O zelo dos fariseus … contra o tratamento precoce

0

Bom senso é uma qualidade presente em Minas Gerais. Até há pouco, pelos menos, podia-se dizer que o senso católico tinha, nas Alterosas, um lugar privilegiado.

Não é entretanto, de bom senso, o requerimento do Deputado Sávio Souza Cruz impugnando a disposição do governador Zema em favorecer o tratamento precoce em Minas Gerais.

Para a covid-19 não vale o ditado: prevenir é melhor do que remediar?

O requerimento aprovado por 26 deputados de Minas Gerais (de um total de 77) pedindo ao governador Zema explicações sobre a possível adoção do tratamento precoce nas Alterosas faz pensar nos fariseus, zelosos do imposto da hortelã e do cominho mas esquecidos dos preceitos mais altos da Lei. (Mt 23,23).

O requerimento vem na contramão do ditado mineiro, é melhor do que remediar. A profilaxia, o tratamento precoce … para prevenir a doença ou a internação de pacientes covid-19 está se espraiando pelo Brasil … afinal, um pouco de bom senso.

Cobrando ciência, não demonstram ciência

Diz a notícia: “Sávio Souza Cruz (MDB) disse que ficou assustado com a entrevista do governador e com notícias do volume de cloroquina que teria sido destinado a Minas. “Estou querendo saber que kit é esse e que fundamentação eles encontraram para utilizá-lo.”

Vamos devolver a pergunta para o ilustre deputado Sávio Souza Cruz: também queremos saber qual a fundamentação científica que há em apoiar lockdowns, trancar todo mundo em casa … sem trabalho, sem dinheiro. Qual a fundamentação científica em não aplicar o tratamento precoce? Como fica o ditado mineiro é melhor prevenir do que remediar?

Aguardamos as comprovações científicas dessa reincidência no lockdown, uma experiência frustrada em 2020. Até a OMS declarou que nunca recomendou o lockdown como medida prioritária.

A aplicação do lockdown só tem feito agravar o número de mortes no Brasil nas últimas semanas. Não os comovem essas mortes?

As horas de crise também fazem emergir os verdadeiros líderes, os heróis

O Brasil está vendo emergir líderes autênticos quer na área médica, quer em corajosos prefeitos que implantam o tratamento precoce. Vai crescendo o número dos médicos que se levantam contra a tirania midiática do “fique em casa”, e ousam prescrever o tratamento precoce.

Uma homenagem aos Sacerdotes católicos que enfrentam e desafiam o lockdown socialista e ateu a fim de renovarem o Santo Sacrifício e administrarem os Sacramentos.

Cada vez mais municípios vão desafiando governadores que politizam a pandemia, no viés da esquerda. São prefeitos que facilitam a profilaxia e o tratamento precoce.

É assim que nascem os verdadeiros líderes, os defensores do povo, os protetores da saúde.

A Nota do Governo de Minas

“Sobre a  entrevista do último dia 17, o governador Romeu Zema expressou uma opinião pessoal em relação ao tratamento precoce. O governador não disse que Minas orientou o tratamento. O governador disse: ‘O protocolo precoce, vale lembrar, pode ser utilizado por cada médico, todos têm acesso a ele. Ele não pode ser imposto pelo Estado, forçado pelo Estado, porque muitos deles ainda não têm comprovação científica que dê conforto para o gestor da Secretaria de Saúde ou do Ministério da Saúde’, afirmou Romeu Zema. Portanto, o Governo de Minas reitera o livre exercício do profissional de saúde na condução do tratamento que julgar pertinente ao paciente, sem que haja uma determinação por parte do Estado. A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) entende que deve ser respeitada a autonomia dos municípios em adotar ou não as diretrizes publicadas pelo Ministério da Saúde (MS) no enfrentamento à covid-19.  O papel da secretaria é logístico, ou seja, realiza a distribuição dos medicamentos àqueles que solicitam via sistema do MS.  A SES-MG, também, entende que cabe ao médico a autonomia para a prescrição medicamentosa, não sendo papel da SES interferir na relação médico-paciente”.

***

A atitude cega e apaixonada de governadores, prefeitos, deputados em favor do lockdown, esse negacionismo em relação ao tratamento precoce, a guerra político-midiática contra a Ivermectina e a Hidroxicloroquina mais se assemelham àqueles que enxergam um cisco no olho alheio e não vêm a trave em seus próprios olhos. (Mt 7-3,5).

Se considerassem a pandemia com objetividade usariam de todos os meios para prevenir ou curar os doentes ao invés de procurarem o cisco no olho alheio.

Esperamos que o Sr. Governador Zema, seguindo o bom senso nativo, saiba propiciar o tratamento precoce, favorecer a corrente médica que o aplica e manter-se acima das críticas midiáticas e dos holofotes da esquerda.

Essa é a hora em que emergem os heróis nacionais, aqueles que amam o Brasil e defendem a saúde pública. E é isso que ficará registrado nos Anais da História e no Livro da Vida.

O Brasil espera que cada um cumpra o seu dever!“, disse o Almirante Barroso. Nossa Senhora Aparecida proteja o seu tão amado Brasil.

Fonte: https://www.otempo.com.br/politica/aparte/assembleia-cobra-explicacoes-de-zema-sobre-tratamento-precoce-em-minas-1.2464330

Deixe uma resposta