Ação Jovem do IPCO defende a família em Audiência PÚBLICA sobre o Plano Estadual de Educação – bancada do PT, PC do B e PSOL tenta impedir

DFSMIPCO

A Ação Jovem do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira compareceu, ontem, 27/10/2015, na audiência pública convocada pela Comissão de Educação e Cultura da Assembléia Legislativa de São Paulo para debater o Plano Estadual de Educação de São Paulo.

Representando mais de 49.000 protestos enviados aos deputados através do site ipco.org.br e também a todos aqueles que se opõem a imposição da Ideologia de Gênero nas escolas, a Ação Jovem pronunciou-se, alertando os deputados contra as manobras sorrateiras para reintroduzir essa nefasta ideologia do Plano (que já foi rejeitada em anterior comissão).

O plenário estava relativamente cheio, com sindicatos e agitadores de esquerda que tentaram de todas as formas impedir o pronunciamento do coordenador da Ação Jovem, Daniel F. S. Martins. Frente a essa atitude autoritária, vários deputados presentes levantaram-se e exigiram que o regimento fosse respeitado, caso contrário encerrariam a seção. Falaram contra a atitude intolerante dos militantes de esquerda, levada a cabo sobretudo por deputados do PT, PC do B e PSOL, que tentaram transformar uma audiência PÚBLICA e aberta a todos (como em vários momentos a presidente da seção, a Dep. Rita Passos, lembrou) em uma audiência circunscrita apenas a movimentos congêneres ao seu (curiosa contradição para quem se diz defensor da “democracia” e do “diálogo”) .

Durante o ocorrido, outros voluntários do IPCO foram novamente agredidos por agitadores “INTOLERANTES” de esquerda e a polícia teve que intervir.

Rejeitamos, de maneira ordeira e legal, mas firme, essa funesta iniciativa da agenda homossexual, que tenta impor-se no Plano Estadual de Educação. Pois a vitória da Ideologia de Gênero significaria o incentivo de toda perversão sexual (incluindo o incesto e a pedofilia), a incriminação de qualquer oposição contra ela, a perda do controle dos pais sobre a educação dos filhos e a extinção da própria instituição familiar, célula básica da sociedade.

Abaixo disponibilizamos o vídeo com um relato detalhado de todo o ocorrido. Pedimos, no entanto, que compartilhem e multipliquem os protestos através da internet. A votação final poderá acontecer a qualquer momento e os militantes de esquerda estão tentando de todas as formas reverter o jogo, para implantar essa nefasta ideologia para a nossa sociedade, em especial para as crianças nos bancos escolares.

Campanha encerrada. Assine novas petições em campanhas.ipco.org.br