Em plena pandemia, no decurso do ano 2020, fecharam-se as igrejas, cerceou-se o acesso aos sacramentos e as festas públicas católicas, impedindo os católicos do mundo todo de se tornarem o Trigo, que o próprio Nosso Senhor Jesus Cristo recolherá.

Entretanto, temos de outro lado o “ecumenismo” religioso, — já se passaram mais de dois anos desde Declaração de Abu Dhabi em 2019, assinada pelo Papa Francisco e o Grande Imame de Al-Azhar, Ahmad Al-Tayyib, — que vem encontrando resistência por parte dos católicos, agravando assim seu estado clínico. Sim, esse tipo de ecumenismo a todo custo, vai fracassando.

Poderia ele receber uma lufada de oxigênio revigorante? Para isto vem em seu auxílio a idéia de “Fraternidade” defendida pelo Papa no seu primeiro vídeo desse ano, conforme o site espanhol Infovaticana, no seu artigo, para “Francisco: “A Igreja valoriza a ação de Deus nas outras religiões””. ¹

Declarou o pontífice: ““Orando a Deus seguindo Jesus, nos unimos como irmãos com aqueles que oram seguindo outras culturas, outras tradições e outras crenças. Somos irmãos que rezam”, afirma o Papa na mensagem.”. ¹

 “A fraternidade leva-nos a abrir-nos ao Pai de todos e a ver no outro um irmão, uma irmã para partilhar a vida ou apoiar-se, amar, conhecer», assinala Sua Santidade no vídeo em que se vêm juntos um judeu, um muçulmano e um cristão.”. ¹

Continua:A Igreja valoriza a ação de Deus nas outras religiões, sem esquecer que para nós, cristãos, a fonte da dignidade humana e da fraternidade está no Evangelho de Jesus Cristo”, explica o Santo Padre.”[…]. ¹

 “«Rezemos para que o Senhor nos dê a graça de viver em plena fraternidade com os irmãos e irmãs de outra religião e não sair por aí lutando, rezando uns pelos outros, abrindo-nos a todos»” ¹, conclui o Papa Francisco.

Deve-se separar o joio do trigo? A “Fraternidade” defendida pelo Papa Francisco vem protegendo mais o Joio do que propriamente purificando o Trigo. Trigo este que, sem dúvida, se tornará os filhos do Reino dos céus, do Filho do homem, como São Mateus nos revelou.

E há outras consequências negativas para a Fé advindas desse novo conceito de “Fraternidade”. O Apostolado Católico perde sua razão de existir. A convicção que um católico tem que ter na Fé Católica, na sua instituição Divina regada pelo preciosíssimo Sangue de Jesus Cristo, e que a Verdade plena e eterna se esvanecerá ao ponto que poderá ele se questionar por que devo me converter ou mais ainda converter o próximo? O apostolado católico inclusive também com um mulçumano ou um simples ateu já não faz sentido.

Teria algum sentido – na perspectiva dessa nova “Fraternidade” — Nosso Senhor dar esse Mandato aos Apóstolos: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado…? (São Marcos 16:15,16).

Este parece ser sim, o verdadeiro significado da palavra Ecumenismo: Tornar todos em comum, professando uma mesma Fé … Um só rebanho, um só Pastor que só pode ser Nosso Senhor Jesus Cristo que fundou uma única Igreja, católica, apostólica, romana.

“Fraternidade”, com seu sentido elástico vem criando uma perplexidade nos meios católicos.

O jornalista da InfoVaticana, Carlos Esteban escreve sua consternação ao ver o vídeo de Sua Santidade logo após retornar do batizado de sua neta, sacramento pelo qual a netinha deixava de ser uma mera criatura e passara a se tornar uma filha de Deus, nascendo para a vida da “graça e incorporação no Corpo místico de Cristo.”. ²

Consterna-se o Sr. Esteban: “Mas quando voltei para casa e vi o vídeo de Sua Santidade com a intenção deste mês, perguntei-me se continuará a ser possível transmitir às novas gerações de fiéis o que significa pertencer à Igreja e a marca indelével do baptismo, quando o sermão ilustrado de Francisco parece igualar as religiões como formas igualmente válidas de chegar a Deus.”. ²

O Evangelho não cita a palavra “fraternidade”: “O importante do Evangelho, diz-nos o Santo Padre, é a ‘fraternidade’, embora não apareça uma única vez no Evangelho, e não a salvação, o pecado, o céu e o inferno, que aparecem constantemente.” ²

Neste Vale de Lagrimas…: “Ser cristão não é brincadeira. Na verdade, é sempre difícil e, em muitas ocasiões ao longo da história, leva ao martírio. A história da Igreja também foi a história dos mártires, das perseguições das quais o próprio Cristo nos fala não como eventualidades desagradáveis, mas como nosso destino normal de segui-lo: “Se o mundo te odeia, saiba que me odiou a mim primeiro”.”. ²

Estarrecido o jornalista se pergunta, bem como também muitos católicos: Por que seguir este caminho espinhoso, se algum outro leva ao mesmo destino? Somos cristãos um bando de masoquistas? Ele (o Papa) acrescenta que “para nós, cristãos, a fonte da dignidade humana e da fraternidade está no Evangelho de Jesus Cristo”. Para nós? Não para os outros? Quando Cristo diz: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim”, foi mal traduzido?”. Inevitavelmente: “uma coisa não pode ser verdade e ser verdade ao mesmo tempo…,” ²

“De resto, ninguém é judeu porque usa kipá ou muçulmano porque usa véu. São religiões reais, com livros sagrados e mandamentos muito específicos. E segui-los fielmente os impediria de orar com um seguidor de Cristo, a quem o primeiro deve considerar como uma falsificaçãoe blasfemador odioso (Cristo!) e o segundo como um profeta (Cristo!) que nós, cristãos, confundimos com o próprio Deus.”. ²

Conclui: “Assim, a sonhada “fraternidade das religiões” de Francisco só seria possível entre os crentes que não levam muito a sério suas respectivas crenças.”. ²

Por ventura, um fruto bom poderá sobreviver em uma cesta com outros frutos maus? O que Nosso Senhor ensina é separar o Joio do Trigoassim protegerá o Trigo. Não estaríamos sendo expostos ao ponto de sermos confundidos com o Joio!

O Apóstolo São Paulo nos indica o caminho a seguir; combati o bom combate, percorri toda a minha carreira, guardei a fé, e agora dê-me a coroa da justiça, o prêmio celeste…

Nos resta rezar muito, mas antes de tudo fazer o bom combate. “Vigiai e Orai!”. Que dizer: pedir força para o combate!

Fontes:

¹ = https://infovaticana.com/2021/01/05/francisco-la-iglesia-valora-la-accion-de-dios-en-las-demas-religiones/

² = https://infovaticana.com/2021/01/06/nadie-va-al-padre-sino-por-mi/

Deixe uma resposta