Um leitor deste site escreveu: Vocês defendem somente as elites, os pobres que morram.

Ou seja, para ele as classes superiores, por interesse próprio, são anti-igualitárias, e os pobres, por serem pobres, são igualitários. Parece que há uma ponta de luta de classes nesta concepção.

Infelizmente, a realidade é outra. Frequentemente as pessoas de mais posses são mais igualitárias que os pobres. Muitos são esquerdistas. Dr. Plinio os chamava de “sapos”, e explica o que é um “sapo”: “é um esquerdista camuflado de centrista. Portanto,  é um indivíduo que quer o advento da esquerda mas se esconde, ou como direitista ou como centrista – em noventa e tanto por cento das vezes como centrista. É o sujeito que combate contra a direita e é veladamente a favor da esquerda”.[1]

Existem igualitários tão ferrenhos que, por igualitarismo, vão contra os próprios interesses. Por exemplo, uma autoridade que recuse o poder que lhe seja oferecido, por ser a favor da anarquia. Ou um elemento da elite que seja igualitário

Vamos a outra objeção:

Li neste site que o igualitarismo pode ser pecado de orgulho. Mas gostaria de dizer que, em certos casos,  pode ser humildade. Por exemplo, um professor numa sala de aula. Se um aluno quiser ter o mesmo nível que ele, é orgulho, é igualitarismo, concordo. Mas se o professor quiser ser igual aos alunos, sentar no meio deles, dar a aula com a camiseta de um time de futebol, deixar que eles o tratem de você, com um simpático igualitarismo, aí é humildade, não é mesmo? Resumindo: se o aluno quiser bancar o professor é orgulho, mas o professor se colocar como aluno é humildade.

Esta objeção se resolve com facilidade, pois segundo a doutrina católica, a humildade é a verdade. Portanto, assim como o aluno não deve ter a pretensão de ser igual ao professor, este não deve querer ser como o aluno, pois, por definição, ele é mais.

O professor, com toda naturalidade, deve ser aquilo que é, o mestre. No caso descrito na mensagem que recebi, ele cometeu pelo menos duas faltas: aparentar algo que não é, e formar os alunos no igualitarismo, em vez de dar bom exemplo. Além do mais, criar um ambiente que não favorece o respeito que se deve a um professor.

Portanto, no caso, não houve verdadeira humildade.

É urgente que se restabeleçam no mundo qualidades que com o avanço do igualitarismo vão ficando cada vez mais raras: a dignidade, a distinção, a honra. E mesmo o respeito, que nos devemos mutuamente, e de forma especial aos que nos são superiores ou detém autoridade.

O respeito vai ficando cada vez mais coisa do passado. E assim, cada vez se perde mais a alegria de viver. Sim, porque o igualitarismo rouba a alegria de viver. O igualitarismo só traz mal estar e aridez, um trato vulgar, pesado e frio.


[1] Conferência em 8-7-73.

Não corrompam nossas crianças através da “Ideologia de Gênero”

A Ação Jovem do IPCO está promovendo uma campanha nacional de abaixo-assinados que serão enviados para o Presidente Michel Temer pedindo a exclusão da satânica "Ideologia de Gênero" da Base Nacional Comum Curricular - BNCC.

Clique aqui e assine já!

 

5 COMENTÁRIOS

  1. @Lauro Coelho

    Caro Sr. não sou jurista, nem filosofo, nem tão pouco professor de nada, porém afirmo categoricamente que, equidade e igualdade são tangiveis e equivalentes, na sua própria afirmação:

    “Se equidade é sinônimo de igualdade dar 100g de comida para uma criança e 100g para um homem adulto de 2m de altura e peso no mínimo 120Kg.”

    Mas, então, o Sr. relendo sua frase, pensa de forma especifica, unica, e matemática, observando a relação da parte em vez do todo. Seres humanos não são uma relação de peso e proporções. Sua exemplificação apenas aborda um conceito material de mister e necessidade, que é comum a todos. Fome versus a quem pertence a parte justa.

    Então, quando esta sua afirmação é verdadeira ?!?
    Resposta : somente em tempos de guerra, quando as necessidade se equivalem.

    Mas ainda não respondi na sua propria afirmação, e claro, saciando sua fome:

    Veja por este prisma, um pai justo de 2m de altura e peso no mínimo 120Kg, tem somente naquele dia 200g de comida e precisa alimentar seu pequeno filho e esposa. O que ele faz ? Divide igualmente as partes para todos, observando a ausência de diferenças de direitos e deveres entre seus membros, ou, adapta aquela situação específica, a fim de deixá-la mais justa ?

    Agora a pergunta ficou mais interessante ?!? Entre a igualdade e equidade, o que fazer ?!?

    Isso vai depender da situação, se o pai for egoista, usará de equidade e tratará seu semelhante de igual para igual e dividirá em partes iguais, pensando, também sou filho de DEUS. Mas se for realmente justo, dividirá 100g para seu filho, que foi o dom dado por DEUS, e a cada dom humano dado, 2x mais o peso da responsabiliade e amor devem ser dados, depois, 50g para si e sua esposa, agradecendo a DEUS porque ainda tem para se alimentar, almejando em seu proprio sacrificio o que é justo para si e seus próximos, isso é pensar e agir em justa igualdade. Porém nem todos pesam assim, mas é assim que deveria ser.

    E ainda que diga: -mas na minha frase não existia nem pai, nem filho!!!

    Realmente não existe, mas ae é que está a beleza da coisa, quando usamos a equidade, ajustamos aquilo que é necessário aos olhos do homem e quando usamos a igualdade, fazemos de coração aberto, humilde e simples, o que DEUS deseja de nós, não importando o tamanho do sacrificio.

    Finalizo desta forma:

    “… Jesus conhecia e sabia como era bonito o coração das crianças., nelas, ele admirava principalmente a simplicidade, a pureza e a sinceridade, muitas vezes Jesus usou as criança como exemplo para transmitir sua mensagem aos adultos. Dizendo-lhes: “Se vocês não tiverem um coração humilde e uma fé confiante como as crianças, vocês não entrarão no Reino de Deus.” E mais: “Aquele que não receber o Reino de Deus como uma criança, não entrará nele” (Lc 18, 15 -18)…”

    “…Certo dia, os discípulos aproximaram-se de Jesus e lhe perguntaram: “Quem é o maior no Reino dos Céus”? Para que eles entendessem bem sua resposta, Jesus colocou uma criança no meio deles e, olhando para ela, explicou-lhes: “O maior diante de Deus é aquele que não é orgulhoso, que não deseja a fama ou quer tudo só para si”. Assim, grande para Deus, é a pessoa que se faz pequena e tem um coração grande. Que sabe amar e ajudar os outros (leia essas palavras de Jesus em Mt 18, 3 – 4)…”

    Fecho da seguinte forma :

     
  2. @JOSE ANTONIO
    Prezado José Antonio. Parece-me que seus argumentos pecam pela base e por isso limito-me a dizer só o erro: equidade não é igualdade. Se equidade é sinônimo de igualdade dar 100g de comida para uma criança e 100g para um homem adulto de 2m de altura e peso no mínimo 120Kg. lhe parece equânime?

     
  3. A equidade é a igualdade, a mesma em significados. E o Senhor Jesus fala aos que praticam a iniquidade, a não-equidade! “Afastai-vos de mim, vos que praticais a iniquidade. Achei esse artigo obscuro em algum ponto, invertendo os valores. Há mais equidade entre os pobres que os ricos. Os pobres se ajudam mais que os ricos em se tratando de ajuda mutua. Os ricos negociam e jamais se viu umrido trabalhando para outro por necessidade, mas o pobre sim. Há um risco muito sério na igualdade: o deixar as coisas como estão, explorando os pobres, os empregados, não lhes pagando o que lhes é de direito. Os ricos sonegam com mais facilidade e passam por prosperos e honestos. Quando ao professor, se ele se mistura aos alunos querendo ser igual a eles, dependerá de como se comunica aos seus alunos,senão é falsa humildade. Os alunos caçoam dele e ele perde a autoridade, aliás já perdida há muito tempo. O professor deve manter-se firme com interesse maior no aprendizado que no ensino de sua matéria. A igualdade em sala de aula é ilusória, uma vez que os aproveitamentos são diferentes, não dá para todos saberem e terem as mesmas idéias. As diferenças são notórias na hora das provas, nas praticas da vida, etc.
    De quaiquer modos saliento a passagem Bíblica: “E todos tinham tudo em comum e não havia necessitados entre eles.” Igualitários, mutuos no AMOR!

     
  4. Gostaria de reafirmar meu comentario enviado anteriormente que o igualitarismo é a maneira de matar sonhos de conquista, pois se tem moradia modesta mas vc não é proprietario. As empresas funcionam mas pertencem ao Estado, ou seja, o dono nunca reconhecerá seu real empenho.
    As pessoas passam a ter o minimo sim, mas o horizonte indica que nunca passará disso. Para os que entendem que o satisfaz é o melhor dos mundos, mas quem deseja um pouco melhor para os seus ficará totalmente insatisfeito

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome