Notícia de G1, Novo presidente da Capes gera polêmica ao defender criacionismo –– evidencia, mais uma vez, o dogmatismo intolerante com que certa midia trata de assuntos que não passam de hipóteses (no caso, a evolução), impondo seu ponto de vista  como se fosse tese provada pela Ciência.

Qual o grande “pecado” do Prof. Benedito Guimarães Aguiar Neto?  O Ex-reitor da Universidade Presbiteriana Mackenzie (SP), disse num evento: ‘Queremos colocar um contraponto à Teoria da Evolução’. (*)

Essa afirmação do Prof. Benedito Aguiar Neto é suficiente para a midia rasgar as vestes, e vasculhar a Terra à procura de declarações pomposas de vedetes sedentas de prestígio.

A teoria da Evolução é, portanto, nas tubas da midia, uma verdade fé, dogma declarado (sem provas convincentes), que não permite nem sequer “um contraponto”.

Esqueceu-se a midia das fraudes evolucionistas? Por exemplo, do homem de Piltdown?

“O assim chamado Homem de Piltdown foi uma fraude científica formada por fragmentos de um crânio e de uma mandíbula recuperados nos primeiros anos do século XX de uma mina de cascalho em Piltdown, vila perto de Uckfield, no condado inglês de Sussex.[1] Especialistas da época afirmaram (erroneamente) que os fragmentos eram restos fossilizados de uma até ali desconhecida espécie de homem primitivo.

O nome latino de Eoanthropus dawsoni foi dado ao espécime em homenagem a Charles Dawson, que em 2016 foi considerado responsável pela fraude.[2]

A significância do espécime permaneceu objeto de controvérsia até que, com o avanço da ciência, foi declarada em 1953 como uma fraude, consistindo da mandíbula inferior de um símio combinada com o crânio de um homem moderno, totalmente desenvolvido. Segundo os relatórios, também foi utilizada uma lima para desgastar os dentes a fim de parecerem mais velhos, bem como os ossos (ou parte destes) foram submetidos a substâncias químicas com o mesmo objetivo. Foi sugerido que a fraude havia sido obra da pessoa tida como sua descobridora, Charles Dawson (1864-1916), sob cujo nome foi batizada. Este ponto de vista tem sido questionado e muitos outros candidatos têm sido propostos como os verdadeiros criadores da contrafação. O homem de Piltdown representava um organismo que não correspondia à realidade.[3]

  1.  Roger Lewin (1987). «Chain of Fraud» (em inglês). Clark University. Consultado em 19 de agosto de 2010
  2.  Groote, Isabelle De; Linus Girdland Flink, Rizwaan Abbas, Silvia M. Bello, Lucia Burgia, Laura Tabitha Buck, Christopher Dean, Alison Freyne, Thomas Higham, Chris G. Jones, Robert Kruszynski, Adrian Lister, Simon A. Parfitt, Matthew M. Skinner, Karolyn Shindler, Chris B. Stringer (1 de agosto de 2016). «New genetic and morphological evidence suggests a single hoaxer created ‘Piltdown man’»Royal Society Open Science (em inglês). 3 (8). 160328 páginas. ISSN 2054-5703doi:10.1098/rsos.160328
  3.  «Piltdown Man: Case Closed» (em inglês). Bournemouth University. Consultado em 19 de agosto de 2010. Arquivado do original em 12 de fevereiro de 2012
  • * * *
  • No mesmo sentido veja-se https://www.ufmg.br/online/arquivos/024516.shtml, a fraude do homem de Piltdown atrasa a Ciência e dispersa esforços e verbas.
  • Uma conversa, no verão, na Universidade de Stanford Hoover Institution

    “Um grupo de cientistas, incluindo Gelernter e Meyer, sentou-se para discutir a evolução neste verão em uma conversa que foi organizada pela Universidade de Stanford Hoover Institution”.

    “De fato, o registro fóssil como um todo carecia da estrutura de ramificação ascendente que Darwin previu.

  • Em outras palavras, não há prova da Evolução. A teoria de Darwin, que a Midia transforma em dogma da intolerância, cai por terra e carece de fundamento.“Gelernter argumenta que o design inteligente, a noção de que a vida na Terra foi projetada por um poder superior, é um “argumento absolutamente sério“. Gelernter adverte seus colegas na academia contra o uso de fanatismo anti-religioso para justificar sua rejeição da teoria do design inteligente”.
  • O artigo de G1 descarta (em nome do fanatismo intolerante) a teoria do design inteligente, por quê? O próximo passo da Evolução será a Guilhotina do Terror, durante a Revolução Francesa? Aplicada aos descontentes?
  • A corrente criacionista (que tem Deus como criador do Universo) é forte nos EUA e conta com um escol de professores, cientistas. À medida que a Ciência progride novas complexidades se tornam conhecidas, por exemplo, no ser humano. A conclusão de Gelernter: a noção de que a vida na Terra foi projetada por um poder superior, é um “argumento absolutamente sério“. https://www.breitbart.com/tech/2019/08/22/yale-computer-scientist-david-gelernter-abandons-darwinism/
  • Veremos o fundamento científico do design inteligente no próximo artigo.
  • (*) Fonte: https://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2020/01/28/novo-presidente-da-capes-gera-polemica-ao-defender-criacionismo.ghtml

 

 

1 COMENTÁRIO

  1. […] Notícia de G1, Novo presidente da Capes gera polêmica ao defender criacionismo –– evidencia, mais uma vez, o dogmatismo intolerante com que certa midia trata de assuntos que não passam de hipóteses (no caso, a evolução), impondo seu ponto de vista  como se fosse tese comprovada pela Ciência. https://ipco.org.br/o-evolucionismo-evoluiu-de-hipotese-contestada-a-dogma-a-proxima-evolucao-sera-a… […]

Deixe uma resposta