* Samuele Maniscalco 

Por ocasião dos 40 anos da Lei 194 sobre a prática abortiva, realizou-se no dia 19 de maio em Roma a oitava edição da “Marcha Nacional pela Vida”, o mais importante evento italiano pró-vida. Os milhares de participantes ocuparam as ruas da Cidade Santa para exigir a revogação dessa lei criminosa, através da qual mais de seis milhões de crianças foram executadas no ventre materno desde 22 de maio de 1978, quando o aborto foi legalizado na Itália.

A Sra. Virginia Coda Nunziante, presidente da Marcha pela Vida, afirmou: “Existe um livro da vida e há um livro da morte. Neste livro da morte, a data de 22 de maio de 1978 é escrita em letras de sangue, o sangue de quase seis milhões de vítimas”. Denunciou também o aborto por ser totalmente pago pelo governo, portanto pelos contribuintes. E acrescentou: “Não queremos passar este aniversário sem pedir a revogação da Lei 194, e enquanto isso retirar imediatamente dos gastos públicos os 2 a 3 bilhões de euros que todos os anos são usados para matar nossos filhos”.11

Foi também lembrado o assassinato do pequeno Alfie Evans, perpetrado em 28 de abril último pela equipe do hospital de Liverpool, com o apoio dos tribunais ingleses e do Tribunal Europeu de Direitos Humanos.

O evento contou com a presença aproximada de 15 prefeitos e de várias figuras institucionais, como Lorenzo Fontana, vice-presidente da Câmara dos Deputados. Estiveram também presentes autoridades religiosas como o Cardeal Raymond Leo Burke; Mons. Carlo Maria Viganò, Núncio Apostólico emérito nos Estados Unidos; Mons. Luigi Negri, Arcebispo emérito de Ferrara-Comacchio. Participaram também párocos, representantes de institutos religiosos, e numerosas delegações internacionais dos cinco continentes contrárias ao aborto.

Os organizadores se empenharam em que todos pedissem a ajuda de Deus, fundamental para se ganhar a batalha em defesa do direito à vida inocente. Nesse sentido, na noite de 18 de maio organizou-se na igreja de Santa Maria in Campitelli uma solene adoração eucarística presidida pelo Cardeal Raymond Burke.

Nos dias 17 e 18 de maio, um dos auditórios da Pontifícia Universidade Santo Tomás de Aquino (Angelicum) sediou o importante simpósio IV Rome Life Forum, promovido pela Voice of the Family, uma coalizão que reúne diversas associações pró-vida do mundo. Neste ano, o Forum foi dedicado ao tema da verdadeira e da falsa consciência.