O Martirológio Romano tem a seguinte entrada a 20 de dezembro: “Na Espanha, o sepultamento de São Domingos de Silos, abade, da Ordem de São Bento, celebérrimo pelos milagres que operava na libertação de cristãos cativos”.

Natural de Cañas, em La Rioja, onde nasceu pelo ano 1000, de pequeno apascentou o gado de seu pai, e depois levou por certo tempo a vida solitária; finalmente, foi para o mosteiro beneditino de Santo Emiliano, onde estudou as divinas letras. Ordenado sacerdote, confiaram-lhe a reforma da paróquia de Santa Maria em sua cidade natal. Deu tão boa conta dessa função, que o chamaram de volta a Santo Emiliano, onde o escolheram para prior.

Um dia, o príncipe da Navarra, sem dinheiro para as suas guerras, veio ao mosteiro exigir uma contribuição exorbitante. Os monges estavam dispostos a ceder, mas o prior deu uma recusa humilde e categórica, que contrariou muito o príncipe. Fugindo de sua vingança, Domingos exilou-se em Burgos, onde Fernando Magno, rei de Castela e Aragão, o recebeu em seu palácio. São Domingos queria, todavia, retirar-se para um eremitério fora da cidade. O rei então cedeu-lhe no dia 14 de janeiro de 1041 o mosteiro de São Sebastião de Silos, quase abandonado.

Domingos restabeleceu o louvor divino diurno e noturno. Seu contemporâneo, Grimaldo, monge de Silos, diz que, para animar o santo, um anjo lhe prometeu em sonhos três coroas: uma por ter abandonado o mundo perverso e se ter encaminhado para a vida perfeita; outra por ter construído Santa Maria de Cañas e ter observado a castidade perfeita; e a terceira pela restauração de Silos.

O abade libertou bom número de escravos cristãos detido pelos mouros. Aos poucos, tornou-se um dos homens mais populares da Espanha, e grande taumaturgo. São Domingos não descuidava a cultura. Reuniu para a biblioteca do mosteiro uma bela coleção de manuscritos em caracteres visigóticos, e conseguiu que alguns monges se tornassem bons letrados para estudá-los.

O abade de Silos morreu no dia 20 de dezembro de 1073, entre os seus numerosos filhos espirituais, assistido pelo bispo de Burgos. Foi sepultado no claustro do seu mosteiro. Multiplicando-se os milagres por sua intercessão, o mesmo bispo transferiu-lhe o corpo para a igreja do mosteiro de São Sebastião, que foi perdendo seu nome e passando a adotar o de São Domingos. Esse santo é titular de umas cinqüenta igrejas na Espanha. As regiões meridionais honravam-no especialmente por causa dos cativos libertos. As futuras mães invocavam-no para terem bom parto. Quando uma rainha da Espanha estava prestes a ser mãe, o abade de Silos levava para o palácio real o báculo de São Domingos, e esta relíquia lá permanecia até se dar o feliz acontecimento.

Até hoje os monges de São Domingos de Silos são dos melhores interpretes do canto gregoriano.

Gostaria de receber as atualizações em seu email?

Basta digitar o seu endereço de email abaixo e clicar em “Assinar”.