Ditadura homossexual na Bolívia

Como informa o jornal La Prensa (2/6/2011) , foi apresentado na Bolívia, no dia 1 p.p., um projeto de lei que visa estabelecer o “casamento homossexual” naquele País. Chamado de  “Uniões Civis Igualitárias” o projeto prevê a modificação dos artigos 63 e 64 da constituição boliviana que reconhe apenas como família a união entre um homem e uma mulher.

Segundo o diretor executivo da Associação Civil de Desenvolvimento Social e Promoção Cultural (ADESPROC), Alberto Moscoso, estes dois artigos entram em contradição com o artigo 14 que indica que não se pode haver discriminação por orientação sexual e identidade de gênero. Para ele, isso “impossibilita as pessoas com orientação sexual diferente” de unir-se e casar-se como qualquer cidadão boliviano.

A agência ACI (7/6/2011) informou que o Arcebispo de Santa Cruz da Serra, Cardeal Julio Terrazas Sandoval, exortou a todos os sacerdotes para que ensinem os fiéis os ensinamentos de Nosso Senhor Jesus Cristo em defesa do verdadeiro matrimônio para criar uma barreira à aprovação desse projeto.

O Cardeal também recordou que o matrimônio é uma “instituição sagrada”. “Esta mensagem reflete o sentido de nosso serviço como cristãos de como defender a obra da criação, como fazer que essa obra de Deus esteja ao serviço de todos”, comentou o prelado.

Peçamos a Nossa Senhora forças para as sadias reações na Bolívia contra esse ato que a Doutrina Católica qualifica de “pecado que brada aos Céus e clama a Deus por vingança”.