Marcos Costa

Recebi um vídeo sobre a March for Life 2018 em Washington. Interessando-me por mais detalhes sobre a marcha, pois anos atrás cheguei a participar de uma, fui pesquisar em sites da mídia brasileira.

Afinal já são 45 anos consecutivos que defensores da vida inocente participam de marchas multitudinárias sob um frio intenso, quando não sob a neve, pois elas sempre ocorrem em janeiro.

Estupefação! A nossa mídia nada viu, nada ouviu, nada soube, portanto, nada registrou. Qual a razão dessa clamorosa omissão? Quase meio-milhão de participantes? Número desprezível para ser assim negligenciado?

Outro elemento que pude observar no vídeo foi que da marcha participaram pessoas de todas idades, mas a grande maioria era constituída por jovens. Então, não se trata apenas de um segmento da sociedade.

Qual o motivo para o silêncio ensurdecedor da mídia nacional sobre a marcha? Defender a vida inocente é lutar contra o aborto. Tanto mais quanto tal marcha se desenvolve num clima de ordem, slogans e faixas, tudo com muito propósito, que, sem dúvida, marcou a História dos Estados Unidos.

Na Marcha contra o aborto, desperta a atenção a presença da TFP americana com suas capas e estandartes rubros, com sua postura, sua fanfarra, seu trato cortês e ao mesmo tempo varonil. Isto também não agrada aos órgãos que deveriam informar e formar a opinião pública?

Os membros jovens da TFP, além de dar realce à Marcha com seus símbolos, distribuíram dezenas de milhares de folhetos com “10 Razões contrárias ao aborto”. Então um chamado não apenas simbólico, mas que fala à razão com argumentos sólidos. Pena que a mídia não viu!

Será mesmo que não viu? Esta mesma mídia noticiou a “Marcha das mulheres atrai milhares em cerca de 250 cidades dos EUA”. E acrescenta: “Em todo o país, cerca de 250 paradas eram esperadas” e os seus organizadores, esquerdistas, claro, “aguardavam centenas de milhares de mulheres nesses encontros pelo país”.

Tratava-se portanto de uma expectativa de centenas de milhares. Pois bem, na realidade não houve a presença de centenas de milhares nem a manifestação ocorreu em 250 cidades.

Houve a March for Life em Washington com a participação de quase 500 mil pessoas e a mídia não viu, mas transformou uma expectativa de 250 paradas e centenas de milhares de mulheres presentes em fato.