Há meio século a TFP saiu às ruas para uma memorável campanha de esclarecimento e denúncia sobre o IDO-C e “grupos proféticos”: trama secreta para revolucionar a Igreja (junho 1969). A TFP organizou uma imensa campanha de difusão pelo interior do País. Em conseqüência, dezenove caravanas de nossos jovens percorreram, em 40 dias, 480 cidades localizadas no Sul, Centro e Nordeste do País.

     Transcrevemos diretamente do livro “Minha Vida Públicahttps://www.pliniocorreadeoliveira.info/Minha_Vida_publica/MVP_12_Fundacao_da_TFP_atividades_decada_60.htm#_Toc451114474

“1. Uma campanha ousada: grupos ocultos tramam a subversão na Igreja

        “Em 1969, Catolicismo publicou um número duplo correspondente aos meses de abril e maio, no qual dava conhecimento de dois autênticos documentos-bomba sobre a presente crise na Santa Igreja.

      “O primeiro deles, estampado no boletim católico Approaches, de Londres (no 10-11, de janeiro de 1968), era intitulado Dossier a respeito do IDO-C.Em 1969, Catolicismo publicou um número duplo correspondente aos meses de abril e maio, no qual dava conhecimento de dois autênticos documentos-bomba sobre a presente crise na Santa Igreja.

      “O segundo veio a lume sob o título Os pequenos grupos e a corrente profética, no no 1423, de 11 de janeiro de 1969, da revista Ecclesia, de Madri.

      “Para melhor compreensão dos leitores, cada um desses documentos vinha precedido de um estudo de apresentação contendo um substancioso resumo do texto, elaborado pela redação da folha*[259].

      “* Esse número duplo trazia em sua primeira página a figura de um belo crucifixo barroco venerado na sede do Conselho Nacional da TFP e seu título já constituía uma categórica denúncia: Grupos ocultos tramam a subversão na Igreja.

       “Este título era seguido de um texto em destaque que resumia o conteúdo da edição: “No alto da Cruz, Nosso Senhor Jesus Cristo não sofreu apenas em razão dos ultrajes morais e físicos que Lhe foram infligidos por seus algozes. Padeceu também na previsão de todos os pecados que se cometeriam até a consumação dos tempos. Entre eles a trama secreta feita em poderosos meios católicos para ‘reformar’ a Igreja — transformando-A em uma Igreja-Nova panteísta, desmitificada, dessacralizada, desalienada, igualitária e posta a serviço do comunismo — constituiu por certo um dos mais atrozes tormentos de nosso Divino Redentor. Sim, dEle que ensinou por sua Vida, Paixão e Morte o contrário de todos esses erros clamorosos”.

          “E com base nesse número de Catolicismo fizemos nossa campanha contra o IDO-C e os “grupos proféticos”, isto no ano de 1969 [260], a qual foi de enorme alcance* [261].

  •        “Esse número de Catolicismo denunciava a conjuração de organismos semi-secretos cujas infiltrações, de origens remotas, já podiam ser encontradas no Brasil desde os tempos do Em Defesa da Ação Católica, em que Dr. Plinio as descrevia em termos que impressionam pela frisante analogia com as informações publicadas por Ecclesia sobre os grupos proféticos”.

      * * *

            Para aprofundamento sobre as origens da crise progressista na Igreja, defesas de tese, monografias e doutorados recomendamos a leitura da íntegra desse número de Catolicismo (download gratuito) https://ipco.org.br/wp-content/uploads/2015/08/IDOC-e-Grupos-Prof%C3%A9ticos3.pdf

Deixe uma resposta