Não corrompam nossas crianças através da “Ideologia de Gênero”

A Ação Jovem do IPCO está promovendo uma campanha nacional de abaixo-assinados que serão enviados para o Presidente Michel Temer pedindo a exclusão da satânica "Ideologia de Gênero" da Base Nacional Comum Curricular - BNCC.

Clique aqui e assine já!

A Justiça Federal do DF concedeu uma liminar permitindo que psicólogos do País ofereçam terapias de “reversão sexual” a homossexuais. O tratamento é proibido pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP) desde 1999. A determinação é do Juiz federal Waldemar Cláudio de Carvalho (foto ao lado) atendendo a uma ação movida por um grupo de psicólogos que pedia a suspensão da resolução 01/99 do CFP.

Segundo o magistrado, psicólogos se encontram impedidos de fazer atendimento clínico ou promover estudos científicos acerca da reversão sexual, o que afeta, segundo ele, “os eventuais interessados nesse tipo de assistência psicológica”.

O fato, porém, causou profundo descontentamento no meio dos homossexuais ativistas e teve muita repercussão na imprensa e nas mídias sociais.

Em sinal de protesto, o líder ativista LGBT, diretor executivo do “Grupo Dignidade”, Toni Reis, enviou um requerimento ao INSS (Instituto Nacional de Seguro Social) solicitando aposentadoria compulsória para todos os homossexuais. A atitude é uma ironia contra a medida judicial. Assim, declara Toni Reis: “Vamos formalizar, usar os mesmos argumentos utilizados pelo juiz de Brasília. Quero receber a primeira aposentadoria por doença gay.[1]

O pedido, feito em nome do ativista do lobby homossexual, pretende abrir precedente no INSS: “Já temos mais de 70 pessoas que pediram o modelo para também pedir aposentadoria. Se somos doentes, somos inválidos. Logo, temos que nos aposentar”, argumenta.

O pedido ainda calcula o que seria uma aposentadoria para o líder do “Grupo Dignidade”: “Como ainda não existe tabela para essa doença, sugerimos que o valor mensal do benefício seja 24 salários mínimos, com isenção de todo e qualquer imposto por motivo de crença (ou melhor, doença), e com direito a passaporte diplomático para poder empregar o tempo ocioso em viagens ao exterior, buscando a cura em centros avançados, e também divulgando a boa nova brasileira relativa à cura do ‘homossexualismo’.

Desonesto ou analfabeto

O advogado e Mestre em Direito pela PUC-SP, Antonio de Moura (foto ao lado), foi incisivo ao criticar a mídia que deturpou o sentido da liminar: “Quem afirma que esta decisão judicial ‘tratou a homossexualidade como doença’ ou que ‘foi instalada a cura gay’ é muito desonesto ou analfabeto. Não há meio termo. É desonesto quem entendeu – e sabe que não é nada disso. É analfabeto quem leu e não entendeu – porque o Juiz Federal não disse nada (nada!) sobre considerar doença.”[2]

E continua: “Pelo contrário, a decisão preserva a redação integral da Resolução nº 01/1999 do Conselho Federal de Psicologia, apenas afirmando que ‘a fim de interpretar a citada regra em conformidade com a Constituição, a melhor hermenêutica a ser conferida àquela Resolução deve ser aquela no sentido de não privar o psicólogo de estudar ou atender àqueles que, voluntariamente, venham em busca de orientação acerca de sua sexualidade, sem qualquer forma de censura’.”

Embora o homossexualismo não seja considerado doença, no Código Internacional de Doenças existem as seguintes classificações no CID10-F64: Transtornos de identidade sexual; F64.0 Transexualismo; F64.1 Travestismo bivalente; F64.2 Transtorno de identidade sexual na infância; F64.8 Outros transtornos de identidade sexual; F64.9 Transtorno não especificado de identidade sexual.[3]

A posição do católico face ao homossexualismo

O homossexualismo é um pecado que repugna até aos demônios. Assim revelou Nosso Senhor Jesus Cristo a Santa Catarina de Siena:

Esse pecado, aliás, não desagrada somente a mim. É insuportável aos próprios demônios, que são tidos como patrões por aqueles infelizes ministros. Os demônios não toleram esse pecado. Não porque desejam a virtude; por sua origem angélica, recusam-se a ver tão hediondo vício. Eles atiram as flechas envenenadas de concupiscência, mas voltam-se no momento em que o pecado é cometido”.[4]

Em entrevista concedida à TV SBT em 29 de outubro de 1992, o Prof. Plínio Corrêa de Oliveira dá o seguinte conselho a uma pessoa que tiver tendência ao homossexualismo:

Eu distingo um jovem que tenha pendores homossexuais, mas que não atenda ao clamor desses pendores e que portanto se vence, de um jovem que capitula diante desses pendores e portanto cede à prática da homossexualidade.

“Se se trata de um jovem que tem tendência para a homossexualidade, mas que tem bastante energia, bastante domínio sobre si mesmo para resistir a essa tendência, eu diria a ele que eu o respeito e que eu o admiro e que peço a Deus que continue a ajudá-lo para que ele se mantenha puro, sem prática sexual condenável, que se ele tiver possibilidade de casar-se, case-se; eu só posso elogiá-lo nisso, e está acabado.

“Agora, se se trata de um jovem que caiu na prática homossexual, eu não posso deixar de ver nele uma criatura de Deus. Enquanto criatura de Deus, não posso deixar de desejar o bem dele, a salvação dele. E enquanto criatura de Deus também não posso deixar de o tratar com dignidade e respeito. Portanto, é nesses sentimentos que eu diria a ele o seguinte: Meu caro, eu compreendo que é difícil, é até heroico uma pessoa que abandonou a prática da pureza para se deixar arrastar por uma prática como essa, que é difícil abandoná-la. Mas a experiência mostra que é possível desde que você tome as precauções necessárias para não ser arrastado por essa prática. Quer dizer, você não se dê com pessoas que o convidem para isto, não se meta nos ambientes em que isto se pratica, e procure sobretudo desviar sempre seus olhares e seus pensamentos de práticas dessa natureza. Você, se conseguir isto, terá conquistado uma vitória brilhante e eu não só o felicitarei nessa ocasião como desde já o incito a iniciar a sua luta.

“Se você não quiser, se esse esforço realmente grande, mas tão nobre, você preferir não o realizar para dar lugar às fruições ilegítimas a que sua natureza desordenada aspira, eu não posso deixar de lamentar, de ficar rezando para que Deus tenha pena de você e um dia o toque pela graça e o erga com as melhores disposições.”[5]

__________________________________

 [1] http://paranaportal.uol.com.br/geral/apos-justica-liberar-cura-gay-lider-lgbt-pede-aposentadoria-compulsoria/

[2] http://www.ilisp.org/artigos/pare-com-histeria-justica-nao-autorizou-tratamento-da-homossexualidade-como-doenca/

3 http://www.medicinanet.com.br/cid10/1554/f64_transtornos_da_identidade_sexual.htm

[4] https://ipco.org.br/ipco/tfp-americana-contra-o-satanismo-nas-escolas/#.WcMq4IyPLIU

[5]http://www.pliniocorreadeoliveira.info/ENT_921029_homossexualismo.htm?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+pliniocorreadeoliveira%2FBhHR+%28Plinio+Correa+de+Oliveira%29#.WcMRPYxSzIX

 

Não corrompam nossas crianças através da “Ideologia de Gênero”

A Ação Jovem do IPCO está promovendo uma campanha nacional de abaixo-assinados que serão enviados para o Presidente Michel Temer pedindo a exclusão da satânica "Ideologia de Gênero" da Base Nacional Comum Curricular - BNCC.

Clique aqui e assine já!

2 COMENTÁRIOS

  1. Este pecado contra a natureza criada por Deus,é tão antigo quanto a época de Sodoma e Gomorra,que foram destruídas por Deus de uma só vez,as duas cidades próximas e pecadoras,destruídas a fogo caindo do céu.Eram completamente pagãs,como o império Romano o era também e havia a prática de homossexualismo ,daí as perseguições e atrocidades contra o cristianismo,fazendo milhões de mártires Cristãos.Já na Idade Média,época áurea da Igreja Católica,não houve esse vício hediondo.Nos dias em que vivemos,existe um paganismo difuso muito forte,mesmo falando que existe Deus e se pratica alguma religião,daí esta aberração,esta afronta contra Deus,é um brado contra Deus,e a natureza da sua criação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome