Meriam foi condenada à forca por casar com um cristão
Meriam foi condenada à forca por casar com um cristão

A justiça islâmica no Sudão condenou Meriam Yehya Ibrahim Ishag à morte por enforcamento, acusada de apostasia por se afastar do Islã para se casar com um cristão, informou a BBC

Meriam diz que sempre foi cristã, mas para a justiça islâmica basta que uma simples testemunha faça a denúncia. O julgamento é sumário e imediata a execução. Máxime no delito de apostasia, quando o acusado só tem direito de defesa após a execução. 

Meriam está grávida de oito meses e ganhou uma “tolerância”: “Demos a você três dias para se retratar, mas você insiste em não voltar para o Islã. Sentencio você à morte pela forca”, sentenciou o juiz.

Porém, como ela aguarda uma criança, a sentença só será executada dois anos após o nascimento do bebê. 

Além da pena de morte, Meriam receberá 100 chibatadas por ordem do juiz. O sofisma é que o casamento com cristão não é válido para a lei islâmica – a qual admite até o “casamento temporário” por algumas horas para encobrir a prostituição.

As chibatadas cairão sobre Meriam tão logo ela se recupere do parto.

As embaixadas dos Estados Unidos, Canadá, Grã-Bretanha e Holanda divulgaram uma declaração conjunta na qual afirmaram que os países estavam muito preocupados com o caso e pediram que o governo do Sudão respeite a liberdade de religião.

O mesmo fizeram grupos de defesa de direitos humanos. A Anistia Internacional condenou a decisão e afirmou que a sentença é “espantosa e repugnante”.

Também informou que a sudanesa foi presa e acusada de adultério em agosto de 2013, e que a Justiça adicionou a acusação de sua apostasia em fevereiro de 2014, quando Meriam disse que era cristã.

“O fato de uma mulher ter sido sentenciada à morte por sua escolha religiosa, e a chibatadas por adultério, pelo fato de ser casada com um homem que supostamente tem outra religião, é espantoso e repugnante”, disse Manar Idriss, especialista em Sudão.


A pressão internacional suscitou a esperança de uma libertação da mãe cristã. Porém, o governo islâmico negou toda perspectiva de moderação das cruéis penas.

Mas se depender do ecumenismo de fonte cristã ou católica ocidental, Meriam está perdida. Não receberá sequer um telefonema por celular dizendo que ela está agindo bem. Mas Jesus Cristo premia seus mártires com uma coroa que os mundanos são incapazes de oferecer.

4 COMENTÁRIOS

  1. Infelizmente estes casos não são uma excepção. Desde há uns anos, quando o islamismo despertou para o mundo ocidental transportado pelos muitos petrodólares da região central do islamismo, essas notícias tornaram-se corriqueiras.

    Evidentemente, isto não as torna aceitáveis. Têm de ser combatidas por todos e com todo o vigar. Naturalmente, começando pelo Papado e pelos órgãos ligados à relação entre religiões.

    Não podemos “cortar com eles”, porque eles se comportam dessa maneira, aliás, de acordo com a sua religião. Mas, nas relações que tenhamos com eles, o Papa e a Cúria papal devem,”palavra sim, palavra não”, catequizá-los, porque foi a ordem que Jesus Cristo nos deu quando subiu ao Céu e devem fazer-lhes notar o grande erro que cometem.

    Se não for assim, as relações entre as elevadas hierarquias da catolicidade e do islamismo não têm sentido.

  2. As autoridades brasileiras, principalmente os petistas não respondem e não protestam porque a mioria deles pensam da mesma forma. Os chefes desses estados Ditatoriais e Islâmicos são todos amiguinhos de carteirinha da Dilma e do Lula. O que vocês acham, se eles pudessem fariam a mesma coisa no Brasil, pois eles se acham acima do bem e do mal.

  3. Gostaria de saber o porque de nossos ilustres deputados e senadores os quais, dizem, tanto apoiam o fim das discriminações, não se manifestam contundentemente a repeito desse absurdo. Parece que o assassinato de inocentes que OPTAM por mudar de religião segundo suas vontades não tem nenhum apelo à politica interna de um Estado que se diz LAICO, mas que na verdade age como se fosse secular, ou ateu.

    Somos um sociedade EMINENTEMENTE CRISTÃ, com valores cristãos muito bem definidos e enraizados, assim, toda a politica de Estado deveria seguir a vontade da maioria, e, não reconhecer essa vontade da maioria soa como uma forma de golpismo ou então a democracia representativa está sendo minada em seus fundamentos.

    Que nossos legisladores ajam em prol de nossos valores cristãos, ou então que reconheçam que seus verdadeiros interesses se sobrepõem aos da nação e de seu povo.

  4. É lamentável que este tipo de condenação aida aconteça no mundo, Deus que todo poderoso, criou tudo o que eixiste não obriga ninguem a segui-lo, como outros deuses podem obrigar a ser amado e seguir a sua doutrina neste mundo. Oro a Deus pela Miriam e que seja forte em sua decição, nada poderá afastar do amor de Cristo, nem mesmo a morte. E se o martírio ocorrer, teremos mais uma santa a nos interceder no céu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome