Ambiente terreno que produz inapetência das coisas do Céu

Vista noturna da Times Square de Nova York. Todos os recursos da propaganda luminosa estão utilizados para deslumbrar o transeunte, atrair de todos os lados sua atenção, excitá-lo pelos mais diversos processos, para por fim convencê-lo a comprar algo que de si normalmente não compraria.

Este não é senão um dos aspectos da vida de constante agitação das grandes cidades modernas. Tudo é movimento, sensação, excitação, correria.

*   *   *

O quadro famoso de Fra Angélico, representando São Domingos em meditação, constitui um contraste chocante com a primeira fotografia.

*   *   *

Seria possível à população das “urbes” babilônicas de nossos dias conservar essa distensão psíquica esplêndida, que prepara as almas para se elevarem às mais altas paragens do estudo ou da meditação? Quem não vê quanto a agitação hodierna afasta a imensa maioria dos homens do gosto de se recolherem em Deus para estudar e orar?

*   *   *

No Céu, disse Santo Agostinho, “descansando contemplaremos, contemplando amaremos, e amando louvaremos. Eis o que constituirá o nosso fim sem fim” ( De Civ. Dei, 1. XXII, c. 30, n. 5 ).

A trepidação hodierna prepara o homem para compreender e anelar esta felicidade?

__________________________

 
Artigo anteriorEfemérides – 12/08
Próximo artigoEfemérides – 13/08
Plinio Corrêa de Oliveira
Homem de fé, de pensamento, de luta e de ação, Plinio Corrêa de Oliveira (1908-1995) foi o fundador da TFP brasileira. Nele se inspiraram diversas organizações em dezenas de países, nos cinco continentes, principalmente as Associações em Defesa da Tradição, Família e Propriedade (TFP), que formam hoje a mais vasta rede de associações de inspiração católica dedicadas a combater o processo revolucionário que investe contra a Civilização Cristã. Ao longo de quase todo o século XX, Plinio Corrêa de Oliveira defendeu o Papado, a Igreja e o Ocidente Cristão contra os totalitarismos nazista e comunista, contra a influência deletéria do "american way of life", contra o processo de "autodemolição" da Igreja e tantas outras tentativas de destruição da Civilização Cristã. Considerado um dos maiores pensadores católicos da atualidade, foi descrito pelo renomado professor italiano Roberto de Mattei como o "Cruzado do Século XX".