Assim como o público brasileiro rejeitou a esquerda, o presidente Lacalle Pou dá uma guinada para a direita no Uruguai.

Informa o Panampost: “Para conseguir essa mudança drástica nas políticas implementadas no país durante os últimos quinze anos da Frente Ampla, sua coalizão terá que trabalhar cirurgicamente. Até agora, só obteve sucesso: acordos com um grande número de ministros, alianças com o Partido Colorado e o Open Cabildo, e derrotando a moção no Senado da Frente Ampla”.

São 502 artigos apresentados na Lei de Consideração Urgente do executivo

Muitos esquecem os dados fundamentais que explicam por que as reformas são urgentes:

— nos últimos dois anos, o desemprego no Uruguai aumentou;

— a pobreza aumentou,

— a taxa de homicídios passou de 8 para 11 por 100.000 habitantes de 2017 a 2018;

— a porcentagem de assaltos e roubos violentos também aumentou;

 

— o uruguaio vive dois anos de contração no PIB – caiu de 2,7 para 1,8 de 2017 para 2018 e de 1,8 para 1,5 de 2018 para 2019.

— apenas 36,3% dos jovens uruguaios terminam o ensino médio a tempo;

— na área fiscal, o déficit aumentou de 2,7% para 4,8%.

Descentralizar é banir o socialismo da vida pública

Informa o Panampost: “A posição de Lacalle é muito clara: abrir a economia ao mundo e ao livre mercado. O oposto do que seu vizinho, Argentina, está fazendo do outro lado do Rio da Prata”.

“No total, a iniciativa do governo contém 501 artigos e uma gigantesca reforma no país. As questões mais importantes são a redução do tamanho do estado, o aperto do código penal, o enfrentamento do déficit fiscal, o controle dos gastos públicos (diminuindo-o) para melhorar o senso de consideração financeira”.

“As reformas também incluem mudanças na operação de empresas públicas que controlam setores importantes como eletricidade, água, combustível ou telecomunicações. Além de propor a revogação de mais de sessenta leis aprovadas pela Frente Ampla por quinze anos. Nesse caso, as regras do jogo no setor educacional mudariam completamente”.

Combater o coronavírus sem confinamento

“Um ponto a considerar é a credibilidade que a administração de Lacalle Pou gerou ao lidar com a pandemia. O Uruguai conseguiu impedir a proliferação do coronavírus sem um modelo rígido e restritivo de contenção.

Portanto, as críticas da oposição esquerdista ao poder executivo foram rejeitadas. O Uruguai tem uma taxa de mortalidade bastante baixa, um bom número de recuperações (mais de 50%) e um grande número de testes diários, considerando o número de pessoas.

Valores Morais

Infelizmente a notícia de panampost não trata dos Valores Morais. Não basta a uma Nação rejeitar as propostas econômicas da esquerda. Essa é uma parte necessária e indispensável.

Entretanto, a argamassa que une os tijolos, se chama Valores Morais.

Esperamos que os esforços do Presidente Lacalle Pou cancelem a venda da maconha em farmácias, revoguem leis de aborto e propicie uma agenda de Valores Morais.

Fonte: https://panampost.com/emmanuel-rondon/2020/05/04/uruguayan-presidents-reform/

Deixe uma resposta