Obrigam o exército a dar pensão a “casal” homossexual: perigoso precedente.

Márcio Pereira das Virgens

Ancelmo Góis, em sua coluna de “O Globo” de 17 de fevereiro de 2011, traz preocupante notícia sobre os ditos direitos dos “casais” homossexuais.

A 2ª Vara Federal de Juiz de Fora-MG determinou em tutela antecipada uma decisão inédita: o exército brasileiro teve que acrescentar em sua folha de pagamento José Américo Grippi, por ter vivido 16 anos com o primeiro-tenente Darci Teixeira Dutra, já falecido. A pensão será dividida com duas irmãs do militar.

Uma decisão assim, em um país tão profundamente cristão como é o Brasil, que sombras não projeta no horizonte? Essa tutela antecipada obriga o exército –  cuja missão é salvaguardar o bem comum –  a favorecer uma relação viciosa e portanto diametralmente oposta à moral que deve reinar em seus quadros.

Um perigoso precedente foi aberto. Afinal, o primeiro passo é sempre o mais difícil. Já o segundo, é só mais um.