A esmagadora maioria dos marines (fuzileiros navais que constituem a mais prestigiosa força do exército americano) opõe-se à idéia de partilhar os dormitórios com homossexuais ou lésbicas, disse o comandante supremo dessa corporação, general James Conway.

A declaração complicou ainda mais a tramitação no Congresso americano de projeto do presidente Obama concedendo plena igualdade aos homossexuais nas forças armadas. Atualmente, numa atitude de tolerância, eles são admitidos quando não se declaram homossexuais, mas são expulsos caso se tornem notórios.

Os defensores do homossexualismo querem que eles possam ser admitidos sem restrições, mas os conservadores temem que isso traga a desmoralização, a perda da coesão e da força de impacto das forças armadas.