Formação: o fracasso da esquerda na mutação da opinião pública

0

Mudar a opinião pública, alterar o estado de espírito das multidões, mudar o Brasil que derrotou as esquerdas nas Ruas e nas Urnas … eis a fracassada tentativa da midia alinhada, de congressistas revolucionários, da CPI covid, do silenciamento compulsório de conservadores nas Redes Sociais.

Como mudar a disposição do Eleitor em 2022? Como fazer com que os candidatos de esquerda possam sair às Ruas e serem aplaudidos?

A CNBB se autodemoliu; as invasões de propriedade declinaram; os agitadores estão isolados. https://ipco.org.br/leia-e-divulgue-o-brasil-autentico-se-levanta-contra-a-esquerda/

Acesse o Livreto-Manifesto do IPCO:

Mutação ZERO na Opinião Pública

A reação consevadora, que se mantém viva na opinião pública, faz tremer as esquerdas e o falso Centrão.

O bombardeio midiático durante a Pandemia, a censura brutal a sites conservadores por parte da BigTech não conseguiram alterar a disposição do brasileiro médio que fez uma opção preferencial pelos Valores Morais e crê na missão providencial do Brasil.

Um Alerta para o Brasil de 2022

Vejamos uma oportunua consideração do Prof. Plinio, aplicável a nosso Brasil de 2022:

Se Bizâncio caiu (1453), foi em boa parte porque os ânimos se encontravam na fase “moderada” e vegetativa enquanto os acontecimentos exigiam heroísmo.

A queda de Napoleão foi muito favorecida pelo fato de que do clima de grandiosidade algum tanto melodramática do Império estavam fartos todos os franceses, desde Ney até o último dos pequenos burgueses. 

Se a Alemanha pôde invadir tão facilmente a França em 1940, foi em parte porque encontrou diante de si um povo embriagado de espírito pacifista e “moderado” enquanto os nazistas estavam no zênite de sua fase “heróica”.

Mantenhamos, portanto, alerta a opinião pública face às manobras da esquerda em 2022.

***

O fundamento da Nação são os Valores Morais

Qual a nota, qual o contributo que podemos, nos católicos da Contra Revolução, dar ao povo brasileiro em nossos dias? Sim, o cimento de nossa nacionalidade são os Valores Morais, perenes, eternos, porque fundamentados na Lei Natural

Diz o Prof. Plinio: “Ora, os Mandamentos são a expressão da vontade de Deus para os homens. Eles ensinam o homem a agir como Deus quer. Infinitamente sábio e bom, Deus não poderia querer que agíssemos em sentido diverso ou contrário da natureza que Ele nos deu.

“Assim, portanto, os Mandamentos nos ensinam a proceder segundo nossa própria natureza. E eles contêm, pois, as regras fundamentais que se hão de observar para conseguir a grandeza da sociedade civil, enquanto sociedade civil.

“A glória e bem-estar temporal é o prêmio natural da sociedade civil. Mas ela tem, neste mundo mesmo, um prêmio mais alto. Explica Santo Agostinho que os homens podem ser premiados ou punidos em outra vida, por suas ações boas ou más, mas que as nações recebem seus castigos ou prêmios nesta vida, porque a nação, como tal, não transpõe os umbrais da eternidade. No Céu, haverá gregos, troianos, romanos ou egípcios. Não haverá nem Grécia, nem Tróia, nem Roma, nem Egito. Assim pois, é preciso que Tróia, ou a Grécia, ou qualquer outra nação, receba seu prêmio neste mundo.

E conclui: “Deus auxilia a grandeza dos povos fiéis, não só pelo jogo natural das causas segundas, mas por uma multidão de graças especiais e por vezes miraculosas, de que está cheia a história de tais povos.”

https://www.pliniocorreadeoliveira.info/1965_173_CAT_A_grande_experi%C3%AAncia_de_10_anos_de_luta.htm

Há que investir nos Valores Morais

Somos um País católico, uma Nação cristã desde o nosso berço. A Santa Missa, celebrada por Frei Henrique de Coimbra, o apostolado dos jesuítas (notadamente Pe. Nóbrega e Anchieta), a expulsão de holandeses e franceses do território nacional no século XVII.

Derrotamos as esquerdas nas Ruas e nas Urnas. Mas o cimento da nacionalidade são os Valores Morais: vamos investir neles.

Assim se construirá a grandeza do Brasil, Terra de Santa Cruz.

Se bem que graduados na Magistratura considerem isso “retrocesso” vamos repetir: necessário e santo retrocesso!

Perguntamos: o que tem de “avanço” no aborto, tão velho quanto o paganismo milenar? O que tem de novo os regimes despóticos do lockdown senão a repetição e agravamento dos erros Hitler e Stalin?

Saudemos, e agradeçamos à Nossa Senhora Aparecida essa disposição de vigilância face ao socialismo, ao comunismo e à chamada Terceira Via. Façamos retroceder as malditas “conquistas” da esquerda na legislação, contrárias à família e à propriedade.

Acesse o nosso Manifesto: https://ipco.org.br/leia-e-divulgue-o-brasil-autentico-se-levanta-contra-a-esquerda/

Deixe uma resposta