“Um Menino nos nasceu, um filho nos foi dado; a soberania repousa sobre seus ombros, e ele se chama: Conselheiro admirável, Deus forte, Pai eterno, Príncipe da paz” (Is 9,5)


Chegamos ao Natal. Talvez o mais triste desde que o Menino Jesus nasceu em Belém e foi amorosamente embalado nos braços virginais de Maria, sob o olhar transportado de admiração de São José. O mais triste, sim, mas também carregado de esperanças.

 

Comecemos pelo aspecto triste.

Desde aquele bendito dia em que “um Menino nos nasceu, um filho nos foi dado; a soberania repousa sobre seus ombros, e ele se chama: Conselheiro admirável, Deus forte, Pai eterno, Príncipe da paz” (Is 9,5), o culto ao Divino Infante foi crescendo nos corações e na sociedade, venceu o paganismo, tornou-se público, encheu o mundo de uma serena alegria.

Vieram, porém, as épocas de decadência da humanidade, a fé foi se extinguindo nas almas. Como a chama da lamparina da qual se esvaiu o azeite, hoje a fé bruxuleia apenas, mesmo em grandíssima parte dos que ainda se dizem cristãos. Se assim é o presente, o que esperar para o futuro, uma vez que a juventude está sendo tão malformada (deformada!?)

*     *     *

Veja vídeo
Votos de Feliz Natal e
bom Ano Novo do IPCO

Não vou estender-me sobre esse infausto tema, dou apenas um exemplo. Cito o ex-reitor da USP, Prof. Roberto Leal Lobo e Silva F°, em seu lúcido artigo “A escola hoje e os alunos que não aprendem” (“Folha de S. Paulo”, 23-10-12).

“A educação brasileira está em crise. Além da recorrente violência escolar — a imprensa noticia com frequência casos de alunos armados ou com drogas, além de agressões a professores — pais e filhos parecem achar que a escola não pode contrariar os alunos ou exigir desempenho.

“As próprias famílias não conseguem impor limites aos filhos — às vezes, nem os pais têm limites — algo que se espraia à sala de aula.

“Neste momento, vale lembrar um livro francês ‘A Escola dos Bárbaros’, de Isabelle Stal e Françoise Thom.

“Elas consideram que a falta de disciplina nas escolas reflete uma sociedade que ‘adota o prazer como o ideal, em todas as direções — para tal sociedade, o objetivo da civilização é se divertir sem limites’.

“As autoras acertam em cheio ao apontar a profusão de práticas extracurriculares, fáceis e sem conteúdo, que servem para matar o tempo do jovem, como um dos grandes problemas da escola de hoje em dia. Nas palavras das autoras: ‘É uma enganação afirmar que a inaptidão para expressar-se, que a ignorância crassa em história, em geografia, em literatura e a incapacidade em seguir um raciocínio elementar’ sejam um preço que tenhamos de pagar para que todos se sintam à vontade na escola, permitindo a ‘inclusão’ de todos os alunos.

“Sob o pretexto de instaurar na escola a igualdade, o ensino é nivelado por baixo. ‘A ambição da igualdade a todo preço desencoraja o esforço de aprender, tipicamente individual’.

“As autoras criticam, com muita dureza, pedagogos, professores, administradores, sindicatos de professores e a nova geração de pais. Isso sem falar nas ideologias que banalizam o ensino, como se o papel principal da escola não fosse tirar o aluno da ignorância”.

*     *     *

“No mundo haveis de ter aflições. Coragem! Eu venci o mundo”

Mas, perguntará o leitor: e a esperança, em que se baseia?

Primeiramente, nas infalíveis palavras de Nosso Senhor: No mundo haveis de ter aflições. Coragem! Eu venci o mundo” (Jo, 16,33).

Em segundo lugar, nas promessas de Nossa Senhora feitas em Fátima no ano de 1917, sobre o triunfo de seu Imaculado Coração.

Por último, é preciso considerar que, disseminadas por toda a superfície da Terra, há pessoas que gemem e choram no interior de suas almas por causa das calamidades presentes. O Menino Jesus não frustrará seus anseios, pois Ele veio para vencer: “Eis que venho em breve, e a minha recompensa está comigo, para dar a cada um conforme as suas obras” (Ap. 22,12).

3 COMENTÁRIOS

  1. Nada devemos temer porque acreditamos que :” As portas do inferno jamais prevalecerão sobre a nossa Igreja”. Simples e cristalino como água de fonte….Feliz Natal a toda equipe e colaboradores do nosso respeitável Instituto.

  2. O cristão nunca poderá se dar por vencido. Todos os dias nasce a chama da esperança, pois Jesus prometeu: “estarei com vocês sempre! Nós não somos nada! Mas a partir do momento que nós nos colocamos a serviço de Deus, permitindo que Ele exerça em nós o seu projeto, aí começa um novo mundo. É verdade que a resistência de muitos a esta proposição é grande, porém o exército daqueles que se propõem a aceitar o convite do Pai é bem numeroso. Abramos os olhos, pois o inimigo está aí! Unamo-nos a Mãe Santíssima, pedindo que Ela caminhe ao nosso lado, conduzindo-nos sempre no caminho que leva a fazer a vontade de seu filho Jesus. Ele disse: Vigiai, orai e fazei penitência! estas sua as “armas” do Cristão.

  3. Essa é nossa esperança, que DEUS venha em breve, vem SENHOR JESUS, antes que tudo esteja perdido.Cuida das nossas crianças, conservai suas inocências, sede defensor delas que primeiro são teus filhos, olha pelos pecadores acorrentados no pecado, pois nos dias de hoje é ensinado, principalmente pelas mídias anticristãs, que tudo nos é permitido tudo é bonito e tudo é válido para a própria felicidade, esqueceram que tu, um DEUS onipotente, veio a este mundo por nós como criança inocente, e como um inocente sofreu e morreu por nós.Seus joelhos se dobraram com o peso de nossos assombrosos pecados, e a nós hoje, é penoso dobrar nosso joelho e rezar? pedir por nossos irmãos e por nós mesmo,” PERDÃO SENHOR, PELOS MEUS PECADOS QUE CHAGARAM TEU SANTO CORPO NA CRUZ”, dai-me senhor a tua cruz e dai-me forças para suportá-la,não tirai os obstáculos da minha vida mas dai-me pernas longas para atravessá-los, cuida de minha família SENHOR e de todas as outras que precisam muito de ti, pois gememos e choramos em nossas almas que anseiam por ti.Amém.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome