2021 se inicia sob o signo de um desafio: o “Novo Normal”, contraditoriamente, nos é apresentado como sendo anormal, uma violência ao ser humano como Deus o criou. Os homens têm a sua luz primordial, as Nações têm a sua alma nacional. O chamado Great Reset, para ser humano, tem que obedecer aos ditames da Lei Natural posta por Deus na alma humana. Do contrário, cairemos na Senzala Mundial, sonho dos inimigos da Igreja e da Civilização Cristã.

A Nova Ordem Mundial não pode ser uma ditadura a violentar a própria natureza humana.

Nosso contributo: observar a Lei Natural

Transcrevemos do Prof. Plinio: “Se admitirmos que em determinada população a generalidade dos indivíduos pratica a Lei de Deus, que efeito se pode esperar daí para a sociedade? Isto equivale a perguntar se, em um relógio, cada peça trabalha segundo sua natureza e seu fim, que efeito se pode esperar daí para o relógio? Ou, se cada parte de um todo é perfeita, o que se deve dizer do todo?

A Cidade Católica de Santo Agostinho

“Há sempre algum risco em exemplificar com coisas mecânicas, em assuntos humanos. Atenhamo-nos à imagem de uma sociedade em que todos os membros fossem bons católicos, traçada por Santo Agostinho: imaginemos “um exército constituído de soldados como os forma a doutrina de Jesus Cristo, governadores, maridos, esposos, pais, filhos, mestres, servos, reis, juízes, contribuintes, cobradores de impostos como os quer a doutrina cristã! E ousem (os pagãos) ainda dizer que essa doutrina é oposta aos interesses do Estado! Pelo contrário, cumpre-lhes reconhecer sem hesitação que ela é uma grande salvaguarda para o Estado, quando fielmente observada” (Epíst. CXXXVIII al. 5 ad Marcellinum, cap. II, n. 15).

A Igreja Católica tem as chaves para a perfeição social e moral

“E em outra obra o Santo Doutor, apostrofando a Igreja Católica, exclama: “Conduzes e instrues as crianças com ternura, os jovens com vigor, os anciãos com calma, como comporta a idade não só do corpo mas da alma. Submetes as esposas a seus maridos, por uma casta e fiel obediência, não para saciar a paixão, mas para propagar a espécie e constituir a sociedade doméstica. Conferes autoridade aos maridos sobre as esposas, não para que abusem da fragilidade do seu sexo, mas para que sigam as leis de um sincero amor. Subordinas os filhos aos pais por uma terna autoridade. Unes não só em sociedade, mas em uma como que fraternidade os cidadãos aos cidadãos, as nações às nações, e os homens entre si, pela recordação de seus primeiros pais. Ensinas aos reis a velar pelos povos, e prescreves aos povos que obedeçam os reis. Ensinas com solicitude a quem se deve a honra, a quem o afeto, a quem o respeito, a quem o temor, a quem o consolo, a quem a advertência, a quem o encorajamento, a quem a correção, a quem a reprimenda, a quem o castigo; e fazes saber de que modo, se nem todas as coisas a todos se devem, a todos de deve a caridade e a ninguém a injustiça” (De Moribus Ecclesiae, cap. XXX, n. 63). (*)

Essa é a nossa resposta: O “Novo Normal” não pode violentar a natureza humana

O homem, criado à imagem e semelhança de Deus, tem os meios e os fins para atingir sua meta: conhecer, amar e servir à Deus nessa terra e gozar depois a bem aventurança eterna.

Todo ser vivo é dotado por Deus de um conjunto de necessidades, de órgãos e de aptidões que estão postos entre si numa íntima e natural correlação. Isto é, os órgãos e as aptidões de cada ser se destinam diretamente a atender às necessidades dele.

O homem se distingue dos outros seres visíveis por ter uma alma espiritual dotada de inteligência e vontade. Pelo princípio de correlação que acabamos de enunciar, a inteligência serve ao homem para conhecer suas necessidades e saber como satisfazê-las. E a vontade lhe serve para querer e fazer o necessário para si. Está, pois, na natureza humana conhecer e escolher o que lhe convém.

Como consequência o “Novo Normal” não pode violentar a natureza humana.

A revolução industrial violentou a natureza humana

Acesse gratuitamente: https://www.pliniocorreadeoliveira.info/Tribalismo_c_capa_live_index.pdf

Não caiamos no erro condenado na Sagrada Escritura: “um abismo atrai outro abismo”. Se o excesso da revolução industrial poluiu, a solução está na volta à Sabedoria. Não se corrige um erro precipitando a humanidade numa ditadura mundial. O tribalismo é exatamente o erro oposto à revolução industrial. E a Revolução universal, usa exatamente a lei do pêndulo a fim de passar de um extremo a outro: o cansaço produzido pela revolução industrial seria substituído pelo tribalismo indígena preconizado pelo Sínodo da Amazônia e o “Novo Normal”

A Lei Natural, os Valores Morais, a alma nacional brasileira são os farois que nos devem guiar em 2021.

A missão do Brasil é ser exemplo de organicidade, respeitar a natureza humana como Deus a criou, ser modelo de Valores Morais.

Nossa Senhora Aparecida nos guie nessa providencial missão: “Esse ainda será um grande País!”

Deixe uma resposta