantar uma anarquia no Brasil.

O Profeta Jeremias descreve que a fome, a espada, a peste, são os castigos que Deus envia para as Nações que transgridem a Lei de Deus. Indispensável, neste momento, rezar e rezar muito, e se converter ao Senhor teu Deus, de todo o teu coração. O terço é uma arma poderosa que a Virgem de Fátima nos recomendou.

3 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns pelo artigo Padre. O povo, em muitos casos, está se comportando como gado, não como cristãos.
    “Não temais aqueles que matam o corpo, mas não podem matar a alma; temei antes aquele que pode precipitar a alma e o corpo no inferno.” São Mateus 10,28

  2. O ser humano é envolvido/movido por símbolos: da Paz, da Aliança, da Cristandade e outros! O que devemos entender pelo ato simbólico por parte de quem “ordenou” o cerco da Basílica de Aparecida? O que devemos entender pela passividade da Igreja (clero+leigos) ao cerco da Basília de Aparecida?

Deixe uma resposta