Segundo informa a Folha de São Paulo (11 de abril de 2011), apesar da grande maioria do povo ter dito não ao desarmamento, o governo irá antecipar a campanha deste ano e pretende convocar novo referendo.

O ministro da justiça, José Eduardo Cardozo, confirmou que irá antecipar para maio a campanha do desarmamento. A mesma estava programada para junho ou julho deste ano, mas o governo decidiu antecipá-la devido à tragédia na escola do bairro do Realengo, RJ.

Vamos convidar várias entidades e iremos definir o funcionamento da campanha“, disse Cardozo. E entre as organizações participarão a OAB, a CNBB, a Rede Desarma Brasil e o CNJ (Conselho Nacional de Justiça). Da parte do governo irão participar representantes da Secretaria de Direitos Humanos e do Ministério da Defesa.

Segundo o ministro, nas três campanhas anteriores, foram colhidas cerca de 500 mil armas brancas e de fogo, desta vez o recolhimento das armas durará até o fim do ano.

Já o presidente do Senado, José Sarney, disse que vai apresentar uma proposta da realização de um novo referendo sobre o desarmamento. “Rui Barbosa já dizia que só quem não muda são as pedras ou do bem para o mal e do mal para o pior. Nesse caso, estamos mudando do mal para o bem“, disse ele.

Sarney chegou a ponto de defender a revogação do Estatuto do Desarmamento, que decidiu pela manutenção da venda de armas no Brasil após o referendo de 2005.

No dia 23 de outubro de 2005, a imensa maioria dos brasileiros disse NÃO ao desarmamento do cidadão honesto. Não houve um estado em que o SIM prevaleceu. Isso demonstra que o povo brasileiro não quer ser desarmado. Demonstra que o povo brasileiro não é um bando de hipócritas que acredita que o bandido irá entregar sua arma.

Aliás, casos como o que ocorreu em Realengo irão se multiplicar não só nas escolas, mas também em shoppings, parques, e até em nossas casas. Afinal não sejamos ingênuos de achar que o delinquente que cometeu aquele crime tinha uma arma legalizada.

Mas o senhor Ministro da Justiça e seus seguidores acham que os bandidos, no fundo, são bonzinhos e que basta dizer a eles: “Por favor, senhor bandido, queira entregar sua arma!” e tudo está resolvido.