PME Guarulhos

Envie facilmente uma mensagem de protesto aos vereadores de Guarulhos, SP, contra a inclusão da Ideologia de Gênero no PME da cidade.

Clique aqui para protestar

Não corrompam nossas crianças através da “Ideologia de Gênero”

A Ação Jovem do IPCO está promovendo uma campanha nacional de abaixo-assinados que serão enviados para o Presidente Michel Temer pedindo a exclusão da satânica "Ideologia de Gênero" da Base Nacional Comum Curricular - BNCC.

Clique aqui e assine já!

 

6 COMENTÁRIOS

  1. O povo de Barra de São Francisco – ES repudiou veementemente a Ideologia de Genero que estava embutida sorrateiramente no Plano Municipal de Educação. Segmentos da comunidade compareceram à Câmara e obrigaram que a menção a essa aberração imposta pelo PT fosse retirada do Plano. PARABÉNS AO POVO, ORDEIRO, RELIGIOSO E TRABALHADOR DE BARRA DE SÃO FRANCISCO-ES.

     
  2. É UM ABSURDO TUDO ISSO,CONFESSO QUE É ATÉ DIFICIL DE ACREDITAR !
    ENFIM VOU FAZER O POSSIVEL E O IMPOSSIVEL PARA PROTEGER NOSSA CRIANÇAS E FAMILIA.
    É UM DESRESPEITO COM DEUS E COM AS CRIANÇAS.

     
  3. NIlo Sergio:
    Povo de Guarulhos, diga não a ideologia de gênero, veja porque:

    Você já ouviu falar sobre a “Ideologia de gênero”? Seus filhos e SUA família estão em PERIGO

    Conheça esta ideologia e entenda o PERIGO que está correndo você e seus filhos.
    Você sabia que existem pessoas que estão trabalhando para confundir a cabeça de seus filhos?
    Você sabia que estão investindo milhares de reais, tirados dos cofres públicos, para modificarem o comportamento sexual de nossas crianças?
    Você sabia que estão querendo transformar nossas escolas em laboratórios para a manipulação da personalidade dos seus filhos?
    Por isso, você precisa saber o que é e como está sendo introduzida em nosso país a “Ideologia
    de Gênero”.
    O que é a “Ideologia de Gênero”?
    A “Ideologia de Gênero” afirma que ninguém nasce homem ou mulher, mas deve construir sua própria identidade, isto é, o seu gênero, ao longo da vida.
    O que significa “gênero”, então?
    “Gênero” seria uma construção pessoal, auto-definida, e ninguém deveria ser identificado como “homem” ou “mulher”, mas teria de inventar sua própria identidade.
    Quer dizer que essas pessoas acham que “ser homem” e “ser mulher” são papéis que cada um representa como quiser?
    Exatamente. Para eles, não existe “homem” ou “mulher”, é cada um que deve inventar sua própria personalidade, como quiser.
    MAS ISSO É UMA LOUCURA! POR QUE ALGUÉM IRIA QUERER ISSO?
    Talvez você já tenha visto na televisão alguém dizer que a família é uma instituição antiquada, e que os tempos mudaram, que precisamos “abrir a cabeça”?
    Existem organizações muito ocupadas em destruir nossas famílias. Dizem que o povo é muito fora de moda e que precisamos deixar os ensinamentos dos antigos e nos abrirmos às novidades. E que novidades!
    Como não estão conseguindo mudar a cabeça da população, inventaram novos recursos para nos sabotarem. O mais disfarçado e perigoso é a “Ideologia de Gênero”.
    Somente desde o ano de 2012, mais de quinze “Projetos de Lei” foram apresentados no “Congresso Nacional” tentando introduzir o termo “gênero”. E garanto que você não estava sabendo disso!!!
    Em 2014, grupos de estudantes, professores e muitos pais, conseguiram convencer nossos deputados a retirarem a “Ideologia de Gênero” do “Plano Nacional de Educação”.
    Foi uma batalha difícil. E não foi transmitida pelos telejornais, pois não interessa aos poderosos.
    Contudo, neste ano de 2015, o atual governo não desiste de seus planos.
    A Lei 13.005, de 25 de junho de 2014, estipula que o Distrito Federal e todos os Estados e Municípios do Brasil façam seu “Plano Estadual de Educação” e seu “Plano Municipal de Educação”, incluindo aí, novamente, a “Ideologia de gênero”.
    Como isso acontecerá?
    Em todas as “Assembleias Legislativas” dos Estados e nas “Câmaras de Vereadores” dos Municípios os deputados estaduais e vereadores terão de aprovar estes Planos.
    Por isso, você precisa comparecer junto aos deputados estaduais e vereadores solicitando que eles não coloquem o termo “gênero” e “orientação sexual” em nenhum artigo ou parágrafo da lei, e nem nas metas do Plano de Educação Estadual ou Municipal.
    Caso contrário, todas as Escolas, de ensino público e privado, terão de adotar a “Ideologia
    de Gênero”.
    O que acontecerá, caso aprovem a “Ideologia de Gênero” nas Escolas?
    Acontecerá que todas as nossas crianças deverão aprender que não são meninos ou meninas, e que precisam inventar um gênero para si mesmas.
    Para isso, receberão materiais didáticos destinados a deformarem sua identidade. E isso seria obrigatório, por lei. Os pais que se opuserem, poderiam ser criminalizados, por isso.
    O que fazer, então?
    Procure a Câmara de Vereadores de seu Município e a Assembleia Legislativa de seu Estado, converse com os vereadores e com os deputados estaduais. Eles foram eleitos com seu voto. Mais do que nunca, eles precisam defender nossas crianças.
    As famílias do Brasil lhe agradecem!!!
    Repúdio à Ideologia de Gênero no PME
    Prezado Sr. Vereador,
    Venho, por meio desta, manifestar meu firme protesto contra a inclusão da Ideologia de Gênero no Plano Municipal de Educação (PME). Tal ideologia foi rejeitada no texto final do Plano Nacional de Educação (PNE), em abril de 2014 no Congresso Nacional, mas foi inexplicavelmente incluída, de modo sorrateiro, nos programas dos quase 6.000 municípios brasileiros.
    Não só vemos o descompasso disto que se propõe em nosso município com a decisão do Congresso Nacional, mas também o desacordo com a própria natureza humana criada por Deus, que fez homem e mulher. Não existe assexualidade física nem psicológica, Sr. Vereador, como propugnam os idealizadores da nefasta teoria de gênero. E não queremos que esse absurdo seja ensinado a nossos filhos, os quais confiamos (mesmo por que é obrigatório…) às instituições públicas de ensino para a instrução básica.
    Nossos filhos são vítimas de uma revolução sexual promovida por uma aliança de poderosas organizações, forças políticas e meios de comunicação, a qual atenta contra a própria existência da família como célula básica da sociedade.
    Já sofremos uma imposição implacável de costumes imorais, contrários à lei natural e divina, e não queremos que nossas escolas sejam mais um adversário da instituição familiar.
    Rejeitamos o ensino da Ideologia de Gênero, a qual muitos PME querem implantar na cabeça de nossos filhos desde a mais tenra infância.
    Sr. Vereador, pedimos instantemente que verifique se no PME de nossa cidade estão contidos termos como: “gênero”, “identidade de gênero”, “transsexualidade”, “diversidade sexual” e mesmo educação sexual, a qual é reservada à família e não à escola.
    Se tais termos estiverem no PME, pedimos que rejeite o texto e exija a EXCLUSÃO dos mesmos. O atendimento a esse nosso justo pedido, servirá de critério favorável para nossa escolha nas próximas eleições.
    A família brasileira agradece a atenção e espera sua colaboração nessa luta desproporcional para nós, pais e mães, cujo tempo é tão escasso, e por isso não podemos acompanhar pessoalmente as votações. E vemos com muito temor o aparecimento de claques de agitadores que se fazem passar pela “voz do povo”, exigindo absurdos como a “Ideologia de Gênero” e similares.
    Aguardamos sua resposta.
    ASSINATURA
    CIDADE/ESTADO

     
  4. Os vereadores da Prefeitura Municipal de Vitória – Espírito Santo, aprovaram o Plano Municipal de Educação, eliminando todas as citações e referências a chamada ideologia de gênero e de orientação sexual. Os vereadores do Município de Vitória estão de parabéns. Eles conhecem e sabem o que é respeitar a verdadeira família tradicional cristã.

     
  5. Povo de Guarulhos, diga não a ideologia de gênero, veja porque:

    Você já ouviu falar sobre a “Ideologia de gênero”? Seus filhos e SUA família estão em PERIGO

    Conheça esta ideologia e entenda o PERIGO que está correndo você e seus filhos.
    Você sabia que existem pessoas que estão trabalhando para confundir a cabeça de seus filhos?
    Você sabia que estão investindo milhares de reais, tirados dos cofres públicos, para modificarem o comportamento sexual de nossas crianças?
    Você sabia que estão querendo transformar nossas escolas em laboratórios para a manipulação da personalidade dos seus filhos?
    Por isso, você precisa saber o que é e como está sendo introduzida em nosso país a “Ideologia
    de Gênero”.
    O que é a “Ideologia de Gênero”?
    A “Ideologia de Gênero” afirma que ninguém nasce homem ou mulher, mas deve construir sua própria identidade, isto é, o seu gênero, ao longo da vida.
    O que significa “gênero”, então?
    “Gênero” seria uma construção pessoal, auto-definida, e ninguém deveria ser identificado como “homem” ou “mulher”, mas teria de inventar sua própria identidade.
    Quer dizer que essas pessoas acham que “ser homem” e “ser mulher” são papéis que cada um representa como quiser?
    Exatamente. Para eles, não existe “homem” ou “mulher”, é cada um que deve inventar sua própria personalidade, como quiser.
    MAS ISSO É UMA LOUCURA! POR QUE ALGUÉM IRIA QUERER ISSO?
    Talvez você já tenha visto na televisão alguém dizer que a família é uma instituição antiquada, e que os tempos mudaram, que precisamos “abrir a cabeça”?
    Existem organizações muito ocupadas em destruir nossas famílias. Dizem que o povo é muito fora de moda e que precisamos deixar os ensinamentos dos antigos e nos abrirmos às novidades. E que novidades!
    Como não estão conseguindo mudar a cabeça da população, inventaram novos recursos para nos sabotarem. O mais disfarçado e perigoso é a “Ideologia de Gênero”.
    Somente desde o ano de 2012, mais de quinze “Projetos de Lei” foram apresentados no “Congresso Nacional” tentando introduzir o termo “gênero”. E garanto que você não estava sabendo disso!!!
    Em 2014, grupos de estudantes, professores e muitos pais, conseguiram convencer nossos deputados a retirarem a “Ideologia de Gênero” do “Plano Nacional de Educação”.
    Foi uma batalha difícil. E não foi transmitida pelos telejornais, pois não interessa aos poderosos.
    Contudo, neste ano de 2015, o atual governo não desiste de seus planos.
    A Lei 13.005, de 25 de junho de 2014, estipula que o Distrito Federal e todos os Estados e Municípios do Brasil façam seu “Plano Estadual de Educação” e seu “Plano Municipal de Educação”, incluindo aí, novamente, a “Ideologia de gênero”.
    Como isso acontecerá?
    Em todas as “Assembleias Legislativas” dos Estados e nas “Câmaras de Vereadores” dos Municípios os deputados estaduais e vereadores terão de aprovar estes Planos.
    Por isso, você precisa comparecer junto aos deputados estaduais e vereadores solicitando que eles não coloquem o termo “gênero” e “orientação sexual” em nenhum artigo ou parágrafo da lei, e nem nas metas do Plano de Educação Estadual ou Municipal.
    Caso contrário, todas as Escolas, de ensino público e privado, terão de adotar a “Ideologia
    de Gênero”.
    O que acontecerá, caso aprovem a “Ideologia de Gênero” nas Escolas?
    Acontecerá que todas as nossas crianças deverão aprender que não são meninos ou meninas, e que precisam inventar um gênero para si mesmas.
    Para isso, receberão materiais didáticos destinados a deformarem sua identidade. E isso seria obrigatório, por lei. Os pais que se opuserem, poderiam ser criminalizados, por isso.
    O que fazer, então?
    Procure a Câmara de Vereadores de seu Município e a Assembleia Legislativa de seu Estado, converse com os vereadores e com os deputados estaduais. Eles foram eleitos com seu voto. Mais do que nunca, eles precisam defender nossas crianças.
    As famílias do Brasil lhe agradecem!!!
    Repúdio à Ideologia de Gênero no PME
    Prezado Sr. Vereador,
    Venho, por meio desta, manifestar meu firme protesto contra a inclusão da Ideologia de Gênero no Plano Municipal de Educação (PME). Tal ideologia foi rejeitada no texto final do Plano Nacional de Educação (PNE), em abril de 2014 no Congresso Nacional, mas foi inexplicavelmente incluída, de modo sorrateiro, nos programas dos quase 6.000 municípios brasileiros.
    Não só vemos o descompasso disto que se propõe em nosso município com a decisão do Congresso Nacional, mas também o desacordo com a própria natureza humana criada por Deus, que fez homem e mulher. Não existe assexualidade física nem psicológica, Sr. Vereador, como propugnam os idealizadores da nefasta teoria de gênero. E não queremos que esse absurdo seja ensinado a nossos filhos, os quais confiamos (mesmo por que é obrigatório…) às instituições públicas de ensino para a instrução básica.
    Nossos filhos são vítimas de uma revolução sexual promovida por uma aliança de poderosas organizações, forças políticas e meios de comunicação, a qual atenta contra a própria existência da família como célula básica da sociedade.
    Já sofremos uma imposição implacável de costumes imorais, contrários à lei natural e divina, e não queremos que nossas escolas sejam mais um adversário da instituição familiar.
    Rejeitamos o ensino da Ideologia de Gênero, a qual muitos PME querem implantar na cabeça de nossos filhos desde a mais tenra infância.
    Sr. Vereador, pedimos instantemente que verifique se no PME de nossa cidade estão contidos termos como: “gênero”, “identidade de gênero”, “transsexualidade”, “diversidade sexual” e mesmo educação sexual, a qual é reservada à família e não à escola.
    Se tais termos estiverem no PME, pedimos que rejeite o texto e exija a EXCLUSÃO dos mesmos. O atendimento a esse nosso justo pedido, servirá de critério favorável para nossa escolha nas próximas eleições.
    A família brasileira agradece a atenção e espera sua colaboração nessa luta desproporcional para nós, pais e mães, cujo tempo é tão escasso, e por isso não podemos acompanhar pessoalmente as votações. E vemos com muito temor o aparecimento de claques de agitadores que se fazem passar pela “voz do povo”, exigindo absurdos como a “Ideologia de Gênero” e similares.
    Aguardamos sua resposta.
    ASSINATURA
    CIDADE/ESTADO

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome