Hábito e disciplina atraem vocações, mosteiros “aggiornati” esvaziam

    dominicanas-de-santa-cecilia-03-nashville
    Jovens querem vida religiosa séria e tradicional

    Os conventos de religiosas se modernizaram no período pós-conciliar adotando o figurino da “Igreja nova” e “jovem”. Porém, na maioria dos casos acabaram se desertificando por causa de renúncias, apostasias, e falta de vocações.

    Nos EUA, segundo a imprensa americana católica ou laica, a média da idade das freiras é cada vez mais alta e as vocações são largamente insuficientes.

    Porém, algo mudou a fundo nos últimos anos.

    Conventos como os das dominicanas de Santa Cecília em Nashville, Tennessee, assistem a uma explosão de noviças com um média de idade de 23 anos.

    clarisas-em-liturgia-minneapolis
    Freiras modernizadas envelhecem e não atraem vocações

    A questão é que as dominicanas de Nashville usam os hábitos tradicionais e seguem uma disciplina de vida estrita marcada pela oração, o ensino e o silêncio.

    E essa é uma nota comum da nova onda de mosteiros em crescimento.

    Na capela de Santa Cecília, o dia começa no mais estrito silêncio às 5:30 da manhã.

    Nessa hora só se ouve o fru-fru dos hábitos, mas na capela há mais de 150 moças ajoelhadas, rezando e cantando.

    Há algumas freiras idosas do antigo período “jovem e aggiornato” em cadeira de rodas.

    dominicanas-de-santa-cecilia-05-nashville
    Hábito diz: “somos esposas de Cristo”

    O que está acontecendo?

    As refeições também são em silêncio, com as religiosas sentadas lado a lado em longas mesas, vestindo hábitos completos e véu, servidas pelas noviças.

    A Irmã Joana de Arco já foi jogadora de basquete, se doutorou na Notre Dame Law School, e foi voluntária na África.

    Mas só no mosteiro de estrita observância se sentiu à vontade. “Deus pediu-me: entrega-me tua vida!”, conta ela.

    Elas acham que o hábito completo branco das dominicanas “é maravilhoso, é uma lembrança continua de sermos esposas de Cristo”, como diz a Irmã Mara Rose McDonnell.

    dominicanas-de-santa-cecilia-06-nashville“O hábito fala aos outros que existe uma realidade além deste mundo. É o Céu. Nós todas estamos voltadas para o Céu”, acrescenta.

    A Irmã Anna Joseph Van Acker explica: “nossa geração está sedenta de ortodoxia”.

    A maioria delas visitou vários conventos.

    Mas como diz a irmã Joana de Arco “eu desmaiei quando as vi com seus hábitos, com aquela alegria, ouvindo ou cantando. Ô! Foi algo cativante, mas tão cativante!”, exclama.

    dominicanas-de-santa-cecilia-07-nashvilleOs bispos católicos imploram religiosas dominicanas para cuidarem de escolas paroquiais.

    Mais de 100 delas ensinam em 34 escolas de 13 Estados.

    Elas produzem uma forte e positiva impressão nos alunos porque não batem com o estereotipo de freira desbotada.

    As 300 dominicanas de Santa Cecília com seus longos hábitos, seu regime disciplinar, seu incessante ritmo de silencio e orações, estão fazendo do conservadorismo o novo polo de fervor e seriedade na Igreja Católica.