Cardeal Gerhard Ludwig Müller

O homossexualismo é um dos pecados que, segundo a doutrina perene da Igreja Católica, “clamam aos Céus e pedem a Deus por vingança”. É também uma prática antiga que levou a cólera divina a destruir várias cidades, como Sodoma e Gomorra, ou ainda as cidades romanas de Pompéia e Herculano, destruídas pelo vulcão Vesúvio. Até há pouco tempo, esse pecado era praticado veladamente. Hoje, entretanto, ele é praticado quase a céu aberto, podendo o homossexual vir ainda a ganhar o status de cidadão acima de qualquer outro, se for aprovado o Estatuto da Diversidade Sexual e de Gênero – entenda-se Ditadura Homossexual – proposto pela senadora Marta Suplicy.

Pesa ainda sobre a pessoa que discorda dessa prática abominável a pecha de homofóbico.

Ocorre, entretanto, que, como já dissemos aqui, homofobia não existe. Corrobora essa nossa afirmação o Prefeito Emérito da Congregação para a Doutrina da Fé, Cardeal Gerhard Ludwig Müller. Ele declarou que a palavra homofobia é uma invenção do lobby homossexual para o “domínio totalitário” sobre as mentes dos outros.[i]

“A homofobia simplesmente não existe, é claramente uma invenção, um instrumento de dominação totalitária sobre o pensamento dos outros. O movimento homossexual carece de argumentos científicos e por isso construíram uma ideologia que quer dominar, buscando construir a sua realidade. É o esquema marxista, segundo o qual não é a realidade que constrói o pensamento, mas o pensamento que constrói a realidade”, destacou o Cardeal Müller. Então, continuou: “Quem não aceita esta realidade deve ser considerado doente. Como se, entre outras coisas, pudéssemos agir contra a doença com a polícia ou com os tribunais”.

O Purpurado recordou que anteriormente, “na União Soviética, os cristãos eram trancados no manicômio”, uma medida de “regimes totalitários como o nacional-socialismo e o comunismo. Atualmente, na Coreia do Norte, acontece a mesma coisa com as pessoas que não aceitam o pensamento dominante”.

O Cardeal criticou “alguns bispos [que] não têm a coragem de dizer a verdade e se sentem intimidados: não entendem que a homofobia é um engano que serve para ameaçar as pessoas”. E continuou: “Nós, cristãos, não devemos ter medo das ameaças: nos primeiros séculos, os seguidores de Cristo foram presos ou despedaçados pelos animais. Hoje as pessoas são dilaceradas com o psicoterrorismo, aproveitando da sua ignorância.”

A respeito da ideologia de gênero, disse o Cardeal que, “de um bispo, de um sacerdote, podemos esperar que seja capaz de não retroceder ante estas ideologias. Nós somos aqueles que buscam, com a graça de Deus, amar a todas as pessoas, inclusive aquelas que experimentam atração pelo mesmo sexo; mas deixando claro que amar não é obedecer à propaganda de gênero”.

No dia 29 de outubro de 1992, em entrevista a uma TV brasileira, o Prof. Plinio Corrêa de Oliveira respondeu a numerosas perguntas relativas ao homossexualismo. Ouça, a seguir, o áudio dessa entrevista:

______________________________________________

[i] https://www.acidigital.com/noticias/a-homofobia-nao-existe-e-e-uma-invencao-de-dominio-totalitario-assegura-cardeal-45749

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here