Nazismo e comunismo: verso e reverso da mesma medalha.

O documentado e excelente site pliniocorreadeoliveira.info faz justiça e reparação à memória de um brasileiro que previu o Pacto Ribbentrop-Molotov na contra mão de toda midia do século XX.

Sob a égide sinistra de Lenine Ribbentrop e Molotov pactuam

Para evitar as prescrições da História

Comenta o site: “No dia 23 de agosto é assinado o pacto entre o Ministro Exterior soviético Vyacheslav Molotov e o Ministro Exterior nazista Joachim von Ribbentrop, o famoso pacto Molotov-Ribbentrop, foto acima. Encostado junto à parede, o segundo da direita para a esquerda, com seu volumoso bigode e sorriso sinistro, Stalin”.

Nossos leitores se lembram da declaração do Chanceler Ernesto Araujo, 29 de março, Correio Brasiliense — “o nazismo e o fascismo são resultados de ´fenômenos de esquerda´”– que provocou uma intempestiva, ácida e irracional reação na midia de esquerda (e do falso centro). Nosso site publicou, baseado em fatos históricos, (2.396 artigos) que o “nazismo e comunismo são o verso e reverso da mesma medalha”.https://ipco.org.br/nazismo-comunismo-verso-e-reverso-da-mesma-medalha/

  1939: o Pacto confirma as previsões do Prof. Plinio

Fac simile da confirmação da previsão, agosto de 1939

“Toda a orientação política desta Folha (Legionário) girou sempre em torno da convicção central e fundamental de que entre o nazismo e o comunismo a aparente oposição se resolvia, em última análise, em uma mal disfarçada solidariedade”.

Segundo a midia daqueles tempos, “o mundo se encontrava cindido em dois campos antagônicos, o das direitas e o das esquerdas. De um lado, pois, todo o grupo de potências signatárias do pacto anti-Komintern, bem como as correntes políticas que, nos países democráticos, preconizam a aliança com tal bloco. Em outros termos, em um dos campos estariam o nazismo, o fascismo, o falangismo espanhol, o rexismo, as “Croix de Feu” francesas, os fascistas ingleses de “sir” R. Owen, etc., etc. Em outro campo, estariam os liberais, democratas, socialistas e comunistas”.

Continua o Prof. Plinio: “Dentro do molejo férreo desta lógica simplista, como facilmente se pode imaginar, o “Legionário” ficava mal situado. E, por isto mesmo os ataques e até as injúrias as mais pesadas não lhe faltaram. Guardamos ciosamente em nossos arquivos cartas de fascistas e nazistas afirmando de pés juntos que o “Legionário” se alimentava com dinheiro de Moscou“.

As chamadas “direitas” eram “pseudo-direitas”

O Prof. Plinio previu o Pacto aos 30 anos

“Entretanto, o que o “Legionário” sempre sustentou justificava amplamente sua posição. Se, realmente, o mundo estivesse dividido entre direitas e esquerdas, a posição dos católicos não poderia deixar de estar nas direitas. Mas as direitas comumente chamadas tais não eram, em última análise, senão pseudo-direitas que ocultavam um conteúdo doutrinário profundamente esquerdista. E o comunismo e o nazismo eram irmãos xifópagos que se entregladiavam “pour épater les bourgeois” (para iludir os ingênuos, n.d.c.).

“Quanta risota cética, quanta dúvida enunciada com a pretensão de quem via em nós uma meia dúzia de fantasistas divorciados do senso comum!”

Uma alerta para o Brasil de 2019: os “comentários condimentados pela mídia” servem à esquerda

… “nem a evidência dos fatos que se desenrolavam, conseguiu persuadir certos espíritos que não se animam a ver as coisas por outro prisma senão pelos comentários mais ou menos condimentados das agências telegráficas”. (recorde-se que em 1939 as notícias chegavam através das agências telegráficas).

“Finalmente, os fatos aí estão (o Pacto entre Rússia e Alemanha foi assinado). E o “Legionário”, para provar a seus leitores quanta razão lhe assistia, publica aqui uma resenha de todas as notícias e comentários que fez no ano corrente, prevendo o monstruoso conúbio que o mundo inteiro contemplou boquiaberto e estarrecido”.

“Neste momento, entretanto, não nos move um pensamento de vanglória, mas um desejo de encaminhar para o conhecimento da verdade objetiva o maior número possível de leitores”.

Comunismo e nazismo são ateus, materialistas, partidários da onipotência do Estado

Em 1938 escrevia o Prof. Plinio: “Se reduzirmos ao devido valor os termos “nazismo” e “comunismo”, a diferença entre ambos é insignificante. O comunista é ateu, materialista e partidário da onipotência do Estado. O nazista não é menos ateu, nem menos materialista nem menos estatolatra. A imoralidade comunista é satânica. E a obra paganisadora do nazismo não o é menos. Porque em nossos dias, erguer altares a ídolos decrépitos e ilusórios, abater as cruzes e perseguir a Santa Igreja não é obra apenas das más inclinações do homem, como pode ter sido uma ou outra vez antes de Constantino. Hitler, exatamente como Juliano o Apóstata, é um fenômeno histórico que não se explica sem a ação do demônio”.

“Optar entre o comunismo e o nazismo é optar, portanto, entre Lúcifer e Belzebuth, entre o demônio e o demônio”. https://pliniocorreadeoliveira.info/LEG%20381002_Osfrutosideol%C3%B3gicosdapaz.htm

* * *

Importância real ou importância midiática? Nesta virada conservadora do Brasil tenhamos bem presente que os “comentários condimentados” da midia nem sempre nos conduzem à importância real dos atores ou acontecimentos.

Prova? Ai está: 80 anos de uma histórica previsão de um brasileiro, que a “midia condimentada” finge não saber!

2 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta