Legionário, 7 de julho de 1940, N. 408, pag. 8

 

 
 

“O costume de cantar o “O Salutaris Hostia” durante a Santa Missa é de origem francesa e relembra um momento maravilhoso da história de França.

Escreve o Cardeal Bona que em 1513 “de todos os lados a guerra havia irrompido contra a França, atacando-a em todas fronteiras; nunca se havia visto um perigo tão grande”. Luís XII [1462-1515], então rei de França, vendo seu país à beira do abismo, volta-se para Deus, pede aos bispos que implorem o auxílio divino, cantando, no momento da Elevação a tocante estrofe:

“O Salutaris Hostia

Quae coelis pandis ostium,

Bella premunt ostilia;

Da robur, fer auxilium”.

[Ó Hóstia salutar / que nos abre a porta do Céu / Nossos inimigos fazem guerra contra nós / dá força, ajuda-nos.]

E a França foi salva.

“Hoje, (1940, durante a ocupação nazista) a falta de espírito católico não pôde impedir que as forças do neopaganismo (nazista) invadissem a terra primogênita da Igreja”.

* * *

O Século XXI é ainda mais deteriorado e a França, também, não escapa à regra de decadência. Quando aparecerá uma Santa Joana d´Arc?

No campo eclesiástico, quando virá um novo São Luiz Grignion?

Rezemos, aguardemos, confiemos! Por fim o Meu Imaculado Coração Triunfará!

Deixe uma resposta