“INDIANA, 14 Fev. 20 / 11:00 am (ACI).- Os restos mortais de mais de 2.400 bebês abortados que foram descobertos na garagem do falecido médico abortista, Ulrich Klopfer, em setembro de 2019, foram enterrados na quarta-feira, 12 de fevereiro, em Indiana (Estados Unidos)”.

Cerimônia dos funerais, em South Bend, para os bebês abortados

O enterro foi realizado no cemitério de Southlawn, em South Bend, Indiana, no dia 12 de fevereiro. A cerimônia contou com a presença do procurador-geral de Indiana, Curtis Hill, o principal promotor da iniciativa.

Também participaram representantes de Right to Life Michiana, grupo que dirigiu um serviço de oração depois do discurso de Hill.

“Hoje, finalmente celebramos os 2.411 bebês não nascidos cujos restos foram, sem nenhuma razão, guardados pelo Dr. Ulrich Klopfer depois que ele realizou os abortos entre 2000 e 2003. Esses bebês mereciam algo melhor do que uma garagem escura e fria ou o porta-malas de um carro”, disse o procurador-geral diante do túmulo”.

O grupo “Right to Live” expressa os sentimentos cristãos

Cathie Humbarger, diretora de Right to Life no nordeste de Indiana, disse à AP que estava “muito agradecida por, finalmente, os corpos dessas crianças serem tratados com a dignidade que mereciam”.

Outro grupo pró vida coloca sugestivo sinal na internet

O grupo pró-vida Susan B. Anthony List decidiu fazer um “apagão” em suas redes sociais como um sinal de respeito: Mudou suas fotos de perfil e, em vez disso, colocou um fundo preto no qual escreveu (em branco) o número total de falecidos.

Dr Klopfer faleceu em 2019 e os restos mortais encontrados em sua garagem, quimicamente preservados

“Após a morte de Klopfer,(fevereiro, 2019) foram encontrados em sua garagem os restos mortais medicamente preservados de 2.246 bebês abortados, junto com o registro de pacientes. Klopfer, que morava no condado de Will, Illinois, foi um conhecido abortista que em determinado momento chegou a dirigir três clínicas em todo o estado de Indiana”.

Em outubro de 2019, foram descobertos mais restos de bebês abortados no porta-malas de um dos carros de Klopfer.

Suspenso em 2016, 30 abortos numa carreira que deveria defender a vida

Durante suas décadas de carreira como abortista, estima-se que Klopfer tenha abortado mais de 30 mil crianças. Sua licença médica foi temporariamente suspensa pelo estado de Indiana em 2015 e por tempo indeterminado em 2016, depois que várias ações foram apresentadas contra ele perante as autoridades do estado.

Dr Klopfer fez aborto em meninas de 10 e 13 anos.

  • * * *
  • Além de nosso sentimento humano naturalmente propenso a nos condermos com essas barbaridades contra o gênero humano, lembremo-nos da doutrina católica que fulmina (com a pena de excomunhão) todos aqueles que o praticam e, os médicos também. Isso, não significa que esteja fechada para estes o arrependimento e a salvação eterna.
  • Aí estão as consequencias da liberdade sexual, da depravação dos costumes. Nossos parabêns às iniciativas governamentais do Brasil em defesa da Castidade, da Abstinência sexual.

Fonte: https://www.acidigital.com/noticias/mais-de-2-mil-bebes-encontrados-mortos-em-casa-de-abortista-recebem-sepultura-crista-30197

 

2 COMENTÁRIOS

  1. Os corpos dos falecidos também são sagrados e têm a atenção celestial…
    Sobre a nota final deste artigo, sobre a doutrina católica “fulminar” todos os que praticam o aborto, em todos as dimensões de envolvimento, considere-se também que Deus julga cada pessoa segundo sua consciência, e todos os fatores circunstanciais de foro íntimo e sociológico… Ingênuos e inocentes levados ao aborto não devem se considerar sem chances de salvação…

    • A observação de santosdesalles ajuda a esclarecer o sentido da afirmação de nosso colabolador. “Fulmina” com a pena de ex-comunhão, não significa fechar a porta do Céu para aqueles que se arrependerem e se confessarem.

Deixe uma resposta