Parada homossexual em Belgrado vira batalha campal

    Luis Dufaur

    Parada homosexual era imprudência, previa prefeito de Belgrado

    A Parada Homossexual 2010 transformou o centro de Belgrado (Sérvia) num campo de batalha que envolveu manifestantes, opositores e 5.000 policiais, e resultou em centenas de feridos além de 249 pessoas presas, informou a imprensa internacional.

    Isto é um desastre, uma tragédia”, confessou um policial consternado pelas violências.

    Os organizadores da Marcha procuraram refúgio na embaixada francesa e agora estão sob custodia policial. Um ativista lamentou a censura moral do povo búlgaro dizendo que “ser homossexual na Servia é quase uma tortura”.

    A Parada foi como uma provocação e a briga estava anunciada após milhares de cidadãos manifestarem sua inconformidade com o evento no dia anterior. Os cidadãos protestaram em nome da religião e da moral, liderados pelo clero local, majoritariamente cismático.

    O prefeito da cidade não aprovou a Parada julgando-a imprudente, mas os homossexuais foram estimulados e protegidos por

    Para a população de Belgrado, a parada era provocação contra a religião

    representantes da União Européia e o apoio do ex-presidente Bill Clinton.

    Os opositores queixam-se do governo que apóia atos do gênero e nada faz para ajudar à família, segundo a “Folha”.

    A Revolução Homossexual não progride tanto pelo recrutamento de novos adeptos quanto pela impunidade, promoção e estímulo de certos ambientes políticos e midiáticos que querem mudar a mentalidade dos povos por razões ideológicas igualitárias.

    Mas, as populações resistem a isso sobre tudo quando percebem que sua religião está sendo ofendida. A ofensiva homossexual prepara conflitos sociais de uma magnitude insuspeitada até agora.