Cuba põe (sinceridade) China no banco do réus

0

As recentes manifestações populares em Cuba, contra o regime ditatorial comunista, vão servir de teste: separar o joio do trigo. Quais países apoiarão os anticomunistas que pedem liberdade? China, Venezuela ficarão ao lado de Raul Castro? No Brasil, PT, PSOL e o falso Centrão apoiarão Castro?

México se posiciona pró Castro.

Cuba usa métodos da China comunista

“Cuba é acusada de ter adotado sistemas de tecnologia fabricados na China para controlar e bloquear o acesso à Internet, em meio a relatos de que aplicativos de mensagens e serviços de Internet dos cubanos estão sendo bloqueados no país comunista, depois que milhares de cidadãos saíram às ruas em 11 de julho para protestar contra a falta de liberdades e a deterioração das condições econômicas.”

Sen. Marco Rubio (R-Fla.) advertiu em um comunicado de 11 de julho no Twitter que o regime cubano iria “bloquear o serviço de internet e telefone celular em breve para evitar vídeos sobre o que está acontecendo para chegar ao mundo”.

No final do dia, ele escreveu: “Eu avisei sobre isso hoje cedo. Isso está acontecendo e continuará. … A propósito, eles usam um sistema fabricado, vendido e instalado pela #China para controlar e bloquear o acesso à internet em #Cuba. ”

O Partido Comunista Chinês é um aliado próximo e apoiador do regime cubano.

Milhares nas ruas em Cuba: fim da ditadura comunista

Milhares de cidadãos cubanos tomaram as ruas em várias cidades da ilha comunista do Caribe em 11 de julho, pedindo mais liberdades e o fim da ditadura comunista. Eles também protestaram contra a contínua escassez de alimentos e os altos preços dos alimentos em meio à piora nas condições econômicas do país, agravada pela pandemia.

De acordo com a The Associated Press, os manifestantes se reuniram em pontos de encontro compartilhados em plataformas populares de mídia social, como Twitter e Facebook. As autoridades (comunistas) então começaram a fechar os serviços de Internet em algumas cidades na tarde de 11 de julho para evitar que os dissidentes transmitissem os protestos ao vivo, informou a agência de notícias.

O Observatório Aberto de Interferência de Rede (OONI), um órgão de vigilância global da censura na Internet, relatou em 12 de julho que Cuba começou a bloquear aplicativos de mensagens WhatsApp, Telegram e Signal em meio aos protestos.

Alp Toker, diretor da Netblocks, uma empresa de monitoramento de internet com sede em Londres, disse à The Associated Press que Facebook, WhatsApp, Instagram e Telegram foram bloqueados. O Twitter não parecia estar bloqueado, mas Toker disse que o regime poderia cortá-lo se assim o desejasse.

Por que a esquerda teme as ruas e as urnas?

O acesso à Internet é limitado e caro em Cuba. O regime comunista anunciou em 2017 que iria estender gradualmente os serviços domésticos de Internet. Em 2019, residências e empresas foram autorizadas a redes Wi-Fi privadas. Os cubanos também tiveram acesso total à Internet móvel em dezembro de 2018, por meio da estatal de telecomunicações ETECSA – única empresa que fornece acesso à Internet no país.

Mas, como resultado, ele tem amplo controle sobre as comunicações. De acordo com a Human Rights Watch, o regime cubano sufoca regularmente as vozes que publicam informações críticas ao governo, submetendo-as a “assédio, violência, campanhas de difamação, restrições de viagens, cortes de internet, assédio online, invasões em suas casas e escritórios, confisco de trabalho materiais e prisões arbitrárias ”, bem como mantê-los incomunicáveis.

A Freedom House classifica Cuba como “não livre” para a liberdade na Internet, dando-lhe uma pontuação de 22 em 100.

Tecnologia chinesa Huawei

A tecnologia chinesa foi anteriormente apontada por vários grupos como potencialmente sendo usada pelo regime cubano para facilitar sua censura.

O Instituto de Guerra e Paz em dezembro de 2020 relatou que os principais fornecedores de tecnologia da ETECSA são três empresas chinesas – Huawei, TP-Link e ZTE.

A OONI relatou em 2017 que a gigante chinesa das telecomunicações Huawei foi “considerada por apoiar a infraestrutura de Internet de Cuba”.

“O cabeçalho do servidor de sites bloqueados, por exemplo, apontava para equipamentos da Huawei”, diz o relatório. “Embora esteja claro que Cuba está usando os pontos de acesso da Huawei, ainda não está claro se e em que medida a empresa está realmente implementando a censura da Internet no país.”

O grupo também afirmou ter encontrado códigos chineses usados ​​para portais de acesso Wi-Fi em Cuba, observando que o portal de login da estatal ETECSA contém em seu código-fonte “comentários escritos em chinês”. O relatório afirma que isso “indica que a ETECSA provavelmente contratou desenvolvedores chineses para implementar o portal”.

O relatório observa ainda que o cabeçalho HTTP do servidor continha “V2R2C00-IAE / 1.0” que “parece estar associado a um equipamento Huawei chamado eSight”, um sistema de gerenciamento de rede.

Essa é a observação também da organização não governamental Qurium Media Foundation, com sede na Suécia, em um relatório de junho de 2020.

“A presença do cabeçalho V2R2C00-IAE em algumas respostas de‘ Filtragem da Web ’sugere a presença de um produto NIP (Huawei Intrusion Detection System) que fica em linha na rede”, diz o relatório.

***

O Ocidente, Japão industrializaram a China, forneceram know how, investimentos bilionários. Em consequencia o País foi aceito no Conselho de Segurança da ONU, na OMC. Sim, os capitalistas fizeram da China uma potência.

Esperamos que agora, com o apoio chinês à Cuba, Venezuela os olhos se abram … afinal a China é aliada da Coreia do Norte.

Nosso Site tem mostrado como a imagem internacional da China (PCCh) está em declínio. Irá a China apoiar a repressão em Cuba? Continuará dando apoio à Venezuela? O caso cubano pôs a China no banco dos réus, vejamos a sua sinceridade.

Fonte: Cuba Accused of Using Chinese Tech Systems to Block Internet Access Amid Protests (theepochtimes.com)

Deixe uma resposta