O pequeno comércio chinês tornou-se famoso pela má qualidade de seus produtos; fruto de mão de obra barata e mal remunerada. Que dizer de objetos maiores, por exemplo carros? Que fale o Latin NCAP. Como se diz em algumas partes do Brasil: por fora bela viola, por dentro pão bolorento. Na foto, o Geely CK (made in China)

Segundo noticiou Automotive Business, o Programa de Avaliação de Carros Novos para a América Latina, conhecido como Latin NCAP, testou 28 modelos de carros vendidos no Brasil. Os carros chineses JAC J3 e Geely CK foram julgados os maios inseguros. “Os produtos chineses confirmaram assim sua reconhecida fama de péssima qualidade, da qual misteriosamente pouco se fala na grande mídia” (Luis Dufaur).

Mas por que essa péssima qualidade? Há alguma explicação para isso?

O novo líder do Partido Comunista chinês, Xi Jinping, já ressaltou repetidas vezes a necessidade de combater a corrupção e proibiu demonstrações de extravagância dentro do partido e do Exército.

Aqui está a solução do enigma. Para os comunistas, qualidade é uma extravagância: ela gera a desigualdade, e a desigualdade para eles é o mal supremo. Até Confucio foi atacado por eles, por ter apoiado a burguesía!

Antigamente, o jogo internacional era a China fazer o papel de dragão feroz, e a Rússia de urso sorridente, embora com todos os crimes lesa humanidade que cometeu nem sempre o conseguisse. Hoje, para muitos, o país de Mao Tsé-Tung se converteu em um país ”normal” como os outros, e mais ainda, amante de bugigangas e de vendas no varejo, por exemplo na animada rua 25 de março, em São Paulo.

Comprar produtos chineses ou de qualquer país livre para muitos é a mesma coisa, exceto do ponto de vista da baixa qualidade, ferrete de que os amarelos não conseguem se livrar.

O  cúmulo de certa hipocrisia mostrou suas aparências para mim em Boston. Entrei numa loja de artigos religiosos e o impossível aconteceu: encontrei escapulários de Nossa Senhora do Carmo “made in China” à venda, e ainda os possuo até  hoje. Posso mostrá-los a quem duvidar.  Isso ao mesmo tempo em que persegue os cristãos, e repele como herética a sociedade de classes. O dragão amarelo sabe perfeitamente usar de duplicidade quando lhe convém.

Esse país foi muito amado por São Francisco Xavier e pelos missionários católicos que lá ainda hoje são martirizados. Ele é digno de nossa estima teórica, abstração total feita da gangue que lá se instalou e de se ter submetido aos princípios de Marx e Lenin, mas na prática…

Não corrompam nossas crianças através da “Ideologia de Gênero”

A Ação Jovem do IPCO está promovendo uma campanha nacional de abaixo-assinados que serão enviados para o Presidente Michel Temer pedindo a exclusão da satânica "Ideologia de Gênero" da Base Nacional Comum Curricular - BNCC.

Clique aqui e assine já!

 

7 COMENTÁRIOS

  1. Interessante este mundo controlado pelas empresas do Brasil, como se Uno, Gol, Celta, Palio e outros lixos fossem seguros, o Sandero Ganhou nota 0 mas na noticia acima não informa e sim detonam os chineses.

     
  2. Infelizmente, paguei para ver e acabei fazendo a pior escolha da minha vida. Independente de ser ruim ou bom, uma rede de concessionárias decente é indispensável. Mas quando você tem um carro de má qualidade (ou com índice de defeitos muito grande) e um monte de revendas incompetentes, é um desastre total para o cliente.

    Fiz um vídeo sobre a minha via crúcis com um carro da marca Chery.

     
  3. Ora!Ora! Ora! Não só escapulários made in China, mas: imagens de nossos santos católicos, dos santos Arcanjos S. Miguel, Rafael, S. Gabriel. Eu tenho estas imagens aqui e posso provar. Quando os vi numa loja de Aparecida, fiquei admirado. São até bonitinhas. Para quem nos persegue faz bem o seu jogo. Bom! Sejam carros, sejam maquinas, a industria nacional, usa cada vez mais peças fabricadas na China. Eu mesmo comprei um esmeril da Moto Mil e uma plaina linha II da Maquita, a plaina até que quebra um galho, mas o esmeril, joguei meu dinheiro fora, não presta. Quando reclamei com o vendedor; sabe qual foi a resposta? Voce queria coisa barata! Eis ai o que faz a super economia mudial, o capitalismo estatal esta dominando o mundo com porcaria, tudo descartavel, compra usa uma, no maximo duas vezes e joga fora. Como será a revenda destes carros usados? Se zero KM não atende as exigencias das normas de segurança e qualidade? É!!!!!!!!!!!!! Dois bicudos se entendem. O governo brasileiro sempre da um jeitinho, para agradar seu parceiro comercial, é um pra lá, dois pra cá, um pra cá e dois pra lá. Uai só! que trem bão uai!
    Salve Maria!

     
  4. A China é uma imensa construção erigida na areia: material-ateísta. Daí, no partido de igual forma odeia-se entre si, desconfiando-se mutuamente até da sombras uns dos outros e vivem tentando sobrepujarem-se entre si por meio dos “expurgos”, apenas os truculentos vencem a parada, como na selva.
    O resto, seus produtos, sua riqueza e tudo mais são frutos de profundas injustiças de um deus-Estado que se julga superior a tudo, com direito de vida e morte de seus lacaios, um demoníaco governo escravagista.
    Desmoronar-se é questão de tempo e tudo que provier dess a injustiça sob forma de produto terá de possuir suas características.
    Aliás, esse é o modelo que o PT tanto idolatra, seduzindo a tantos a cairem nas suas aramdilhas e que infelizmente graças a milhões de alienados católicos (des)governa.

     
  5. É dito no texto que “desigualdade é um mal supremo”. Por outro lado, a própria opção por reformas econômicas, levando o PIB chinês a uma grande expnsão, criou um abismo social entre ricos e pobres. Ou seja, desigualdade.

    A rigor, se a desigualdade é um mal supremo, por que a China não renuncia ao capitalismo? Ou há desigualdades que interessam e desigualdades que não interessam?

     
  6. Não tenho carro chines, mas já tive que comprar obrigatoriamente produtos chineses porque não havia outro e tive a infelicidade de comprovar a má qualidade desses produtos. Pior ainda é saber que é fabricado por mãos de crianças escravas.

     
  7. Houve um comentário do Sr. Boris Feldman, na ocasião da entrada no país desses carros, alertando para a baixissima qualidade desses veículos, e ainda informando as peripécias que as montadoras estavam fazendo para se adaptarem às nossas leis. Peripécias essas que vão desde airbags fictícios, até a barra lateral de proteção.
    Os brasileiros precisam estar atentos a isso quando adquirir tais veículos.
    Luiz Claudio

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome