Cardeal Reinhard Marx
Cardeal Reinhard Marx

Marx: A divisão é mera encenação. Com esse titulo a pagina internet (Katholisch.de) da Conferência Episcopal Alemã resume as declarações do Cardeal Marx à imprensa no início do Sínodo da Família.

Segundo Katholisch.de, o Cardeal Marx defende a opinião que os “relatos  a respeito de um campo conservador e um campo progressista seriam uma ‘encenação da mídia'”.

O Cardeal Marx empurra assim a culpa, pela atmosfera envenenada reinante entre os participantes do Sínodo, praticamente para a imprensa mentirosa.

Diante disso a única coisa a fazer é esfregar os olhos.

O Cardeal Marx é uma das personalidades mais em evidência da assim chamada ala liberal do episcopado mundial. Desde o início do recente debate sobre matrimônio, família e moral sexual, ele defendeu com veemência e publicamente a posição liberal: Admissão à comunhão para os divorciados recasados, nova avaliação das parcerias homossexuais, etc.

A favor de um (des-)caminho na pastoral, anunciou com seu dito de que “não somos uma filial de Roma” uma via alemã própria, caso o Sínodo não chegue aos resultados que ele deseja.

Com essas posições, o Cardeal Marx produziu um espanto universal. Especialmente da África e da Polônia surgiram resistências contra essa arrogância alemã.

O Cardeal Marx é responsável em grande medida pelo surgimento de um endurecimento de parte do episcopado. É inacreditável que ele agora empurre a responsabilidade para uma imprensa mentirosa.

A atitude do Arcebispo de Munique é também irresponsável face aos fieis: desde há meses ele desperta a impressão de que está apenas tateando para impor, em certo momento, a sua vontade.  Neste contexto, o que afirmam tanto o Magistério quanto a Igreja Católica parecem ser secundário.

Assim as coisas não podem continuar na Alemanha: os fieis precisam de pastores em quem possam depositar toda uma confiança ilimitada. Precisam de pastores que estejam inequivocamente  a favor do Magistério católico e o defendam contra os inimigos da Igreja.

Tradução do original alemão: Renato Vasconcelos