Direitos humanos X direitos dos animais

Peter Singer

Segundo a Folha de São Paulo (8/11/2011), para o filósofo Peter Singer trata-se de discriminação, preconceito e escravagismo julgar que um bicho é animal!

Famoso por ser um defensor radical dos direitos animais, Singer diz que humanidade deve se “converter” ao vegetarianismo para que os animais sejam libertos da dor e da violência que sofrem.

Veja algumas “pérolas” retiradas de uma entrevista mais antiga (outubro de 2005) que o tal “filósofo” concedeu ao jornal O Estado de São Paulo:

“Não faço distinção entre humano e não-humano, não discrimino. É melhor fazer experimentos científicos em humanos em coma irreversível do que com animais comuns que vão sofrer com isso. Também os embriões humanos podem ser usados para testes”.

• “O chimpanzé é um ser autoconsciente. Os chimpanzés são capazes de se reconhecer no espelho, eles demonstram pensamento e planejam o que fazem. […] Então é verdade: eu diria que os chimpanzés têm direitos que superam os de um feto humano. É claro que, normalmente, o feto é algo que a mulher ama e deseja, e por isso ele merece nossa proteção. Mas se a mulher não quer a gravidez, e você considera apenas os direitos do feto isoladamente, acho que ele não tem direito à vida, enquanto o chimpanzé tem”.

Como fiel ativista ecológico, Singer é favorável ao aborto, à eutanásia e ao infanticídio. A explicação é que, se um animal pode ser sacrificado por questões práticas, para acabar com alguma dor que esteja sofrendo ou que venha a sofrer, então pelo mesmo motivo devem se sacrificar pessoas também.

***

Comparar seres humanos com animais irracionais… Por Deus, o homem tem alma! Mas o leitor já percebeu que Singer é ateu, não é?

Para conseguir os seus intuitos, ele não esconde seus desejos de silenciar a Igreja Católica: “Quanto mais conseguirmos enfraquecer a influência da Igreja, melhor a chance de vitória para os que defendem a eutanásia”.

Comunismo, evolucionismo, ecologismo, vegetarianismo… O que há de comum entre estes “ismos”? Como diz o professor Plinio Corrêa de Oliveira em seu ensaio Revolução e Contra-Revolução, todas essas correntes ideológicas visam aproximar cada vez mais o homem da barbárie e do neo-paganismo, destruindo assim a dignidade do homem remido por Nosso Senhor Jesus Cristo na cruz. Dignidade esta que deperece na medida em que a Opinião Pública vai engolindo a influência de pessoas como Peter Singer.