Museu Bozen-Bolzano, a 'obra de arte'
Museu Bozen-Bolzano: a ‘obra de arte’…

Uma boa faxineira que trabalha no Museu de Arte Contemporânea de Bolzano, no norte da Itália, consagrado à aberrante “arte contemporânea”, achou que uma “obra de arte” não era mais que sujeira deixada por festeiros beberrões.

E “caprichou na limpeza”, segundo informou a BBC Brasil.

Ela achou que o trabalho – chamado Onde vamos dançar esta noite? – não passava de uma bagunça deixada numa festa realizada no local na noite anterior. A faxineira “limpou” o local como se deve e jogou fora toda a imundície.

Composta por pontas de cigarro, garrafas vazias e confetes na mais degradante desordem, a “obra” pretexta representar o hedonismo e a corrupção dos anos 1980. Mas na prática é um produto eloquente da corrupção de 2015, com um acréscimo especial.

Mau gosto, corrupção e pecado são realidades deploráveis que sempre existiram neste vale de lágrimas. Mas há uma inversão monstruosa quando se tenta não só justificar esses males, mas proclamá-los como um bem digno de “obra de arte”.

Pratica-se assim um atentado contra a própria estrutura do ser e do pensamento humano.

Museu Bozen-Bolzano, a limpeza foi feita
Museu Bozen-Bolzano: a limpeza foi feita!

O museu – conhecido como Museion Bozen-Bolzano – refez a exibição. Os artistas de Milão Goldschmied and Chiariforam os idealizadores desse atentado à ordem do ser.

O Museu pediu desculpas pelo incidente e lamentou que “teve má sorte com a nova faxineira”.

Em fevereiro do ano passado, noticiou ainda a BBC Brasil, verificou-se em Bari, no sul da Itália, outra reação de bom senso, que a agência informativa – melhor diríamos o contrário – qualificou de acidente.

Também uma faxineira jogou fora “trabalhos” que faziam parte de uma instalação da galeria Sala Murat.

Ela tratou a “obra de arte contemporânea” como aquilo que a mesma aparentava ser: lixo. E disse que estava “apenas fazendo seu trabalho”.

Mais de um terá vontade de lhe fazer chegar um aplauso.

1 COMENTÁRIO

  1. A faxineira parece ser a única de bom senso naquele museu das loucuras. Somente para uma mentalidade lixo o que se deve descartar pode se transformar em arte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome