Havana recebe apoio para aumentar a repressão

“Padecemos o enrijecimento da repressão em Cuba”, afirmou Orlando Gutiérrez Boronat [foto], do Directorio Democrático Cubano, organização de cubanos exilados que denuncia a multiplicação “dramática” da repressão comunista na ilha.

“Há uma relação direta entre a política de normalização das relações do regime castrista com os EUA e o reforço da repressão. Por quê? Porque o regime se sente impune”, explicou Gutiérrez. Em Havana, o dissidente Elizardo Sánchez confirmou a captura de uma centena de simpatizantes das Damas de Blanco, grupo formado em 2003 por esposas de prisioneiros políticos. E acrescentou que o degelo entre o EUA e Cuba sob a égide do Papa Francisco não existe para quem não afina com o regime comunista.

A perseguição anticatólica sente-se apoiada pela escalada da “Teologia da Libertação” no Vaticano, que estimula a aproximação da Santa Sé com países comunistas ou ditaduras socialistas.

Fonte: Revista Catolicismo, Nº 774, julho/2015