Formação: o principal agente da Revolução é o homem

0

“Porque digo que a Revolução começou na Idade Média”, e não com a revolta de Lúcifer? E porque o primeiro revolucionário não foi Satanás? Não se poderia dizer que a Revolução começou antes da história do mundo? Porque dizer que a Revolução começou na Idade Média?

O homem é que se abre para a ação do demônio

O principal agente é o homem

Para esclarecer o pensamento do Prof. Plinio é preciso tomar em consideração o seguinte: que o agente principal da Revolução é o homem, não o demônio. “O demônio faz a Revolução na medida em que o homem se abre ao demônio.”

O demônio não tem o poder de impor ao homem que faça a Revolução. O homem é que se abre ao demônio para fazer a Revolução, porque o homem quer, quando usando mal do livre arbítrio propende para isto, por sua maldade.

E que, a Revolução sendo principalmente um movimento do homem e secundariamente do demônio, embora o demônio seja um agente poderosíssimo da Revolução, ele entretanto é secundário. O homem é que é o verdadeiro agente.

Exemplo do vírus no organismo

Então eu diria o seguinte: que o demônio fica tentando os homens mais ou menos como um vírus que infecta o organismo. Fica continuamente tentando vencer o sistema imunológico para se replicar dentro do homem, levando-o a adoecer. Imagine que ao longo da vida de um homem que morre, digamos, com oitenta anos, umas três vezes tenha contraído uma infecção viral acarretando nele três doenças. Devemos dizer que esses três vírus foram o mesmo?
Não, ele adoeceu três vezes, de três vírus distintos, embora essas doenças tivessem uma mesma causa que é a presença no organismo dele de um determinado agente infeccioso.

Mas a questão é que ele adoeceu quando seu organismo fraquejou diante dos vírus. E fraquejou três vezes, então originando três doenças.

O demônio está sempre tentando

Assim, ao longo da história da humanidade há sempre o demônio que como uma espécie de “virus” espiritual está tentando o homem. Houve vários movimentos humanos em que a sociedade humana como um todo disse sim para isso.

Ora a Revolução na qual nós estamos, iniciou-se quando o homem, na Idade Média, disse sim e aí começou esta Revolução. E a R-CR é o estudo dessa Revolução e não o estudo de todas que houve. Razão pela qual para esta Revolução, o nascedouro dela, foi na Idade Média, embora o demônio tenha começado a agitar-se no céu, antes de ser colocado o homem sobre a face da Terra.

Préfiguras da Revolução: Ario, Maomé

Ario, Maomé de algum modo eram prefiguras – precursor no sentido etimológico da palavra é alguém que corre no caminho antes do outro e não alguém que é causa do outro – como por exemplo a queda de Jerusalém foi um acontecimento precursor do fim do mundo. Não quer dizer que a queda de Jerusalém foi a causa do fim do mundo. Nem mesmo uma causa tênue ou remota.

Foi uma revolução que é tão pálida em comparação com esta e que realmente foi cronologicamente anterior, então se chama precursora. Não foi nem mesmo uma causa remota ponderável.

A tentação mais forte e a queda mais profunda no orgulho e na sensualidade foi na Idade Média. Na própria Idade Média o demônio fez revoluçõesinhas: os albigenses, os movimentos das comunas, etc., que eram fogachos que foram apagados.

Ofensa a Deus

No comunismo há mais ofensa a Deus do que no regime pagão como Síria e Babilônia?

Sim, porque a ofensa a Deus se gradua pela violência, pela profundidade com que seus mandamentos foram violados. E o regime existente no mundo pagão, na Síria, Babilônia, por exemplo, violaram a fundo vários preceitos da ordem natural, não porém todos. O comunismo é a construção de uma Babel diretamente contrária em tudo à ordem natural.

***

Fica, pois caracterizada a maldade que há na adesão à Revolução.

Deixe uma resposta