Na primeira hora deste sábado, dedicado a Nossa Senhora e véspera de Cristo Rei, quis Nosso Senhor chamar para junto de si o Monsenhor José Luiz Marinho Villac. (*)

Basílica de Nossa Senhora do Carmo, São Paulo, 1° de dezembro de 1957.

Acima e abaixo, fotos da ordenação sacerdotal do então Diácono José Luiz Marinho Villac, de quem o Prof. Plinio Corrêa de Oliveira foi Padrinho de Ordenação.

O neo-Sacerdote apresenta suas mãos, ainda perfumadas pela Unção Sacerdotal, ao ósculo de seu Padrinho. E por uma providencial coincidência, foi o então Cônego José Luiz Villac quem deu a extrema-unção ao Prof. Plinio, em outubro de 1995, após décadas de valoroso apoio à TFP.


O sacerdócio tem nas mãos um fogo sagrado, que é o creme dos cremes do apostolado

Plinio Corrêa de Oliveira

(…) Bem, aí é rezarmos, desejarmos e compreendermos a potência do que os senhores têm na mão! Os senhores têm na mão um verdadeiro fogo sagrado! Uma coisa incomparável! Celeste! O povo olha para os senhores com uma veneração, com uma admiração da qual talvez os senhores não tenham uma noção exata. Em parte porque o povo está muito perdido e portanto não deixa transparecer a influência que uma palavra dos senhores tem. Mas tem muita! E ainda hoje eu tenho certeza que se houvesse um Papa que convocasse um Concílio para pôr em ordem todas as coisas, a Revolução não continuava o caminho! Disso eu estou certo!

Agora, no íntimo dos senhores eu acho ultra necessário, aconselhável, que procurem estar ao par – fazer o que fazem – acompanhar os acontecimentos políticos, sociais, econômicos, conhecer a mentalidade dos seus paroquianos sobre esses pontos, para, tendo que tratar disso – e não tratar tão raramente – baterem no ponto certo, e tocarem a coisa como deve ser. Mas, o creme, propriamente o creme é o efeito próprio, direto dos sacramentos, da vida interior, da piedade, a manutenção da Igreja nas condições adequadas, o culto todo. Isto é o creme dos cremes.

Um dos senhores me dirá: “Mas, então, por que o Sr. não foi ser Padre?!”

Eu tenho convicção íntima – nem sei de quando ela data! – de que não deve ser isto. E que eu estou fazendo o que devo. Mas isto não me impede de ter toda essa veneração ultra profunda pelo sacerdócio, pela importância do sacerdócio, etc.

Fonte: https://www.pliniocorreadeoliveira.info/DIS_EXT_900925_sacerdocio.htm

5 COMENTÁRIOS

  1. Agora, na presença Real de Deus, que Monsenhor José Luiz Villac interceda junto ao CORAÇÃO MISERICORDIOSO DO PAI CELESTIAL em favor da Igreja Católica no Nordeste que está sendo crucificada, tendo como carrascos alguns “sacerdotes” inescrupulosos, indignos da missão presbiteral, cujos testemunhos abomináveis envergonham a humanidade, ferem o CORPO SANTO DO SENHOR JESUS e afastam Fiéis católicos da comunhão da Igreja.

    José Plínio de Oliveira
    (Serrinha-Bahia)

  2. Nota de gratidão e sentidas condolências

    Com preces de profunda gratidão a Deus pela vida sacerdotal de Mons. José Luiz Villac, vivida inteiramente no amor e na fidelidade incondicional a Nosso Senhor Jesus Cristo, ao seu Evangelho, à sua Igreja, ao seu Reino, agora entregue na esperança da feliz Ressurreição, apresento as minhas condolências aos seus familiares e à sua grande família espiritual, a quem tanto bem fez pelos seu incansável apostolado, em defesa e promoção da Fé Católica e das boas obras que dela brotaram abundantes. Um verdadeiro filho de Maria Imaculada, Mãe Santíssima de Deus e nossa, Mons. José Luiz agora segue pelas sendas da misericórdia, à guia daquEla a que sempre encaminhou tantas pessoas na terra, pela Palavra e pelos bons exemplos.
    In Iesu et Maria,
    + Aldo di Cillo Pagotto, sss arcebispo emérito da Paraíba

Deixe um comentário!