Por unanimidade o Senado americano aprovou projeto de Lei (Lei dos Direitos Humanos e Democracia de Hong Kong) e a Câmara dos Deputados confirmou (417 votos contra 1) em favor da democracia em Hong Kong. Falta apenas a sanção de Trump.

A Lei requer que o Departamento de Estado revise todos os anos se a cidade (Hong Kong), que retornou ao domínio chinês em 1997, mantém autonomia suficiente para justificar seus privilégios econômicos especiais com os Estados Unidos.

Os Estados Unidos tratam Hong Kong como uma região separada da China continental nas matérias de comércio, de investimento, e imigração.

    O projeto aprovado por unanimidade abre caminho para responsabilizar as autoridades estrangeiras por violações dos direitos humanos em Hong Kong. As sanções incluem proibi-los de entrar no país e congelar seus ativos nos Estados Unidos.

        Tropa de choque realiza prisões quando manifestantes (esq.) tentam encontrar uma passagem segura para fora do campus da Universidade Politécnica de Hong Kong no distrito de Hung Hom em Hong Kong em 18 de novembro de 2019 (Ye Aung Thu / AFP via Getty Imagens)“Sempre acreditamos que todas as pessoas na China merecem coisa melhor do que a brutalidade e as violações sistemáticas de seus direitos humanos universalmente reconhecidos. Os ditadores implacáveis da China discordam e são forçados a aumentar seu controle”, disse o deputado Chris Smith (R-N.J.), principal defensor do projeto na Câmara dos Deputados”.

                A China tem violado o Acordo de 1997 com o Reino Unido

O Acordo de 1997, com o Reino Unido dá a garantia expressa que sua autonomia de Hong Kong estaria preservada.

Pequim indica os candidatos a governarem Hong Kong, e, recentemente impediu o jovem lider, Joshua Wong, de se candidatar nas eleições.

Pequim, violando os acordos, quer a extradição de honkcongueses para o continente a fim de serem julgados pelas leis chinesas.

Mais de 5 mil presos e 10 mil cartuchos de gás lacrimogêno

Informa TheEpochTimes que em seis meses de protestos a polícia prendeu cerca de 5.000 manifestantes e disparou mais de 10.000 cartuchos de gás lacrimogêneo em Hong Kong desde junho.

 

Um segundo projeto aprovado: exportação de certas armas de controle de multidões     

“Um segundo projeto de lei, a Lei de Proteção de Hong Kong, foi aprovada na Câmara por 417 contra 0. A medida exige que os Estados Unidos proíbam a exportação de certas armas de controle de multidões para a força policial de Hong Kong, acusada de usar táticas fornecidas para reprimir as manifestações. O projeto suplementar do Senado também foi aprovado por unanimidade na terça-feira”.

Pequim promete “fortes contramedidas” em relação aos EUA

Seis órgãos do regime chinês em 20 de novembro condenaram a aprovação da Lei de Direitos Humanos de Hong Kong pelo Senado e Câmara.

Segundo EpochTimes “O vice-ministro das Relações Exteriores da China convocou um enviado dos Estados Unidos para expressar “forte oposição” à medida. O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores descreveu sua aprovação como um ato de interferência estrangeira nos assuntos internos do país e alertou para “fortes contramedidas”.

O Ministro das Relações Exteriores da China afirmou que  “O objetivo do texto aprovado em Washington é “semear o caos ou inclusive destruir Hong Kong”.

“Condenamos com veemência e nos opomos firmemente à adoção de projetos de lei relacionados com Hong Kong. Ninguém deve subestimar a determinação da China a salvaguardar sua soberania nacional, sua segurança e seus interesses em termos de desenvolvimento”, declarou o porta-voz”. https://istoe.com.br/china-promete-resposta-apos-apoio-do-congresso-americano-a-manifestantes-de-hong-kong/

* * *

Uma atitude típica dos comunistas chineses: partem para a retaliação e não reconhecem o seu próprio erro: violar os direitos fundamentais da pessoa humana, a .

Acordos com a China — aí está mais uma prova — são “farrapos de papel” que os comunistas rasgam, quando lhes convém.

Fonte: https://www.theepochtimes.com/china-vents-outrage-upon-us-passage-of-hong-kong-bill_3153860.html

 

Deixe uma resposta