Chinês condenado por alertar contra leite envenenado

Zhao Lianhai condenado por denunciar leite envenenado

Luis Dufaur

Em 2008, mais de 300 mil crianças chinesas foram intoxicadas por leite adulterado com melamina. Seis crianças morreram, e guloseimas tóxicas foram vendidas no Ocidente sob etiquetas famosas.

O escândalo foi mundial, e o governo prometeu tomar medidas adequadas. Agora saiu uma medida muito “adequada”: Zhao Lianhai foi condenado a dois anos e meio de prisão, pelo “crime” de denunciar em seu site os perigos do leite envenenado, informou a agência AsiaNews.

O advogado de Zhao, Li Fangping, pediu à Justiça chinesa severidade em relação aos culpados e reparação às vítimas.

Mulher de Zhao Lianhai é retirada do tribunal

Resultado “adequado”: foi preso em novembro de 2009, acusado de “incitação à desordem social”.

As guloseimas chinesas continuam enchendo as prateleiras de mercados como os do Brasil, desbancando produtos não suspeitos de matérias tóxicas…