Líbia “libertada” adotará sharia como base do novo governo

O líder do Conselho Nacional de Transição (CNT) da Líbia, Mustafa Abdel Jalil, disse após a confirmação da morte do ditador Muamar Kadafi que a sharia (lei islâmica) deve ser a base para o novo governo da Líbia. “Qualquer lei que contradiga a sharia islâmica é nula e vazia, legalmente falando. Irônicamente Jalil proclama a Líbia “oficialmente libertada”.

Caiu o véu que escondia o verdadeiro rosto dos “Indignados” da “Primavera Árabe” contrariando o suposto movimento rumo à democracia propalado pelos governos do mundo inteiro – (ONU), OTAN e Obama que proporcionaram decisivo apoio militar – e , como não poderia deixar de faltar, pela mídia.

A nova era da “Líbia libertada”, democrática, pluralista e laica (sublinho laica) nasce sob a égide da execução sumária do ex-ditador sob o olhar complacente – e quem sabe cúmplice – do Ocidente. Sem julgamento, sem acusação, sem proporcionar os direitos basilares de qualquer democracia que preze caracterizar-se por tal: o Princípio do Contraditório e da Ampla Defesa.

Desse modo, – pelo dedo se conhece o gigante – os supostos defensores de uma “democracia” nascente expõem a substância de que são constituídos os elementos mais notórios dos rebelados: o islamismo radical.

Vai se delineando a figura de um gigante, que desde as gloriosas Cruzadas estava adormecido. Estará ele despertando numa “primavera”?

“Qui vivra verá”, quem viver verá ou o tempo dirá.

_________________________
Fonte:

CNT diz que lei islâmica será a base de novo governo da Líbia. (http://ultimosegundo.ig.com.br/revoltamundoarabe/cnt-diz-que-lei-islamica-sera-a-base-de-novo-governo-da-libia/n1597312909919.html)