Democracia (se não é de esquerda) é ‘golpe’! Golpe (se é de esquerda) é ‘democracia’! Uma lição do Paraguai

María Liz García, ministra de Defesa do Paraguai
María Liz García, ministra de Defesa do Paraguai

A ministra de Defesa do Paraguai, María Liz García, forneceu à imprensa vídeo feito por câmaras de segurança mostrando reunião do chanceler da Venezuela, Nicolás Maduro, com comandantes militares paraguaios, enquanto o Senado se aprontava para votar a destituição do então presidente populista Fernando Lugo.

O encontro do chanceler venezuelano com comandantes das três Armas teria sido convocado pelo chefe do gabinete militar de Lugo, o general Ángel Vallovera, e aconteceu no próprio Palácio de Governo da capital.

A matéria foi difundida pela agência EFE desde Assunção e o vídeo foi postado em Youtube.

Há alguns dias, a ministra de Defesa paraguaia acusou o chanceler chavista de incentivar as Forças Armadas paraguaias a se rebelarem contra a cassação de Lugo.

As imagens, editadas e sem áudio, foram exibidas por um canal de televisão paraguaio.

“ABC Color”, 3.7.2012

A reunião teria ocorrido entre às 16h23 e 16h33 do dia 22, duas horas antes da votação no Senado que aprovou o impeachment de Lugo julgado culpado por mau desempenho em suas funções.

O vídeo editado inclui fotos e nomes dos participantes. Uma versão sem cortes foi entregue a outros meios de comunicação do país.

Participaram da reunião os comandantes do Exército, Adalberto Garcete, da Marinha, Juan Benítez, e da Força Aérea, Miguel Christ.

Assim que assumiu a presidência, o novo presidente Franco substituiu o chefe do gabinete militar anterior e os comandantes do Exército e da Marinha.

O jornal “ABC Color”, de larga difusão no Paraguai, citou vários deputados que asseguraram que o chanceler venezuelano e o embaixador equatoriano no Paraguai, Julio Prado, incitaram os comandantes para que assinassem um documento proclamando Lugo como presidente.

Segundo o deputado José López Chávez, a Comissão parlamentar de Defesa convocou outros militares envolvidos, e todos confirmaram a mesma versão dos fatos.

López Chávez pediu que a justiça paraguaia processasse Maduro, Prado e o ex-presidente Lugo por instigar a uma sublevação militar.

Protesto contra o ‘golpe’ e em favor da
‘democracia’ em frente à embaixada
paraguaia, Brasília. (Antonio Cruz-ABR)

O parlamentar acrescentou que o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, deve explicações pela sua intromissão na soberania paraguaia.

A crise no Paraguai está a demostrar, mais uma vez, a novilíngua dos regimes populistas latino-americanos.

Segundo essa nova linguagem, a ‘democracia’ se não é de esquerda chama-se ‘golpe’!

E o golpe?

Ora o ‘golpe’!

‘Golpe’ se é de esquerda chama-se ‘democracia’!

E, ái se não for de esquerda!