Muitos falam do crime organizado. Mas quem verdadeiramente organiza o crime?

A onda de violência em São Paulo agravou-se no curso de novembro, tendo inclusive sido demitido o Secretário Estadual da Segurança Pública.  Noticiou-se que o número de homicídios dolosos ‒ isto é, intencionais ‒ em outubro foi praticamente o dobro dos registrados em  outubro de 2011: 150 contra 78. Na semana em que escrevo, a região metropolitana teve nova madrugada violenta, com cinco mortos na zona sul em São Paulo, na maior chacina do ano na capital.

Quantos serão em 2013? É a pergunta.

Por detrás da resposta, vemos que está o problema das esquerdas de hoje: falta de agentes, de agitadores e de terroristas. Não parece, não é?  Mas é verdade. A única solução é “alugar” criminosos, recrutados sob a chantagem do “ou mata, ou morre”. Para não morrer e ganhar boas quantias, eles farão qualquer coisa, já que não têm o menor escrúpulo, e os resultados dessa chantagem estamos vendo todos os dias. Não quero dizer que seja sempre assim, mas muitas vezes os executores não o fazem por ideologia, mas pela aplicação instintiva do binômio custo/benefício. Eles estão ameaçados de morte.

Até hoje neste ano, dia 24 de novembro, foram mortos 95 PM. Desde o início de outubro o número de homicídios começou a crescer em São Paulo, e foram registrados 268 assassinatos. Em Santa Catarina a onda  de violência continua; os ônibus são escoltados pela polícia.

Parece que o indivíduo “filiado” por exemplo ao PCC (Primeiro Comando da Capital) fica automaticamente inscrito em um registro de “crédito” e “débito”: ele teria “crédito” quando realiza uma ação do agrado da diretoria criminosa, e o “débito” é o fruto de um empréstimo em dinheiro, ou uma falha em alguma execução. Se ele está em “débito”, a obediência seria cega, sob pena de morte. O que explicaria a solicitude dos bandidos para as ações arriscadas pedidas pelo comando, ou pelo “sintonia-geral” (o chefe)?

Esquerdismo, violência e corrupção, portanto, formam uma frente única.

Completaria o quadro com sua luz lúgubre o casodo prefeito de Santo André, Celso Daniel, sequestrado e assassinado em 2002, segundo muitos dizem, por pessoas do seu partido e que, segundo promessas, será julgado pelo STF em 2013. Nem mesmo falta no episódio um personagem que chamam “Sombra”.

O problema é só do Brasil, ou envolve a América do Sul sob a direção do paranoico da Venezuela, a começar pela Argentina? Vejamos como sintetiza Luiz Dufaur a situação no Rio da Prata, neste mesmo site: “Lições do panelaço na Argentina: governo sem controle, oposição sem rumo, população indignada”. E o governo do México informou que 150.000 pessoas morrem todos os anos, nas Américas, vítimas da violência mafiosa.[1]

Com lucidez, Dr. Plinio retrata ironicamente o que se supõe ser a realidade através de um sonho. Em célebre artigo na Folha da São Paulo, um personagem fictício das esquerdas lhe diz: “Um governo consciente de suas obrigações tem por dever desmantelar a repressão e deixar avançar a criminalidade. Pois esta não é senão a revolução social em marcha”. Ou seja, deixar avançar a criminalidade, para ter em mãos o máximo possível de agitadores.

Prossegue o esquerdista, misterioso personagem do sonho:

Todo assassino, todo ladrão, todo estuprador não é senão um arauto do  furor popular. E por isto farei constar ao mundo inteiro que a explosão criminal no Brasil está sendo caluniada por reacionários ignóbeis. A criminalidade é a expressão deste furor justamente vindicativo das massas, que os sindicatos e a esquerda católica não souberam galvanizar”.[2]

Sou com muita honra um “reacionário ignóbil” na linguagem do personagem do sonho! Nossa Senhora me conserve assim. E preserve nosso País, sobre o qual pairam tantas promessas e esperanças.


[1] O Globo, , 20 -11-2012.

[2] “Quatro Dedos Sujos e Feios”, FSP, 16-11-83.

3 COMENTÁRIOS

  1. Sem querer ser paronóico, tão pouco teorico de conspirações, vejo assim, apenas como expectador, os fatos apregoados pela midia:

    O PT pretende que se é ruim com ele pior sem ele – aliás, para os arrogantes anticristo sempre é melhor com eles – que é muito obvio. Assim, é claro que quanto pior as instuições, neste momento, melhor para o PT. Porque?

    Uma crise de instuições de governo e, futuramente, outra de economia – que cedo ou tarde virá – dá ao PT a grande oportunidade de implatar o regime totalitário semelhante ao de Chavez, convencendo o povo que essa seria a única saída diante de um caos geral(anarquismo). Claro, no Brasil a coisa é bem mais complexa, mas não deixa de ser uma otima opção para os comunas do poder.

    Ler também: http://www.marcovilla.com.br/

  2. Eu me junto aos “reacionários ignóbeis”. Não concordo com essa violência toda sobretudo porque ela tem uma única vítima que a ordem. Os outroras terroristas de esquerda sempre atentaram contra a ordem. Os bandidos e assassinos de hoje controlados pela mesma mão não são diferentes dos terroristas de esquerda.

  3. Muito bem descrita a situação brasileira: são as esquerdas manipulando o crime. Também na Colômbia acontece análogo fenômeno: as marxistas Farc, debilitadas e procurando uma saída através da porta que o governo lhes escancarou com as atuais “conversações de paz” em Cuba, contratam com frequência o serviço de “sicários”, ou bandidos comuns, para realizar muitos de seus atentados criminosos. Aqui e lá, como em toda a América Latina, as esquerdas, não conseguindo convencer a população, procuram atemorizá-la, visando à sua capitulação. Denunciar a manobra é importante para torná-la ineficaz.

Deixe um comentário!