A esquerda pode morrer, adverte premiê francês … e na América Latina também!

3
Manuel Valls: o esquerdismo pode morrer abandonado pelo povo
Manuel Valls: o esquerdismo pode morrer abandonado pelo povo

“A esquerda pode morrer” – alertou, consternado, o primeiro-ministro francês Manuel Valls diante do conselho Nacional do Partido Socialista, hoje no poder. 

Desde a Revolução Francesa, quando os deputados mais exaltados se sentavam no lado esquerdo da Assembleia, e os mais conservadores à direita, a constante foi o triunfo das esquerdas, excetuados alguns recuos táticos transitórios.

O premiê tocou o alarme geral diante da perspectiva de uma entrada da extrema-direita no segundo turno das eleições presidenciais de 2017, onde ela disputaria a Presidência com o centro-direita, segundo informou “Le Journal du Dimanche”.  

Mas, segundo ele, o problema é mais profundo, não se tratando apenas de um jogo entre partidos e candidatos. Pois o jogo pode voltar atrás e os candidatos, membros da mesma confraria de políticos, acabam se entendendo entre si para imprimir o mesmo rumo às coisas, uns mais velozmente, outros menos.

Para Valls, é a própria convicção republicana que está se esboroando na cabeça dos franceses, o que deixa os partidos na situação de um pneu girando no vazio.

Segundo ele, se até lá não for feita alguma coisa, a França poderá entrar numa época em que a direita moderada e a esquerda “podem desaparecer”.

Valls foi categórico: “sim, a esquerda pode morrer” e “não existe alternativa para a esquerda”, referindo-se à catástrofe de popularidade e ao fiasco das eleições municipais, e também às eleições europeias, onde a extrema-direita se consagrou como o maior partido da França.

“Nós percebemos bem que chegamos ao fim de alguma coisa, ao fim talvez de um ciclo histórico para nosso partido. A esquerda nunca foi tão débil na história da V Republica” (fundada em 1958).
Manuel Valls

“Temos de nos reinventar. Temos de explorar outros caminhos, sem tabus”. E explicou que pensava abaixar os impostos das famílias, especialmente as da classe média, proposta que soa como uma blasfêmia ou apostasia para o estatizante e confiscatório socialismo. 

Mas na hora em que o barco naufraga, para os políticos vale tudo. “Eu já falei, os impostos estão pesados demais”, disse o premiê socialista. 

E acrescentou outra “heresia” para a esquerda: “nós não poderemos nos engajar nessa via [de redução dos impostos] se não reduzirmos as despesas do governo”, ferindo a prática socialista de mais Estado, mais bolsas, mais impostos, mais dirigismo e … mais descontentamento.

As soluções por ele apresentadas parecem cosméticas, mas desmoralizam as crenças totalitárias dos últimos fiéis socialistas.

Por sua vez, o jornal de Madri “ABC” comentou que o deperecimento das esquerdas não é um fenômeno exclusivamente francês, mas atinge toda Europa. Cfr: “El ocaso de la izquierda democrática”.

As apetências profundas dos europeus rumam para algo totalmente novo que reate com as melhores tradições do país, trazendo frutos duradouros de ordem, segurança e sanidade moral.

 

3 COMENTÁRIOS

  1. A esquerda sempre teve muito papo e historias para boi dormir e acho que já estava em tempo que o papagaio secasse sua língua e procurasse buscar agua para beber em outros mananciais, por exemplo nas “dachas” do politbureau junto ao ex-cel Putin na Russia.
    Deus graças !! Bendita tua presença !! que este Exorcismo seja uma grande realidade !!

     
  2. MAIS AINDA: QUE O DIABO A TODOS CARREGUE, “SEU” VALLS!
    O comunismo é a doutrina cultivada no cólon descendente de Satã – para não falar o termo popular – para antecipar o inferno na terra, com a bandeira vermelha representando o sangue dos adversários, a estrela de 5 pontas que o caracteriza, do martelo, da destruição; da foice, da morte e, de imediato, onde se instala, traz a miséria, a violência, total destruição e antecipada morte e apenas consegue subir ao poder por meio de fraudes e trapaças, infiltrando até as religiões em particular a Igreja católica, sua inimiga-mor.
    O comunismo dá a um pequeno grupo total controle sobre tudo e todos, domina a máquina que deveria ser pública e a privatiza – não é o que acontece no Brasil? – e lentamente concentra no partido o poder, ludibriando os incautos com pão e circo, instalando-se confortavelmente em suas poltronas assistindo suas famílias tornarem-se milionárias do dia para a noite, enquanto isso promovem o “igualitarismo da miséria”, menos eles, evidentemente, que se tornam os burgueses e capitalistas de Estado.
    Apesar de todas as desgraças que proporciona, conta com muitos híper necessários à causa dentre os religiosos, caso Brasil, seitas protestantes, como a IURD, mesmo o pastor Everaldo disse ter saído por falta de espaço(seria e$paço?), como a CNBB que lhe dá imenso apoio, com vastos setores da hierarquia da Igreja nela instalados, em alguns de seus órgãos e em segmentos de sua assessoria.
    Aliás, esses setores, nos anos 80, estavam mais preocupados com promover o PT e suas pautas; agora, porém, estão mais dedicados de como proteger os efeitos deletérios políticos sobre o PT das trapaças que esse partido promove com cotidiana dedicação, com as bênçãos dos eleitores; todos um bando de Judas Iscariotes versão século XXI!
    O comunismo é pois agua de esgoto adicionado de “água benta” como proveniente dos “religiosos” acima e que Satã e todos seus aficionados carregue!

     
  3. A esquerda nunca vai morrer, a sedução das suas propostas garante
    sua sobrevivência, sempre vai haver discípulos defendendo “uma melhor distribuição da renda dos outros”, se, no momento, está encontrando dificuldade na França, é uma crise passageira, tão logo um governo de
    direita assuma o poder e não ofereça o paraíso ao eleitor/contribuinte,
    as velhas e mofadas propostas da esquerda, retornam a cena política, revigoradas com discursos emocionantes, que atraem aplausos, votos e cargos públicos!
    Ai começa tudo de novo, é um ciclo que parece não ter fim!

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome